segunda, 23 maio 2022

Tendo como principal objectivo a angariação de fundos para a aquisição de equipamentos para os Bombeiros Voluntários de Elvas, a Rádio Elvas vai organizar no próximo dia 28 de Maio, sábado, a partir das 15 horas, no Coliseu Comendador Rondão de Almeida, a Festa do Sericaia.
 
Este evento de cariz solidário terá duas vertentes: a escolha do melhor Sericaia e um espectáculo com artistas de Elvas.
 
Em nota de imprensa enviada à nossa redacção, a Rádio Elvas informa que “todas as pessoas”, de uma forma absolutamente gratuita, “podem participar com um Sericaia”, estando a ficha de inscrição disponível no site da estação emissora elvense, em radioelvas.com, e também nos estúdios da Rádio Elvas.
 
Nessa tarde de sábado, irão subir ao palco do Coliseu, os artistas Manuel Fria, Jorge Goes, Olinda Moriano, e Raquel Guerra, e ainda o Grupo Voz Amiga, da Terrugem, o Grupo de Roncas de Elvas, e o Grupo de Cantares de São Vicente e Ventosa.
 
Para assistir ao espetáculo podem ser adquiridas pulseiras de acesso ao recinto no valor de cinco euros.
Modificado em segunda, 16 maio 2022 23:14

Através de uma publicação na página oficial do partido na rede social Facebook, efectuada ao final da tarde do dia de ontem, 11 de Maio, André Ventura deu a conhecer que “nos termos dos nº 2 e nº 3 do artigo 24 dos Estatutos do Partido CHEGA”, e “por decisão do Presidente da Direcção Nacional”, foi nomeado o “militante nº 41”, Carlos Magno Magalhães como novo Secretário-Geral Adjunto do CHEGA.
 
Carlos Magno Magalhães é, desde Fevereiro de 2020, Presidente da Distrital de Évora do CHEGA e foi o candidato do partido liderado por André Ventura à Presidência da Câmara Municipal de Évora, nas últimas eleições autárquicas, que se realizaram em Setembro passado.
 
Natural de Huambo, em Angola, mas a residir em Évora há mais de 40 anos, Carlos Magno Valença Ferreira Walter de Magalhães, de 52 anos, é Oficial de Justiça e desempenha funções no Tribunal do concelho de Redondo.
 
Carlos Magno Magalhães é também conselheiro nacional e membro da equipa de fundadores do partido, tendo sido candidato pelo Circulo Eleitoral de Évora, nas legislativas de Outubro de 2019.
 
Por altura da campanha eleitoral para as Autárquicas de 2021, e numa entrevista à LUSA, Carlos Magno Magalhães referiu que “desde que me conheço como gente que sou de direita”, tendo recordado que entrou para o CDS-PP quando tinha 14 anos e que só saiu, 35 anos depois, por discordar do rumo do partido: “Comecei a achá-lo muito próximo do PSD”.
 
Nessa mesma entrevista, Carlos Magalhães contou que, quando saiu do CDS-PP, em 2018, partido onde nunca teve cargos, nem integrado listas candidatas em eleições, “já estava no grupo” de pessoas que estava a trabalhar para a formação do CHEGA.
 
Conheci, nessa altura, o André Ventura e identifiquei-me completamente”, salientou, explicando que o líder do partido diz “aquilo que as pessoas têm medo de dizer, e o que as pessoas falam nos cafés e não falam cá para fora”.
 
Carlos Magno Magalhães saiu com a família do país onde nasceu, Angola, devido à guerra civil, em 1977, quando tinha sete anos, e o destino foi Lisboa. Dois meses depois, rumou ao Alentejo.
 
Vim para Évora porque o meu pai veio trabalhar para a então Direcção-Geral de Viação do Sul, onde era inspector examinador, e eu tive aulas nas escolas primárias do Rossio, Santa Clara e Gabriel Pereira, e no 9º ano fui para a Severim Faria”, recordou.
 
Mais tarde, Carlos Magno entrou em Economia na Universidade de Évora, não tendo acabado o curso. Cumpriu o serviço militar em Estremoz, e trabalhou quatro anos em decoração, antes de entrar para os quadros do Ministério da Justiça.
 
Adepto “ferrenho” do Futebol Clube do Porto e do Lusitano de Évora, chegou a vestir a camisola verde e branca da equipa alentejana na modalidade de andebol e é um dos sócios fundadores da Associação de Desportos de Combate de Évora.
 
Casado e pai de três raparigas, o agora Secretário-Geral Adjunto do CHEGA diz ter pouco tempo livre e o que lhe resta passa-o na sua quinta, situada na periferia de Évora, onde vive e tem “uma horta, três ovelhas e umas galinhas”.
Modificado em quinta, 12 maio 2022 00:13

Após dois anos de interregno devido à pandemia de Covid-19, o Município de Vendas Novas volta a organizar a feira dedicada às famosas bifanas desta cidade do distrito de Évora.
 
A Feira da Bifana, iniciativa que vai para a sua 3ª edição, decorre de 20 a 22 de Maio, na Parada D. Pedro V, e conta com a participação de oito estabelecimentos locais, detentores da marca “Bifanas de Vendas Novas”.
 
Em declarações à LUSA, o Presidente da Câmara Municipal de Vendas Novas, Luís Dias, afirmou que este “é o momento em que elevamos a bifana de Vendas Novas a um patamar mais alto, juntando todas as casas de bifanas registadas num único evento”.
 
Segundo a autarquia, o certame pretende consolidar Vendas Novas como “capital da bifana”, criar diferenciação deste produto em relação a outros similares e promover os estabelecimentos participantes e o território como destino gastronómico.
 
Nesta terceira edição do certame, que tem entrada gratuita e que conta com o apoio de várias entidades e empresas, os visitantes vão poder degustar as bifanas de Vendas Novas apresentadas pelas casas “100% Bifanas Originais”, “Bifanas & Companhia”, “A Chaminé”, “QM QB”, “Mercado das Bifanas”, “Mostarda QB”, “O Silva” e a roulote “O Menino de Ouro”.
 
Ainda em declarações à LUSA, o autarca de Vendas Novas assinalou que este produto gastronómico local ficou “dois anos sem promoção”, admitindo que o impacto no sector, devido à pandemia de Covid-19, foi grande.
 
Temos consciência de que o impacto económico para as casas de bifanas e para as economias que dependem da bifana de Vendas Novas foi severo e muito difícil de superar”, tal como aconteceu “em relação à restauração em geral”, sublinhou.
 
Este regresso da Feira da Bifana tem como principal novidade o novo espaço em que se realiza, pois deixa o Parque de Feiras e Mercados, onde decorreu nas primeiras duas edições, para se mudar para a Parada D. Pedro V, junto aos edifícios do Paços do Concelho e do Regimento de Artilharia nº 5.
 
É um espaço central, junto ao coração da cidade, com mais condições para acolher quem nos visita” frisou Luís Dias.
 
A animação cultural será assegurada por Miguel Azevedo (sexta-feira), pela “Remember Revival Band” (sábado), e pelos “Sons do Minho” (domingo). A estes juntam-se as bandas de rua “Ruído à Portuguesa”, “Bandinha Amigos da Música” e “Toma Lá 5”, cante alentejano com “Era uma Vez… O Cante”, a Tuna da Escola Secundária de Vendas Novas e bailes com Thy-Subry e Telmo Falcão. Haverá também artesanato, produtos locais e divertimentos infantis e o concurso “Rei & Rainha da Bifana”, que voltará a premiar quem conseguir comer mais bifanas em 10 minutos.
 
A abertura das portas da Feira da Bifana está marcada para as 18 horas de dia 20, e o fecho para as 00 horas do dia 22.
 
As bifanas de Vendas Novas, que começaram por ser confeccionadas há mais de 30 anos num café junto à Estrada Nacional 4 (EN4), via que atravessa a cidade, são conhecidas por todo o país e são marca registada desde 2011.
 
c/ LUSA
Modificado em quinta, 05 maio 2022 23:24

O Presidente da Câmara Municipal de Beja, Paulo Arsénio, entregou no passado dia 3 de Maio, terça-feira, as Cartas Régias à cabeça de casal dos herdeiros, cumprindo o Acórdão do Tribunal da Relação de Évora.
 
Os Juízes da Relação entenderam que a posse destes importantes documentos históricos deve manter-se na posse dos herdeiros até uma eventual definição judicial sobre a propriedade dos mesmos.
 
Embora respeitando as indicações e prazos impostos pelo Acórdão, o presidente da autarquia bejense vai intentar uma acção cível junto do Tribunal Judicial de Beja, de forma a reaver as Cartas Régias, documentos administrativos de valor histórico inestimável e de fundamental importância para o Município de Beja.
 
Aguardamos serenamente a decisão da Justiça” declarou Paulo Arsénio.
 
Modificado em quinta, 05 maio 2022 23:30

No próximo dia 30 de Abril, pelas 16 horas, a Câmara Municipal de Alcácer do Sal promove, na Igreja do Santuário do Senhor dos Mártires, a apresentação da monografia "A Necrópole do Olival do Senhor dos Mártires (Alcácer do Sal, Portugal) Práticas Funerárias, Cultura Material e Identidade(s) na Idade do Ferro do Baixo Sado (séculos VII-II a.n.e.)", obra da autoria do investigador Francisco Gomes.
 
A apresentação será feita em parceria com a UNIARQ, Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa e com a Direcção Regional de Cultura do Alentejo.
 
O sítio arqueológico do Olival do Senhor dos Mártires é um dos lugares mais emblemáticos da Idade do Ferro a nível nacional e internacional, tendo sido classificado, pela sua importância, como Monumento Nacional.
 
Pela primeira vez, é plasmada num livro a história dos achados que foram efectuados desde o século XX naquele local.
 
Esta publicação é realizada pela série Estudos & Memórias e editada pela UNIARQ, Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa.
 
 
 
Modificado em segunda, 18 abril 2022 19:15

Duas garraiadas, ocorridas no dia de ontem, sábado, 16 de Abril, uma em Santo Aleixo, no concelho de Monforte, e outra em Terrugem, no concelho de Elvas, provocaram ferimentos considerados graves em dois dos seus participantes.
 
Na garraiada ocorrida em Santo Aleixo, na Praça de Touros local, e segundo informação recolhida pelo Ardina do Alentejo junto dos Bombeiros Voluntários de Monforte, um homem, com 24 anos de idade, natural de Arcos, no concelho de Estremoz, mas residente na aldeia de Santo Aleixo, foi transportado pelos Bombeiros de Monforte para o Hospital de Santa Luzia, em Elvas.
 
Ainda segundo a mesma fonte, a vítima apresentava “várias escoriações e hematomas no rosto”. O alerta para o socorro a este homem foi dado cerca das 18:30 horas.
 
Na garraiada ocorrida na Terrugem, na Praça de Touros local, um jovem com 15 anos foi colhido. Contactado pelo Ardina do Alentejo, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre adiantou que o jovem foi socorrido e estabilizado no local, e posteriormente transportado pela ambulância SIVSuporte Imediato de Vida para o Campo Pedro Barrena, no Estádio Municipal de Elvas, de onde foi transportado pelo helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa.
 
Ao que a nossa redacção conseguiu apurar junto da família do jovem sinistrado, natural de Elvas mas morador em Barbacena, o seu estado é estável, estando a realizar exames complementares.
 
Em jeito de balanço das ocorrências registadas nas duas garraiadas, o CDOS de Portalegre adiantou que na garraiada ocorrida em Terrugem, resultou um ferido leve, um ferido grave e um assistido, e que na garraiada que teve lugar em Santo Aleixo, resultaram duas vítimas assistidas. 
 
 
 
Modificado em segunda, 18 abril 2022 12:52

Em colaboração com o Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios (ICOMOS Portugal), a Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), assinala, no dia 18 de Abril, o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, este ano subordinado ao tema “Património e Clima”.
 
Em nota de imprensa enviada às redacções, o Município de Avis refere que volta a associar-se a estas comemorações “através do Centro de Arqueologia de Avis (CAA)”, com a realização de actividades que “visam a representação deste momento anual de celebração”, momento esse que pretende “perspectivar as grandes causas da sustentabilidade e da economia circular do ponto de vista do Património Cultural, que tem vindo a sofrer, em maior ou menor grau, os efeitos do aquecimento global, da alteração de ecossistemas envolventes, de situações de seca extrema ou de exposição à subida das águas, mas também reconhecer o seu papel enquanto agente na construção de uma acção climática inclusiva, transformadora e justa”.
 
A programação abrirá, a 19 de Abril, com “Avis a Preto e Branco”, exposição que reúne todos os trabalhos participantes na II Mostra de Fotografia do Centro de Arqueologia de Avis, realizada em 2021. Esta exposição estará patente ao público, na biblioteca do CAA, até ao próximo dia 30 de Junho, podendo ser visitada de segunda a sexta-feira, entre as 09 e as 13 horas e das 14 às 17 horas.
 
Igualmente a 19 de Abril, e até 30 do mesmo mês, o CAA irá dar corpo à Oficina PedagógicaVamos construir um museu? Objectos e memórias”. Segundo a autarquia liderada por Nuno Silva, esta é uma iniciativa dirigida ao público escolar, designadamente aos alunos do 1.º e 2.º ciclos, “que pretende estimular a observação e a expressão e dar a conhecer uma das componentes do trabalho arqueológico, relacionada com o estudo e interpretação de materiais”. A edilidade salienta ainda que “partindo da selecção individual de um objecto, as peças serão tratadas de acordo com critérios museológicos e incorporadas num museu digital de memórias”.
 
Esta é uma actividade gratuita, mas que requer inscrição através do mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar., ou pelo telefone 242 410 090.
 
 
 
Modificado em sábado, 16 abril 2022 20:20

Segundo foi revelado pela Protecção Civil e pela Guarda Nacional Republicana (GNR), o despiste de um automóvel, ocorrido na tarde deste sábado, 16 de Abril, na Estrada Nacional 372 (EN372), em Santo Aleixo, freguesia do concelho de Monforte, provocou a morte a um homem e ferimentos ligeiros numa criança, do sexo masculino, de apenas dois anos de idade.
 
Segundo informações obtidas pelo Ardina do Alentejo junto do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre, o alerta para este acidente que envolveu um veículo ligeiro de passageiros, foi dado cerca das 18 horas.
 
Fonte do Comando Territorial de Portalegre da GNR indicou à LUSA que a vítima mortal, condutor do automóvel, tinha 29 anos.
 
Cerca das 19:10 horas, o corpo do homem ainda se encontrava no local, mas segundo acrescentou o CDOS, iria ser retirado em breve para o Serviço de Medicina Legal do Hospital Dr. José Maria Grande, em Portalegre.
 
Ainda segundo informações recolhidas pelo nosso portal de informação, o outro ocupante da viatura, o menino considerado ferido ligeiro, foi igualmente transportado para a mesma unidade hospitalar.
 
Para o local do sinistro foram mobilizados 21 operacionais, apoiados por 10 viaturas, pertencentes aos Bombeiros Voluntários de Monforte, à GNR e ao Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), incluindo ainda a VMER - Viatura Médica de Emergência e Reanimação e uma ambulância SIV - Suporte Imediato de Vida.
 
 
 
Modificado em sábado, 16 abril 2022 20:04

 
Em breve, a vida em clausura regressará ao Mosteiro da Cartuxa, com o acolhimento das Irmãs do Instituto das Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará.
 
Nesta fase de transição, oportunidade única para ser aceite o convite da Fundação Eugénio de Almeida, e entre os dias 18 de Abril e 14 de Maio, participar nas últimas visitas ao Mosteiro da Cartuxa, e conhecer este exemplar da arquitectura religiosa, ímpar em Portugal, para além de ficar a conhecer rituais, hábitos e exercícios espirituais praticados por quem o habitou.
 
Local de oração e contemplação, o Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli foi, durante 60 anos, um espaço inacessível, marcado pela clausura, silêncio e recolhimento da comunidade de cartuxos.
 
Iniciada a sua edificação em 1587, o Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli, foi o primeiro mosteiro da Ordem dos Cartuxos a ser construído em Portugal.
 
Objecto de diferentes utilizações ao longo da sua história, como Hospício de Donzelas Pobres de Évora, Escola Agrícola Regional e Centro de Lavoura da Casa Agrícola Eugénio de Almeida, o mosteiro volta, em 1960, a recuperar a sua função religiosa, graças à intervenção de Vasco Maria Eugénio de Almeida.
 
Entre 18 de Abril e 14 de Maio, será possível visitar gratuitamente o Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli, em visitas livres, todas as terças e sábados, entre as 10 e as 13 horas, ou em visitas guiadas, mediante inscrição prévia.
 
Todos os interessados em saber mais informações sobre o programa de visitas ou sobre o Mosteiro da Cartuxa, devem consultar o site da Fundação Eugénio de Almeida.
 
 
 
Modificado em segunda, 11 abril 2022 18:03

PUB