domingo, 02 outubro 2022
terça, 13 setembro 2022 12:24

Saiba quando é que os pensionistas vão receber o bónus de meia pensão

Escrito por
António Costa  salientou que o Governo socialista conseguiu acrescentar 26 anos à sustentabilidade da Segurança Social António Costa salientou que o Governo socialista conseguiu acrescentar 26 anos à sustentabilidade da Segurança Social DR

Em entrevista ao Jornal das 8, na TVI, o Primeiro-Ministro revelou que “até ao próximo dia 8 de Outubro”, todos os pensionistas da Segurança Social (SS) receberão pensão e meia, e que “no dia 19 de Outubro” o mesmo acontecerá com todos os pensionistas da Caixa Geral de Pensões.
 
António Costa garantiu ainda que nenhum pensionista vai ficar a perder comparativamente com os restantes portugueses que vão receber os já famosos 125 euros, um apoio destinado a não pensionistas com rendimentos mensais brutos até 2.700 euros. O Chefe de Governo acrescentou que “creio que não há nenhuma pensão em que o suplemento extraordinário seja inferior aos 125 euros”, salientando ainda que “não há truque nenhum”, mas sim “um suplemento extraordinário que pagamos em Outubro”.
 
O que não poderíamos fazer de forma responsável era ter um ano de inflação absolutamente extraordinário e atípico, como este, e transformá-lo num efeito permanente”, disse António Costa, que insistiu ter sido muito “claro” na sua intervenção sobre pensões ao garantir que “até ao final de 2023, os pensionistas recuperarão o poder de compra face à inflação deste ano”.
 
Em relação ao ano de 2024, o Primeiro-Ministro foi muito claro, afirmando que não se vai “pôr neste momento a discutir qual vai ser o aumento em 2024”.
 
Ainda durante a entrevista realizada no Palácio de São Bento e conduzida por José Alberto Carvalho e Pedro Santos Guerreiro, António Costa revelou que o Governo apresentou uma proposta à Assembleia da República (AR) que “será discutida na próxima sexta-feira, para fixar o montante do aumento das pensões para 2023”. “Se nós aplicássemos sem mais a lei, sem esta alteração que vamos propor à AR especificamente para 2023, nós introduziríamos como um acréscimo permanente no sistema de pensões mais dois mil milhões de euros”, afirmou o Primeiro-Ministro, voltando a referir-se à necessidade de assegurar a estabilidade da Segurança Social.
 
O Chefe de Governo referiu que “desde 2015”, o Governo socialista conseguiu acrescentar 26 anos à sustentabilidade da Segurança Social, mas se esses dois mil milhões se tornassem um valor permanente – na aplicação estrita da lei, em 2023 –, “o país perdia 13 anos de pensões”. Para António Costa “isto não seria justo, equilibrado e responsável”.
Modificado em terça, 13 setembro 2022 13:14

Deixe um comentário