sábado, 21 outubro 2017

Já abriu a Tasca O Carlos

Escrito por  Publicado em Reportagens quinta, 09 junho 2016 19:52
Luís Lopes garantiu que quem fizer uma visita à Tasca O Carlos “não se vai arrepender, nem sair defraudado!” Luís Lopes garantiu que quem fizer uma visita à Tasca O Carlos “não se vai arrepender, nem sair defraudado!” Pedro Soeiro
Situada na Rua Victor Cordon, e depois de uma considerável remodelação, abriu as suas portas no dia de hoje, quinta-feira, 9 de Junho, a Tasca O Carlos.
 
De geração em geração, o espaço de restauração que começou a funcionar há cerca de 60 anos, conhece em 2016 uma nova gerência e um “upgrade” nas suas instalações.
 
Aos 47 anos, Luís Lopes muda de vida e assume a gerência de um restaurante que começou a funcionar com o seu avô e que posteriormente passou para o seu pai.
 
“Ardina do Alentejo” esteve a conversa com Luís Lopes que nos referiu que quem visitar a Tasca O Carlos “vai encontrar uma dinâmica diferente, uma maneira de estar diferente. Esta casa começou com o meu avô, passou para os meus pais e agora estou eu à frente. Quando as coisas passam de geração em geração há sempre a tendência e a obrigação de melhorar e é isso que eu quero fazer”. Acrescentou ainda querer “que os estremocenses tenham mais uma casa de referência”.
 
Sobre as grandes novidades que se podem encontrar na Tasca O Carlos, Luís Lopes salientou querer “fazer uma coisa que há pouco em Estremoz, embora haja nalguns sítios, mas eu quero fazer diferente: apostar no peixe e no marisco”. Garantiu que a Tasca O Carlos “não é uma casa de peixe, não é uma marisqueira, mas sim um sítio onde se possa comer peixe fresco bom e bom marisco”. Apesar desta aposta, Luís Lopes deixou à nossa equipa de reportagem a garantia de que “não iremos descurar nunca, não iremos deixar de fora os nossos pratos tradicionais, um dos nossos fortes desde sempre”.

Apesar de considerar que em altura de crise, o investimento e a aposta feita é “bastante arriscada”, Luís Lopes, também conhecido como Bita, faz uso da expressão popular para justificar não só o dinheiro gasto, mas também a mudança de vida: “Quem não arrisca, não petisca!”. “Com o tempo vamos a ver se valeu a pena. Deus queira que sim. Será bom para mim, e para todos, e também para os postos de trabalho que estamos a criar”.
Já no final da entrevista Luís Lopes lançou o repto a todos os leitores do “Ardina do Alentejo” para que façam uma visita à Tasca O Carlos, asseverando que “não se vão arrepender, nem sair defraudados!”.
 
 
 
 

Deixe um comentário

Mais Populares