domingo, 02 outubro 2022
terça, 20 setembro 2022 16:19

Vice-Presidente da Câmara Municipal de Estremoz garante: «Pedi ao Director do Agrupamento para reconsiderar decisão»

Escrito por
Sónia Caldeira termina a sua missiva frisando não poder “aceitar que seja dito que a Câmara não fez nada” Sónia Caldeira termina a sua missiva frisando não poder “aceitar que seja dito que a Câmara não fez nada” DR

Na manhã desta terça-feira, dia 20 de Setembro, Ardina do Alentejo publicou uma entrevista com Joaquim Guerra, funcionário da Escola Básica Sebastião da Gama, em Estremoz, entrevista essa que pode ler aqui.
 
Sónia Caldeira, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, e responsável pelo Pelouro da Educação no Município estremocense, contactou, via e-mail, o Ardina do Alentejo sobre a entrevista em causa, esclarecendo que recebeu Joaquim Guerra, no seu gabinete, tendo ouvido “as suas preocupações e lamentações”.
 
A autarca referiu que “ o Sr. Guerra estava bastante nervoso pelo que tentei acalmá-lo e explicar que a gestão do pessoal não docente não é da competência da Câmara, mas sim do Director do Agrupamento”, conforme o Despacho nº 181/2022 do Município de Estremoz, “Delegação de Competências no Director do Agrupamento de Escolas de Estremoz, no âmbito da gestão e direcção dos recursos humanos afectos ao estabelecimento de educação”, assinado pelo Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, José Daniel Sádio, a 18 de Julho de 2022, que delega “no Senhor Director do Agrupamento de Escolas de Estremoz, as competências abaixo enunciadas: g) Decidir em matéria de organização e horário de trabalho, nos termos legalmente fixados; h) Gerir com rigor e eficiência, afectando, atribuindo as respectivas funções e distribuindo o serviço”.
 
Sónia Caldeira acrescenta que “ainda assim, prometi-lhe que iria falar com o Sr. Director e logo que possível dar-lhe conhecimento do conteúdo da conversa. Nesse mesmo dia, falei com o Sr. Director e dei conhecimento ao Sr. Guerra”.
 
A Vice-Presidente da autarquia estremocense salienta que “no dia seguinte” enviou um e-mail ao Director do Agrupamento de Escolas de Estremoz, José João Espadinha, pedindo-lhe para “reconsiderar a sua decisão”.
 
Sónia Caldeira termina a sua missiva frisando não poder “aceitar que seja dito que a Câmara não fez nada”.
 
No e-mail enviado pela Vice-Presidente da Câmara Municipal de Estremoz ao Director do Agrupamento de Escolas de Estremoz, e ao qual Ardina do Alentejo teve acesso, Sónia Caldeira reforça o contacto telefónico anterior relativamente ao funcionário Joaquim Guerra e pede a José João Espadinha que “reconsidere a decisão tomada de retirar o funcionário da portaria da escola”. A autarca acrescenta que “a comunidade educativa está habituada à sua presença e tendo em conta o seu currículo, a nível de segurança, parece-me ser a pessoa indicada para lidar com situações menos agradáveis de tentativas de acessos proibidos à escola”.
 
A missiva de Sónia Caldeira a José João Espadinha termina referindo que “este mail não tem qualquer carácter persuasivo” e que a decisão do Director do Agrupamento de Escolas de Estremoz “será respeitada”, não podendo a Vice-Presidente da autarquia de Estremoz “deixar de manifestar” a sua opinião “e também preocupação com a segurança e bom funcionamento da portaria da escola”. 
Modificado em terça, 20 setembro 2022 17:13

Deixe um comentário