domingo, 16 dezembro 2018

Buscas na pedreira de Borba continuam esta quinta-feira com mais meios

Escrito por  Publicado em Região quinta, 22 novembro 2018 02:22
Operações devem prolongar-se por vários dias. Três pessoas continuam desaparecidas Operações devem prolongar-se por vários dias. Três pessoas continuam desaparecidas DR
As tréguas da chuva e a instalação de uma motobomba para drenagem de água deram, no dia de ontem, quarta-feira, 21 de Novembro, uma oportunidade aos mergulhadores da Força Especial de Bombeiros. Ainda assim, não foi possível resgatar o corpo da segunda vítima mortal confirmada, nem localizar as três pessoas dadas como desaparecidas na sequência da derrocada do troço da Estrada Nacional 255 (EN 255), entre Borba e Vila Viçosa, ocorrida na passada segunda-feira. A operação, de grande complexidade, continua hoje, quinta-feira, e deverá prolongar-se por vários dias.
 
As buscas, suspensas ao final da tarde de ontem, já foram retomadas, na manhã desta quinta-feira. Desta vez com o auxílio de uma motobomba com o triplo da capacidade daquela que na quarta-feira, e durante toda a noite, continuou a bombear água do enorme lago formado no fundo da pedreira. Em simultâneo, continuam as operações de busca pelos três desaparecidos, que seguiriam numa carrinha de caixa aberta e num carro, no momento em que a estrada municipal se abateu, desfazendo-se para dentro da pedreira.
 
Nestas operações será usado novo equipamento, nomeadamente da Marinha Portuguesa, que permitirá às equipas “ter uma análise mais pormenorizada do fundo da pedreira” e porventura identificar uma das viaturas, informou o Comandante Distrital de Operações de Socorro de Évora, José Maria Ribeiro, no ponto de situação, às 20 horas de ontem. Para agilizar o apoio aos operacionais, a Câmara Municipal de Borba accionou o Plano Municipal de Emergência.
 
No local estiveram agentes da Polícia Judiciária (PJ), que coadjuvam o Ministério Público (MP) no inquérito que este instaurou. E ainda inspectores da Inspecção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, a quem a tutela deu 45 dias para inspeccionar o licenciamento, exploração, fiscalização e suspensão de operação das pedreiras de Borba.
 
A derrocada afectou ainda o abastecimento de água a Vila Viçosa, onde nas zonas altas se nota falta de pressão nas torneiras. A câmara municipal está a “resolver a situação”, disse o autarca Luís Nascimento, apelando à população que restrinja o consumo de água ao estritamente essencial.
 
O funeral da única vítima retirada do local, Gualdino Pita, um operário de 49 anos da empresa que explora a pedreira, realizou-se no dia de ontem, no concelho de Alandroal.
 
c/ Público

Deixe um comentário