domingo, 17 novembro 2019
terça, 08 outubro 2019 01:51

Legislativas 2019 - Resultados no distrito de Beja

Escrito por
O partido liderado por António Costa venceu nos 14 concelhos do distrito bejense O partido liderado por António Costa venceu nos 14 concelhos do distrito bejense DR
O Partido Socialista (PS) foi o partido mais votado no distrito de Beja, alcançando 40,71% dos votos, elegendo dois deputados. O partido liderado por António Costa venceu nos 14 concelhos do distrito bejense, tendo obtido a sua votação mais expressiva em Almodôvar, com 48,49% de votos. A CDU - Coligação Democrática Unitária foi a segunda força política mais votada no distrito do Baixo Alentejo, tendo obtido 22,80% dos votos, conseguindo eleger um deputado. A CDU obteve no concelho de Serpa o seu melhor resultado, com 33,54% dos votos. O Partido Social Democrata (PSD) obteve apenas 13,29% dos votos, não conseguindo eleger qualquer deputado. A melhor prestação do partido liderado por Rui Rio foi em Ourique, onde os sociais-democratas alcançaram 24,65% da votação.
 
Destaque ainda nesta observação de resultados para o Bloco de Esquerda (BE), que embora perca eleitores, em relação às Legislativas de 2015, ganha em percentagem de votantes, e para o Chega, de André Ventura, que fica no distrito bejense, e à semelhança do que acontece nos outros dois distritos alentejanos, à frente do PAN - Pessoas - Animais - Natureza, partido que em relação às legislativas de 2015, mais que duplica a sua votação no distrito (608 votos em 2015 para 1269 votos em 2019).
 
Cuba foi o concelho onde a abstenção foi mais baixa (42,83%) e Moura foi o concelho onde menos gente foi votar (57,33%).
 
Os deputados que irão representar o distrito de Beja na Assembleia da República são Pedro Nuno Carmo e Telma Guerreiro, ambos do PS, e João Manuel Dias, da CDU. Se para Pedro Nuno Carmo e João Manuel Dias os corredores do Palácio de São Bento não são novidade, visto que já tinham sido eleitos nas Legislativas de 2015 (embora João Manuel Dias apenas desempenhe as funções de deputado na Assembleia da República desde Janeiro de 2018), já para Telma Guerreiro esta eleição é uma novidade. À semelhança do que acontece um pouco em todos os círculos eleitorais, com cargos e funções a terem que ficar para trás, a actual vereadora na Câmara Municipal de Ourique terá de abdicar deste seu cargo autárquico para poder desempenhar funções na Assembleia da República.
 

Modificado em terça, 08 outubro 2019 04:03

Deixe um comentário