quarta, 23 agosto 2017

Ardina do Alentejo - 1º Aniversário

Escrito por  Publicado em Reportagens sábado, 23 janeiro 2016 14:21
Sou um leitor fiel do Ardina do Alentejo porque cumpre fielmente o primeiro requisito do jornalismo: dá notícias.
 
Aprecio a rapidez, o rigor e a simplicidade.
 
Para a diáspora estremocense espalhada pelo Mundo, o Ardina está já no top das suas preferências, o que coloca aos órgãos de comunicação tradicionais novos desafios: fazerem mais e em profundidade, porque as novidades já estão todas no Ardina.
 
Parabéns, Pedro Soeiro, e longa vida para o Ardina.
 
 
 
 
 

Parabéns Ardina de Estremoz!
 
É com muito prazer que felicito o Ardina por este seu primeiro aniversário!
 
O Ardina, mais que um site de notícias, é um elo de ligação, é uma partilha de informações, de afetos e de memórias dos alentejanos, em particular (por afinidade óbvia) – de nós, estremocenses, em particular.
 
O Ardina, sempre presente, sempre actual e original, habituou-nos a apresentar a notícia “despida” de interesses, “despida” de aspas e sem segundas intenções ou favorecimentos.
 
A notícia como ela é! A notícia que interessa! A notícia do (realmente) ocorrido! 
 
A notícia que não fabrica casos ou intrigas porque a alguém lhe dá jeito. A notícia  má e a boa! Mas, certamente, não publicará a não notícia. Com certeza, não publicará a notícia sem ouvir as partes, sem entender a causa, o ocorrido e as consequências. Assim, eu espero que prossiga!
 
Até hoje, não deixou de dar a notícia porque não convinha ao A ou ao Z, àquela instituição ou àquela empresa. Também, nem por isso tem favorecido o A ou o Z, por receio, medo ou... quaisquer coisas que “perversas mentes” possam alcovitar.
 
O Ardina não é o Pedro Soeiro. O Ardina é o Pedro e com quem ele tem acrescentado mais e muito a este projecto!
 
Bem-haja Pedro e quem contigo colabora. Bem-haja Ardina! Continuem o vosso trabalho de rosas e espinhos!
 
Eu e todos os estremocenses contamos convosco, hoje e amanhã!
 

 
Hoje. Amanhã. Sempre.
 
Neste tempo que é de todos nós, este que deveríamos viver, é fundamental, essencial, que para além das mil e uma preocupações diárias, de carácter prático, sentimental, social, político que temos (era óptimo que assim não fosse),  que exista informação de qualidade, sem filtros, com veracidade, clara.
 
É aqui neste “deserto” que na minha opinião pessoal fazem falta “oásis” como o Ardina do Alentejo, felizmente não é caso único, felizmente acredito que mais apareçam, felizmente existem mais pessoas como o Pedro e a sua equipa, interessadas em informar, e que esta informação não fique apenas por conceitos generalistas e globais. 
 
Faz tanta falta. 
 
E por isso o meu obrigado, obrigado por me satisfazerem a curiosidade quando quero saber algo mais sobre a minha cidade, a minha gente, quando quero “apenas” saber mais.
 
É isto que se quer, hoje, amanhã e sempre.
 
Um ano passado, mais anos virão.

 
O que posso dizer sobre o Ardina do Alentejo é que é por ele que vou sabendo e estando sempre
em cima do acontecimento, a nível de notícias regionais, boas ou más, que chegam sempre na hora.
 
Neste momento é através das redes sociais ou de meios de comunicação on-line que me informo de como vai o mundo, em particular a minha cidade.
 
Continuem com o vosso trabalho informativo, actualizado e sempre na hora...
 
Parabéns pelo serviço cívico que prestam!
 
 

Deixe um comentário

Mais Populares