quinta, 29 outubro 2020
sexta, 21 agosto 2020 23:20

Mora: Por suspeita de crime, Ministério Público abriu inquérito ao surto de Covid-19

Escrito por
No Hospital do Espírito Santo de Évora permanecem internados cinco doentes, quatro deles nos cuidados intensivos No Hospital do Espírito Santo de Évora permanecem internados cinco doentes, quatro deles nos cuidados intensivos DR
Fonte da Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou à TVI que o Ministério Público (MP) abriu um inquérito ao surto de Covid-19 que se verifica no concelho de Mora.
 
Segundo a Procuradoria "o inquérito tem por objecto uma situação concreta relacionada com o suto de Mora, no âmbito do qual não deixarão de ser investigados todos os factos que chegarem ao conhecimento do Ministério Público e que sejam susceptíveis de integrarem a prática de crime".
 
Ainda segundo a estação televisiva sedeada em Queluz de Baixo, o inquérito está a ser dirigido pelo Ministério Público do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Évora.
 
Segundo informação avançada pelo Presidente da Câmara Municipal de Mora, Luís Simão de Matos, são já 56 as pessoas infectadas com Covid-19 na vila de Mora. Registaram-se assim nesta sexta-feira quatro novos casos.
 
O autarca morense, que se encontra em confinamento obrigatório decretado pela Autoridade de Saúde Pública depois de dois funcionários da Câmara Municipal de Mora terem testado positivo para Covid-19, adiantou ainda que “todos os bombeiros” da corporação local “testaram negativo”.
 
No Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), permanecem internados cinco doentes, quatro deles nos cuidados intensivos e um em enfermaria.
 
Já durante a semana que agora termina, o Presidente do Município de Mora tinha afirmado ter “conhecimento de investigações em curso pelas autoridades policiais” sobre o surto de Covid-19 que se abateu sobre o seu concelho, admitindo que o mesmo pudesse resultar da “incúria de alguém”.
 
Daquilo que tenho conhecimento, é que há investigações em curso pelas autoridades policiais, acerca do doente zero”, porque “desconfia-se que pode ter havido aqui incúria de alguém”, afirmou Luís Simão de Matos.
 
O surto da doença provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 pode dever-se a “alguém que não se terá comportado como devia, no sentido de se ter percebido mais cedo a origem do surto” declarou o autarca.
 
Espero que não se confirme isso, naturalmente. As autoridades estão a investigar mas se se apurar responsabilidade de alguém, essas pessoas devem ser severamente responsabilizadas” defendeu.
 
A Guarda Nacional Republicana (GNR) também tinha confirmado à agência LUSA que "continuava a efectuar diligências no sentido de apurar pessoas que eventualmente possam ter desrespeitado ou estejam a desrespeitar as normas em vigor estabelecidas pela Direcção Geral da Saúde (DGS)”.
Modificado em sábado, 22 agosto 2020 09:16

Deixe um comentário