domingo, 16 dezembro 2018

Viatura e dois corpos retirados da pedreira em Borba

Escrito por  Publicado em Região sexta, 30 novembro 2018 13:05
Fica a faltar recuperar, pelo menos, um corpo e a viatura onde seguia Fica a faltar recuperar, pelo menos, um corpo e a viatura onde seguia DR
Uma viatura, que se encontrava submersa na sequência do colapso da Estrada Municipal 255 (EM 255), foi retirada da pedreira, em Borba, ao final da manhã desta sexta-feira, dia 30 de Novembro, confirmou o Ardina do Alentejo junto de fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR). No interior encontravam-se os corpos de duas vítimas. 
 
Foi a equipa de mergulhadores do GIPSGrupo de Intervenção, Protecção e Socorro da GNR que localizou a viatura depois de, ao início da tarde de ontem, quinta-feira, um sonar da Marinha Portuguesa ter detectado uma estrutura metálica “a uma profundidade de cerca de 7 metros" que poderia ser uma das viaturas submersas. Tal como se suponha, a estrutura metálica era a de uma viatura, que foi retirada ao final da manhã desta sexta-feira.
 
Tudo indica que os dois corpos serão os dos dois cunhados que seguiam nessa carrinha e que estavam desaparecidos desde o dia da derrocada: José Rocha, conhecido como “Zé Algarvio”, de 53 anos, e Carlos Andrade, de 37, ambos residentes em Bencatel, no concelho de Vila Viçosa.
 
Fica a faltar recuperar, pelo menos, um corpo e a viatura onde seguia.
 
O Coronel Duarte Costa, Comandante Operacional da Protecção Civil, referiu, em conferência de imprensa, que a retirada da terceira e da quarta vítima do local da derrocada indica que "todo o trabalho que temos estado a fazer de coordenação e de prospecção no teatro de operações tem produzido os seus resultados".
 
O Coronel Duarte Costa explicou aos jornalistas que ainda se procurou resgatar dentro da água da pedreira esta terceira e quarta vítimas do deslizamento de terra e colapso da estrada municipal 255, entre Borba e Vila Viçosa, mas a operação teve de ser alterada.
 
Tentou-se fazer o desencarceramento ainda dentro de água, mas, devido ao estado que a viatura apresentava”, com a deformação da estrutura metálica da carrinha de caixa aberta, as duas vítimas estavam encarceradas no interior, referiu.
 
Por isso, “foi decidido retirar a viatura para uma plataforma seca e, dentro de toda a segurança, fazer as operações de resgate das vítimas já fora de água”. “Foi uma operação complexa, difícil, com algum grau de perigosidade, mas os nossos operacionais estiveram ao mais alto nível e correu tudo bem".
 
Acrescentou ainda que a ANPC e todos os operacionais envolvidos nesta operação vão continuar a trabalhar, "e demore o tempo que demorar, vamos levar esse trabalho até ao fim, até termos a certeza de que não há mais viaturas e mais vítimas".  
 
O deslizamento de um grande volume de terra na Estrada Municipal 255, entre Borba e Vila Viçosa, provocou a deslocação de uma quantidade significativa de rochas, de blocos de mármore e de terra para o interior de duas pedreiras contíguas, no dia 19 deste mês, pelas 15:45 horas.
 
c/ Observador

Deixe um comentário