segunda, 23 maio 2022
quarta, 04 maio 2022 22:36

Estremoz - A brincar a brincar, peça de teatro falou de assuntos muito sérios relacionados com a internet

Escrito por
Cerca de 300 alunos da Escola Secundária Rainha Santa Isabel e do Agrupamento de Escolas de Estremoz assistiram à peça Cerca de 300 alunos da Escola Secundária Rainha Santa Isabel e do Agrupamento de Escolas de Estremoz assistiram à peça DR

Na manhã do dia de ontem, 3 de Maio, terça-feira, subiu ao palco do centenário Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz, a peça de teatro “ID a tua marca na net”, uma acção de sensibilização sobre segurança online, promovida pela Direcção Nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) e pela Fundação Altice, que contou com o apoio do Município de Estremoz e da Esquadra de Estremoz da PSP.
 
Cerca de 300 alunos da Escola Secundária Rainha Santa Isabel e do Agrupamento de Escolas de Estremoz assistiram à peça cuja temática se baseia na identidade e a reputação digital, protagonizada por Tiago Aldeia, Pedro Górgia e Alexandre Silva, e que pretende sensibilizar de uma forma lúdica e envolvente, os jovens para as oportunidades e constrangimentos da utilização dos meios online.
 
No final da peça, Ardina do Alentejo esteve à conversa com os actores que compõem o elenco de “ID a tua marca na net”, e que nos falaram de como é que este projecto surgiu e de como 
 
Ardina do Alentejo - Como é que surge esta peça "ID a tua marca na net", com o Tiago Aldeia e o Alexandre Silva?
Pedro Górgia - Este projecto surge através de um convite da Fundação Altice, ocorrido há mais de 10 anos. Na altura o convite foi feito a mim, ao Alexandre Silva e ao Vicente Morais, outro actor que faz parte da equipa e que hoje em dia está mais focado na escrita dos guiões. Foi um projecto que primeiramente, e ao abrigo do programa “Comunicar em Segurança”, a ideia era abordar o tema do cyberbullying, principalmente junto das escolas e dos mais novos.
 
Depois foi evoluindo, ao longo dos anos, para este formato de peça de teatro, com a entrada do Tiago. Foi um processo de mais de 10 anos de trabalho, até chegarmos ao ponto de, à cerca de dois, três anos, termos um guião de espectáculo, em que todos ficámos satisfeitos, incluindo a Fundação Altice, e acreditamos que seja a melhor forma de comunicar a informação que se pretende, com este formato e desta forma.
 
Ardina do Alentejo – É mais fácil passar a mensagem que se pretende desta forma, através do teatro e através de vocês, actores conhecidos, do que os habituais sermões dos pais e dos avós…
Tiago Aldeia – Sim, e das palestras que costumam dar sobre estes assuntos. Encontrámos de uma forma divertida, através do humor e da comédia, passar a mensagem. O que se revelou extremamente eficaz porque de uma forma divertida eles vão absorvendo a informação e vão-se identificando com algumas das situações que acontecem com as personagens.
 
O facto de não ser uma coisa ostensiva, de colher de pau na mão, a mensagem acaba por passar de uma forma divertida, e tem-se revelado muito eficaz, não só para o público mais jovem, como para o público mais idoso. Também já fizemos sessões, que na verdade são aquelas que correm melhor, que é com pais e filhos, porque também é um tema difícil de abordar entre pais e filhos, porque muitas vezes não se sabe bem como abordar, aquela coisa dos filhos terem telemóvel, e o que é que se está passar ali dentro, e acaba por ser um espectáculo que aborda esse assunto e desbloqueia muitas dessas questões familiares da internet.
 
Ardina do Alentejo – Além da televisão e do teatro puro e duro, também é gratificante este tipo de acções e de trabalho para vocês?
Alexandre Silva – Eu acho que, e falo por mim, mas o Pedro e o Tiago partilham a mesma opinião, é das coisas mais gratificantes é tu seres reconhecido pelo trabalho que fazes em televisão e seres valorizado, neste caso por mensagens, quer dos alunos, quer dos professores, que nós recebemos nas nossas redes sociais, a dizer o que esta peça fez de bom para a vida das pessoas.
 
Não é só uma peça de teatro, é algo que tu podes levar para casa e podes mudar na tua vida, com um comportamento, com uma atitude, e mesmo até dando uma ideia ou uma dica a alguém que possa estar a passar por algum problema, porque falamos aqui de problemas graves, apesar de o fazermos na brincadeira. Falamos de sexting, de fraude, dos perfis falsos… A brincar a brincar, nós tocamos em pontos que são muito difíceis de falar na cara e nós vimos a reacção das pessoas, e no final, os professores vêm dizer-nos que “a nossa escola tem estes problemas e foi muito bom aquilo que nos trouxeram, até trouxemos o agressor e a vítima para eles se confrontarem e perceberem que isto é transversal, para terem muito cuidado com aquilo que fazem”.
 
Para mim é perfeito.
 
 
 
Modificado em quinta, 05 maio 2022 01:56

Deixe um comentário

PUB