segunda, 26 setembro 2022

Camilo Mortágua, pai das gémeas e deputadas do Bloco de Esquerda (BE), Joana e Mariana Mortágua, está dado como desaparecido desde a manhã deste domingo, 9 de Janeiro, em Alvito, no distrito de Beja.
 
Segundo a informação que foi avançada pelo Jornal de Notícias (JN), tanto a Guarda Nacional Republicana (GNR) como os Bombeiros Voluntários de Alvito já estiveram a realizar buscas em diversas localidades do distrito de Beja e também na zona do Fundão, mas até à data não há vestígios nem do desaparecido nem da viatura em que circulava.
 
Segundo o Oficial de Relações Públicas do Comando Territorial de Beja da GNR, Capitão Nuno Afonso, "o alerta” do desaparecimento “foi dado pela mulher" de Camilo Mortágua, depois de saber que o marido não chegara ao destino e de ao tentar contactá-lo por telemóvel, este estar desligado.
 
Depois do alerta, a GNR fez buscas nas redondezas de Alvito e nas estradas de acesso e nas localidades de Cuba, Beja e Ferreira do Alentejo e também no Fundão, mas até ao momento sem quaisquer resultados. Uma equipa do Destacamento de Trânsito está a fazer o percurso entre Alvito e o Fundão, no sentido de conseguir localizar o desaparecido e a viatura.
 
À GNR chegou uma denúncia de que o carro de Camilo Mortágua, de 87 anos, estava abandonado no Fundão, mas feitas as diligências necessárias comprovou-se que a viatura não era a procurada.
 
Joana Mortágua participava numa acção de campanha do BE, em Ferreira do Alentejo, com a Coordenadora do partido Catarina Martins, quando soube do desaparecimento do pai, tendo-se deslocado em seguida para casa da mãe, a cerca de 30 quilómetros.
 
Camilo Mortágua nasceu em Oliveira de Azeméis, a 29 de Janeiro de 1934, e há quase quatro décadas que vive em Alvito, vila do distrito de Beja, onde nasceram as duas filhas Joana e Mariana.
 
Em 1961, o antifascista português ficou célebre pela participação no desvio do paquete “Santa Maria”, que viajava para Miami com mais de 300 tripulantes, e no desvio de um avião da TAP, distribuindo mais de 10 mil panfletos subversivos contra o regime de Salazar, sobre as cidades de Lisboa, Setúbal, Barreiro, Beja e Faro. Em 1967, e na companhia de mais três camaradas, assaltou a filial do Banco de Portugal, na Figueira da Foz.
 
Já depois da queda do regime fascista em Portugal, motivada pela Revolução de Abril, Mortágua participou, em Abril de 1975 na ocupação da Herdade da Torre Bela, localizada em Azambuja, a maior área murada em Portugal, com 1700 hectares, propriedade do Duque de Lafões.
 
No dia 10 de Junho de 2005, o Presidente da República Jorge Sampaio atribuiu a Camilo Mortágua a condecoração de Grande Oficial da Ordem da Liberdade.
 
c/ JN e Teixeira Correia
Modificado em segunda, 10 janeiro 2022 00:11

De forma a sensibilizar para uma maior e melhor reciclagem, e em parceria com a Delta Cafés, a Sociedade Ponto Verde (SPV) lançou uma colecção de pacotes de açúcar que conta com o influenciador Gervásio como principal protagonista.
 
O ano de 2022 começa com o incontornável e icónico Gervásio, a mascote da SPV, presente nas pausas para café de milhares de consumidores nacionais. São mais de quatro milhões de pacotes de açúcar Delta, de cor azul, amarela e verde, tal como os ecopontos, distribuídos por todo o território nacional com mensagens de sensibilização para as boas práticas de reciclagem.
 
No total são vinte as versões diferentes com mensagens que reforçam a importância da separação de resíduos, do esclarecimento de dúvidas e mitos associados à reciclagem de embalagens, e até à apresentação de formas de reciclar melhor.
 
Uau! A reciclagem fica-lhe bem” e “No ecoponto azul não se deve colocar papel e cartão com sujidade ou gordura”, são algumas das frases que pode ler na sua pausa do café.
 
 “A reciclagem é um trabalho contínuo e a sensibilização do consumidor para o papel essencial que tem neste processo também. Sendo esta a missão da SPV procuramos diversificar os canais de comunicação para chegar a mais pessoas e a públicos diversos. A parceria com a Delta Cafés tem provado ser eficaz e, por isso, voltamos a fazer a aposta naquela que é já a quarta colecção destes pacotes temáticos dedicados à reciclagem”, refere Ana Isabel Trigo Morais, CEO da SPV.
 
Trazer o Gervásio para esta campanha foi inevitável, depois de 2021 ter ficado marcado pelo regresso desta personagem tão querida à vida da SPV e dos portugueses, também ele reciclado”, conclui a CEO da Sociedade Ponto Verde.
 
 “A sustentabilidade está no nosso ADN, e queremos continuar a fazer a diferença através da partilha e da promoção de boas práticas ambientais. Esta iniciativa pretende sensibilizar de forma lúdica para a importância de reciclar, pedindo o envolvimento de todos de forma a contribuirmos para um mundo melhor e mais sustentável”, sublinha Rui Miguel Nabeiro, CEO do Grupo NabeiroDelta Cafés.
Modificado em sábado, 08 janeiro 2022 00:05

Já se encontra aberto o processo de candidaturas para o cargo de Reitor da Universidade de Évora (), cujas eleições decorrem no próximo dia 31 de Março.
 
E até ao momento, são dois os professores da universidade alentejana que já anunciaram a intenção de concorrer ao cargo.
 
José Bravo Nico, actual professor do Departamento de Pedagogia e Educação da UÉ, confirmou à agência Lusa que pretende candidatar-se ao cargo.
 
Também em declarações à Lusa, António Candeias, professor do Departamento de Química e Bioquímica da academia, revelou que pretende concorrer ao lugar, tendo apresentado, na passada segunda-feira, a demissão como vice-reitor.
 
De acordo com a academia alentejana, o processo de candidaturas termina no dia 2 de Fevereiro, às 17:30 horas.
 
Segundo a UÉ, o reitor é eleito pelo Conselho Geral da universidade para um mandato de quatro anos.
 
O Reitor deve ser uma personalidade de reconhecido mérito e experiência profissional relevante e possuir uma visão estratégica adequada à prossecução da missão e dos objectivos da Universidade, estatutariamente definidos”, adianta ainda a UÉ.
 
As candidaturas ao cargo estão abertas a todos os professores ou investigadores doutorados, nacionais ou estrangeiros, de qualquer instituição de ensino universitário ou de investigação e que se encontrem em exercício efetivo de funções.
 
De acordo com o calendário eleitoral, o anúncio das candidaturas admitidas está marcado para o dia 02 de Março.
 
Já a audição pública dos candidatos, para que possam expor o respectivo programa de acção, realiza-se entre os dias 24 e 30 de Março.
 
A cerimónia de tomada de posse do novo reitor da Universidade de Évora está prevista para 9 de Maio.
 
De referir que Ana Costa Freitas, a actual Reitora da UÉ, que cumpre o seu segundo mandato, está impedida de se recandidatar ao cargo, devido à limitação de mandatos. Professora do Departamento de Fitotecnia da UÉ, desde 2002, Ana Maria Ferreira Silva Costa Freitas, de 67 anos, é reitora da academia alentejana desde Maio de 2014.
 
c/ LUSA
Modificado em quinta, 06 janeiro 2022 11:09

A Junta de Freguesia de Vila de Frades aprovou, em reunião do Executivo da junta, a fase I do projecto de recuperação da Capela de São Brás, localizada naquela freguesia do concelho de Vidigueira.
 
Numa parceria com a Paróquia de São Cucufate, esta primeira fase, cujos trabalhos têm início previsto entre Fevereiro e Março, contempla a lavagem de todo o exterior e telhado, aplicação de algerozes, pintura exterior, reparação de madeiras e ferros e iluminação da fachada principal.
 
Recorde-se que esta capela é exemplar de excelência devido aos seus frescos, estando assinalada na "Rota do Fresco do Alentejo".
 
Neste edifício, além de espaço de culto, já funcionaram a Casa Mortuária e a Junta de Freguesia.
 
 
 
Modificado em quarta, 05 janeiro 2022 12:28

A partir do dia 10 de Fevereiro, os Bombeiros Voluntários de Borba terão um novo Comandante.
 
Segundo a notícia que é avançada pela Rádio Borba, Joaquim Branco, actual Comandante dos Bombeiros Voluntários de Borba, terminará a sua terceira comissão de serviço em quadro de comando no próximo dia 9 de Fevereiro, e não a irá renovar.
 
Apesar da sua demissão enquanto Comandante, Joaquim Branco já anunciou que vai continuar a desempenhar funções na corporação borbense.
 
De referir que Joaquim Branco era Comandante dos Bombeiros Voluntários de Borba desde 2007.
 
 
 
Modificado em terça, 04 janeiro 2022 18:15

O Alentejo 2020 - Programa Operacional Regional do Alentejo lançou recentemente o aviso de concurso Sistema de Apoios ao Emprego e ao Empreendedorismo +CO3SO Emprego, no domínio da "Inclusão Social e Emprego", eixo prioritário "Emprego e Valorização Económica dos Recursos Endógenos".
 
A abertura deste concurso pretende incentivar e aumentar a criação de emprego sustentável, designadamente para desempregados, através do apoio à criação do emprego por conta própria e à criação de micro, pequenas e médias empresas inovadoras.
 
De acordo com a informação disponibilizada, as entidades beneficiárias são as cooperativas, as associações mutualistas, as misericórdias, as fundações, as instituições particulares de solidariedade social não abrangidas pelas alíneas anteriores, as associações com fins altruísticos que actuem no âmbito cultural, recreativo, do desporto e do desenvolvimento local, as entidades abrangidas pelos subsectores comunitário e autogestionário, integrados nos termos da Constituição no sector cooperativo e social, outras entidades dotadas de personalidade jurídica, que respeitem os princípios orientadores da economia social previstos no artigo 5.º da presente lei e constem da base de dados da economia social.
 
O presente concurso tem aplicação na NUTS II do Alentejo, sendo que o prazo para apresentação de candidaturas termina a 28 de Fevereiro, às 18 horas.
 
 
Modificado em terça, 04 janeiro 2022 17:26

O advogado da família de Nuno Santos, o trabalhador que morreu atropelado na Auto-Estrada 6 (A6) pelo automóvel onde seguia o ex-Ministro Eduardo Cabrita, requereu a abertura da instrução do processo.
 
Segundo José Joaquim Barros, o requerimento para abertura da instrução seguiu, na passada quinta-feira, por correio e por correio eletrónico.
 
Com a abertura da instrução, o causídico pretende “conseguir a pronúncia e responsabilidade criminal” do ex-Ministro da Administração Interna e do seu Chefe de Segurança.
 
Toda a comitiva é responsável pelo esquema de segurança”, que foi “de total desrespeito para com os utentes da via”, mas “o ex-Ministro da Administração Interna Eduardo Cabrita” era “a cabeça do esquema hierárquico”, sublinhou em declarações à LUSA.
 
José Joaquim Barros considerou que, naquela deslocação, o Chefe de Segurança do então governante “também tem responsabilidade”, pois é quem tem “o dever de alertar o Ministro para os riscos daquele esquema”.
 
O defensor da família do trabalhador falecido defendeu igualmente a alteração da qualificação do crime de homicídio por negligência de que está acusado o motorista do ex-Ministro, de simples para grosseira, e a acusação de condução perigosa.
 
Contactada também pela agência Lusa, Sandra Santos, advogada do motorista do ex-Ministro, realçou que ainda não pediu a abertura de instrução do processo, mas garantiu que vai fazê-lo.
 
A instrução é uma fase facultativa em que um Juiz de Instrução Criminal (JIC) decide se o processo segue para julgamento e em que moldes.
 
No dia 03 de Dezembro de 2021, o Ministério Público (MP) deduziu acusação, requerendo o julgamento por tribunal singular, contra o motorista do carro onde seguia o ex-Ministro e que atropelou mortalmente o trabalhador na A6, imputando-lhe a prática de um crime de homicídio por negligência e duas contraordenações.
 
No mesmo dia, Eduardo Cabrita demitiu-se do cargo de Ministro da Administração Interna.
 
De acordo com o despacho de acusação, a 18 de Junho, a viatura do ex-Ministro seguia em comitiva, na A6, com mais dois veículos, quando atropelou mortalmente Nuno Santos, um dos funcionários de uma empresa que realizava trabalhos de manutenção naquela via, ao quilómetro 77,600, no sentido Este/Oeste (Caia/Marateca).
 
c/ LUSA
Modificado em segunda, 03 janeiro 2022 16:35

De forma a assinalar a entrada no novo ano de 2022, a Câmara Municipal de Portalegre vai levar a efeito um espectáculo de fogo de artifício, na Senhora da Penha, com início às 00 horas de 1 de Janeiro.
 
Em nota de imprensa enviada às redacções, a autarquia portalegrense aconselha que “devido às medidas de segurança impostas pelo combate à Covid-19”, o espectáculo de fogo de artifício “seja visto a partir de casa ou mesmo sem sair do carro, dada a localização e visibilidade do Monte de S. Tomé”.
 
Ainda assim, a edilidade liderada por Fermelinda Carvalho alerta que “quem quiser assistir a partir do exterior”, pode fazê-lo cumprindo as medidas sanitárias e de saúde pública recomendadas pela Direcção Geral da Saúde (DGS), “nomeadamente a obrigação de utilização de máscara e o respeito pelo distanciamento social de 1,5 metros recomendado”.
 
A Câmara Municipal de Portalegre recorda ainda que “foi decretado um reforço das restrições neste período, devido ao agravamento da situação epidemiológica: na noite de passagem de ano, a circulação na via pública só é permitida até às 02 horas, sendo proibidos os ajuntamentos com mais de 10 pessoas e o consumo de bebidas alcoólicas na via pública”.
 
Modificado em quinta, 30 dezembro 2021 12:30

Nas últimas semanas, através da Unidade Regional do SulUnidade Operacional XI/Évora, e após uma denúncia telefónica sobre a presença de uma pessoa do sexo feminino a fazer-se passar por inspectora num estabelecimento de restauração e bebidas, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) desencadeou uma investigação no sentido de se apurar a veracidade dos factos.
 
Em comunicado, a ASAE refere que como resultado da investigação, “foi identificada uma cidadã, que se fazia passar por Inspectora da ASAE, procedendo a visitas a estabelecimentos de restauração e bebidas do distrito de Évora, com o objectivo de atemorizar os respectivos proprietários e funcionários, com alegadas visitas da ASAE para daí recolher proveitos em termos da sua área de negócio”.
 
Na mesma nota é ainda salientado que “foi instaurado um processo-crime pela prática do crime de Usurpação de Funções e a constituição como arguido e sujeição a Termo de Identidade e Residência da suspeita”.
 
A missiva termina em forma de alerta e apelo por parte da ASAE, para que “sempre que aconteçam situações similares”, os lesados contactem de imediato "este órgão de polícia criminal ou as autoridades locais a fim de poderem ser tomadas as necessárias diligências".
 
 
Modificado em terça, 28 dezembro 2021 18:18