segunda, 28 novembro 2022
segunda, 12 julho 2021 23:21

Estremoz - Espezinhou amigo na cabeça e na cara por este não o deixar conduzir viatura

Escrito por
O acórdão refere que a vítima actualmente "não reconhece amigos e conhecidos, tem apenas memória de curto prazo" O acórdão refere que a vítima actualmente "não reconhece amigos e conhecidos, tem apenas memória de curto prazo" DR

Irritado por não poder conduzir o carro da vítima, um jovem de 20 anos espezinhou na cabeça e na cara um seu amigo, de 30 anos. Devido a esta bárbara agressão, o homem, residente em Estremoz, sofreu lesões graves e permanentes a nível motor e cognitivo.
 
A agressão, que ocorreu em Dezembro de 2019, teve lugar no final de uma noite de diversão, na cidade de Évora, tendo a vítima, que trabalhava como empregado de mesa num hotel, sido abandonada na rua, inanimada e a esvair-se em sangue, não se recordando de nada.
 
Segundo a notícia que é avançada pelo Correio da Manhã, o autor da agressão foi condenado a 12 anos de cadeia, por homicídio qualificado na forma tentada e furto qualificado.
 
Alegando a nulidade do inquérito, o arguido recorreu da condenação para o Tribunal da Relação de Évora, que acabou agora por confirmar a decisão do Tribunal de 1ª Instância. O agressor tem ainda de indemnizar a vítima em 44760 euros, acrescidos de juros.
 
O acórdão refere que a vítima actualmente "não reconhece amigos e conhecidos, tem apenas memória de curto prazo, fala devagar, não se consegue explicar e tem um andar desengonçado". O documento, que é divulgado pelo CM, adianta que a vítima "devido às suas limitações necessita de supervisão até para efectuar as tarefas diárias de higiene pessoal".
Modificado em segunda, 12 julho 2021 23:44

Deixe um comentário

PUB