segunda, 28 maio 2018

Há cinco razões para acreditar que haverá uma fábrica da Tesla no Alentejo

Escrito por  Publicado em Região quinta, 30 março 2017 01:47
A região sul do país é a que reúne mais condições para acolher a unidade que produz os carros eléctricos da marca norte-americana A região sul do país é a que reúne mais condições para acolher a unidade que produz os carros eléctricos da marca norte-americana DR
Parece ser uma escolha unânime: o Alentejo é a região portuguesa mais provável para a Tesla instalar a sua gigafábrica. Se Elon Musk vier a escolher Portugal para instalar uma nova fábrica na Europa, a região sul do país é a que reúne mais condições para acolher a unidade que produz os carros eléctricos da marca norte-americana.
 
A conclusão é dos estudos realizados pelo movimento "Bring Tesla Gigafactory to Portugal", um movimento "agregador da sociedade civil" que nasceu espontaneamente no Facebook em Novembro, após a Tesla ter abordado vários países europeus com o objectivo de procurar uma localização para uma segunda fábrica na Europa. Portugal foi um dos países que recebeu uma comitiva da Tesla, conforme avançou o Ministério da Economia em Novembro.
 
A gigafábrica em Portugal "dificilmente será noutro sítio que não o Alentejo", disse Rui Miguel Coelho, co-fundador deste movimento que não tem ligações nem à Tesla, nem a entidades oficiais e cujo objectivo é apenas tentar chamar a atenção de Elon Musk para escolher Portugal para instalar a sua gigafábrica.
 
Há um total de 120 pessoas envolvidas neste projecto e que estão a trabalhar pro bono, ou seja, sem receber nada em troca. O estudo já mereceu o interesse do próprio Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.
 
"Todos os estudos técnicos que os nossos engenheiros e equipa de trabalho fez, apontam claramente que seja no Alentejo. É muito improvável que seja noutro sítio que não o Alentejo", afirmou numa apresentação realizada na escola de negócios AESE, em Lisboa, que serviu para apresentar o estudo levado a cabo pelo movimento. 
 
Esta escolha do Alentejo, segundo as conclusões preliminares do estudo, está suportada em cinco factores:
Espaço – Uma fábrica de baterias da Tesla necessita de pelo menos de uma área de pelo menos 12 quilómetros quadrados. O Alentejo é considerado o melhor local por isso e por também estar próximo do Porto de Sines, que pode beneficiar de fundos comunitários que permitam criar uma plataforma logística e de mercadorias para produção e exportação de veículos da marca norte-americana;
 
Apoio japonês – Vários responsáveis das autoridades japonesas têm estado a acompanhar os oito grupos de trabalho constituído pelo movimento de apoio ao investimento da Tesla. Poderão sensibilizar a Panasonic, uma das principais investidoras da Tesla e que é “líder na investigação da sustentabilidade e longevidade de baterias”; 
 
Reconhecimento norte-americano – A startup portuguesa InoCrowd, que resolve os problemas das empresas através de uma espécie de rede social da inovação, é uma das principais apoiantes do movimento que quer atrair o investimento da Tesla para Portugal. Depois de ter recebido investimento da Cisco, tem “dado nas vistas nos EUA e criou uma alavanca adicional de reconhecimento da excelência das competências dos engenheiros portugueses, o que importa, e muito, a Elon Musk”; 
 
Portugalidade – O movimento de apoio à Tesla acredita que há uma forte ligação entre a cultura portuguesa e a cultura de desenvolvimento da Tesla. Criou, por isso, o acrónimo IDEA Factor, que junta inovação, disrupção, exploração e adaptação + acção. “Mais do que apenas critérios financeiros e fiscais, o CEO da Tesla move-se por critérios igualmente emocionais, o que dá vantagem adicional a Portugal”; 
 
Apoio do Governo – A UMM foi a última marca automóvel 100% portuguesa de referência. Inicialmente uma desvantagem, “a falta de uma grande empresa nesta indústria pode facilitar o apoio governamental a uma marca como a Tesla. Todos os outros países candidatos têm marcas automóveis nacionais que podem por em causa o comprometimento anterior de fundos e políticas públicas”. 
 
No início de Novembro, o líder da Tesla, Elon Musk, revelou que a companhia estava a planear instalar uma fábrica na Europa e que o país seria escolhido no próximo ano.
 
Vários países europeus, como Espanha, Holanda e França, chegaram-se à frente para atrair o investimento da Tesla. Em Fevereiro, a Tesla anunciou que iria anunciar as localizações das suas próximas três gigafábricas ainda este ano, não detalhando se alguma vai ser na Europa.
 
c/ Dinheiro Vivo e Jornal de Negócios

Deixe um comentário

Mais Populares