segunda, 01 junho 2020
De acordo com a Autoridade Local de Saúde, não se registam novos casos Covid-19 no concelho de Campo Maior.
 
O Município de Campo Maior, através de uma publicação na sua página oficial na rede social Facebook, informa que os quatro residentes no concelho, que testaram positivo para Covid-19 na passada semana, fizeram um segundo teste, cujo resultado deu negativo.
 
Perante este novo cenário, os três funcionários do lar da freguesia campomaiorense de Degolados e uma outra pessoa, residente na vila de Campo Maior, vão nos próximos dias ser sujeitos a novo teste para confirmação do diagnóstico.
Modificado em terça, 21 abril 2020 16:39
Segundo foi anunciado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), no boletim epidemiológico desta terça-feira, continuam a ser 173 os casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus na região Alentejo
 
O concelho de Moura, com 29 casos registados (mais um caso do que os registados no boletim de ontem), o concelho de Serpa, com 18 casos registados, o concelho de Évora, com 19 casos registados (mais dois casos do que os registados no boletim de segunda-feira), o concelho de Santiago do Cacém, com 13 casos registados, o concelho de Beja, com nove casos, o concelho de Reguengos de Monsaraz, com sete casos, o concelho de Grândola, também com sete casos registados, o concelho de Elvas, tem agora seis casos registados (menos um caso do que os registados no boletim de ontem), o concelho de Portalegre, com seis casos registados, o concelho de Alcácer do Sal, com cinco casos e o concelho de Almodôvar, com três casos registados são agora os 11 concelhos da região Alentejo que surgem no boletim epidemiológico da DGS, na área dedicada à caracterização demográfica dos casos confirmados, que agora é apresentado por ordem alfabética.
 
No boletim epidemiológico desta terça-feira, destaque para o desaparecimento do concelho de Sines, que no boletim de ontem apresentava quatro casos positivos. Destaque igualmente para a subida do número de casos nos concelhos de Évora e de Moura e para a descida do número de infectados com Covid-19 no concelho de Elvas.
 
A DGS salienta que nesta página do relatório de situação, a "informação apresentada refere ao total de notificações clínicas no sistema SINAVE. Quando os casos confirmados são inferiores a três, por motivos de confidencialidade, os dados não são apresentados".
 
Esta informação reportada por concelho de ocorrência é relativa a 83% dos casos confirmados.
 
 
 
 
 
 
 
 
Modificado em terça, 21 abril 2020 13:43
Segundo foi anunciado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), no boletim epidemiológico desta segunda-feira, continuam a ser 161 os casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus na região Alentejo
 
O concelho de Moura, com 28 casos registados, o concelho de Serpa, com 18 casos registados, o concelho de Évora, com 17 casos registados, o concelho de Santiago do Cacém, com 13 casos registados, o concelho de Beja, com nove casos, o concelho de Reguengos de Monsaraz, com sete casos, o concelho de Grândola, também com sete casos registados, o concelho de Elvas, agora igualmente com sete casos registados (mais três casos do que os registados no boletim de ontem), o concelho de Portalegre, com seis casos registados, o concelho de Alcácer do Sal, com cinco casos, o concelho de Sines, com quatro casos registados e o concelho de Almodôvar, com três casos registados continuam a ser os 12 concelhos da região Alentejo que surgem no boletim epidemiológico da DGS, na área dedicada à caracterização demográfica dos casos confirmados, que agora é apresentado por ordem alfabética.
 
No boletim epidemiológico desta segunda-feira, destaque para a subida do número de casos no concelho de Elvas.
 
A DGS salienta que nesta página do relatório de situação, a "informação apresentada refere ao total de notificações clínicas no sistema SINAVE. Quando os casos confirmados são inferiores a três, por motivos de confidencialidade, os dados não são apresentados".
 
Esta informação reportada por concelho de ocorrência é relativa a 83% dos casos confirmados.
 
 
 
 
 
 
 
 
Modificado em segunda, 20 abril 2020 13:11
Na noite do passado sábado, dia 18 de Abril, por volta das 21:30 horas, um grupo de pessoas residentes no concelho de Monforte, pertencentes a uma comunidade de etnia, invadiram o quartel dos Bombeiros Voluntários daquela localidade do distrito de Portalegre, gerando uma situação onde o pânico foi notório e onde foi colocado em causa o trabalho e o bom desempenho das funções dos Soldados da Paz.
 
Contactado pelo Ardina do Alentejo, o Presidente da Câmara Municipal de Monforte, Gonçalo Lagem, confirmou o incidente, adiantando que “uma criança da comunidade cigana que vive no concelho terá perdido os sentidos, e a sua família, ao contrário do que faria qualquer outra pessoa, que seria entrar em contacto com o 112, resolveram dirigir-se para o quartel dos bombeiros, num grupo de 30 a 40 pessoas, invadindo o quartel, arrombando as instalações, gerando o pânico e exigindo que a criança fosse socorrida”. O edil monfortense garantiu que “a criança foi socorrida, situação que aliás nunca esteve em causa, mas não tem de ser assim, e as situações não se resolvem desta forma”.
 
Gonçalo Lagem adiantou que o Município, no decorrer da próxima semana, “vai colocar uma vedação, com videovigilância, no quartel dos bombeiros”. “Quer no quartel dos bombeiros, quer no centro de saúde, locais onde se têm registado este tipo de incidentes, o que tem de reinar é a calma” frisou o autarca.
 
Gonçalo Lagem refere ainda que “apesar de tudo, a GNR tem feito um trabalho notável, e que é de louvar, mas tem de haver mais acção no que diz respeito ao policiamento de proximidade para que episódios como o que aconteceu ontem, e que se repetem quase todos os dias, não terem repetições”.
 
O autarca revelou que, ainda antes deste incidente, já contactou o Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, expondo as situações constantemente vividas e exigindo um reforço policial no concelho. “Em termos camarários temos feito tudo o que está ao nosso alcance, tentando atenuar este tipo de situações, mas não conseguimos fazer muito mais, e é preciso efectivamente fazer mais em prol da segurança dos monfortenses, que vivem com receio das acções desta comunidade”.
 
Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, este tipo de comportamento por parte desta comunidade de etnia é frequente, tendo nos últimos meses sido verificadas várias situações, com invasões ao Centro de Saúde de Monforte, e constantes ameaças aos profissionais de saúde.
 
Gonçalo Lagem assevera ainda que o principal problema tem a ver com o comportamento agressivo desta comunidade, “e com as constantes exigências de tratamento diferenciado em relação ao resto da população, gerando o pânico sem necessidade”.
Modificado em quarta, 22 abril 2020 03:26
Segundo foi anunciado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), no boletim epidemiológico deste domingo, continuam a ser 158 os casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus na região Alentejo
 
O concelho de Moura, com 28 casos registados, o concelho de Serpa, com 18 casos registados, o concelho de Évora, com 17 casos registados (menos três que os registados no boletim de ontem), o concelho de Santiago do Cacém, com 13 casos registados, o concelho de Beja, com nove casos, o concelho de Reguengos de Monsaraz, com sete casos, o concelho de Grândola, com sete casos registados, o concelho de Portalegre, com seis casos registados (mais dois que os registados no boletim de ontem), o concelho de Alcácer do Sal, com cinco casos, o concelho de Sines, com quatro casos registados, o concelho de Elvas, também com quatro casos registados e o concelho de Almodôvar, com três casos registados continuam a ser os 12 concelhos da região Alentejo que surgem no boletim epidemiológico da DGS, na área dedicada à caracterização demográfica dos casos confirmados, que agora é apresentado por ordem alfabética.
 
No boletim epidemiológico deste domingo, destaque para a subida, pelo segundo dia consecutivo, do número de casos no concelho de Portalegre e a descida do número de casos de pessoas infectadas com Covid-19 no concelho de Évora.
 
A DGS salienta que nesta página do relatório de situação, a "informação apresentada refere ao total de notificações clínicas no sistema SINAVE. Quando os casos confirmados são inferiores a três, por motivos de confidencialidade, os dados não são apresentados".
 
Esta informação reportada por concelho de ocorrência é relativa a 85% dos casos confirmados.
 
 
 
 
 
 
 
 
Modificado em domingo, 19 abril 2020 13:28
Segundo foi anunciado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), no boletim epidemiológico deste sábado, subiu para 158 os casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus na região Alentejo
 
O concelho de Moura, com 28 casos registados, o concelho de Évora, com 20 casos registados, o concelho de Serpa, com 18 casos registados, o concelho de Santiago do Cacém, com 13 casos registados, o concelho de Beja, com nove casos, o concelho de Reguengos de Monsaraz, com sete casos (menos um que os registados no boletim de ontem), o concelho de Grândola, com sete casos registados, o concelho de Alcácer do Sal, com cinco casos, o concelho de Sines, com quatro casos registados, o concelho de Elvas, também com quatro casos registados, o concelho de Portalegre, igualmente com quatro casos registados (mais um que os registados no boletim de ontem) e o concelho de Almodôvar, com três casos registados são os 12 concelhos da região Alentejo que surgem no boletim epidemiológico da DGS, na área dedicada à caracterização demográfica dos casos confirmados, que agora é apresentado por ordem alfabética.
 
No boletim epidemiológico deste sábado, destaque para a subida do número de casos no concelho de Portalegre e a descida do número de casos de pessoas infectadas com Covid-19 no concelho de Reguengos de Monsaraz.
 
A DGS salienta que nesta página do relatório de situação, a "informação apresentada refere ao total de notificações clínicas no sistema SINAVE. Quando os casos confirmados são inferiores a três, por motivos de confidencialidade, os dados não são apresentados".
 
Esta informação reportada por concelho de ocorrência é relativa a 82% dos casos confirmados.
 
 
Modificado em sábado, 18 abril 2020 13:13
O Grupo de Acção Local Alentejo Central, da Associação MONTE, criou a iniciativa "Do Campo para a Mesa", que pretende juntar os pequenos produtores agroalimentares da nossa região, para divulgação junto dos consumidores, contribuindo não só para o escoamento da produção, que a situação actual veio impedir, como também para a importância da valorização dos produtos locais e da época.
 
Esta iniciativa justifica-se pelo facto das famílias portuguesas estarem limitadas nos seus movimentos, devido à quarentena que se empenham em cumprir, e, por outro lado, porque os agricultores e produtores portugueses estão limitados nas suas opções porque o mercado também está de quarentena e têm produtos de qualidade que não conseguem escoar.
 
O Monte ACE criou uma listagem onde os agricultores e produtores se podem registar e compromete-se a divulgar esta lista de produtores junto dos consumidores da região! 
 
Note-se que só serão aceites nesta lista os pequenos produtores, de serviços de entrega de alimentos (hortícolas, frutícolas, transformação primária, enchidos, queijo, etc).
 
Os produtores interessados em divulgar os seus produtos na plataforma "Do Campo para a Mesa", devem preencher o formulário que podem encontrar aqui.
 
A plataforma "Do Campo para a Mesa" já está disponível no site da MONTE, em www.monte-ace.pt.
Modificado em sábado, 18 abril 2020 11:40
Numa publicação efectuada na sua página pessoal na rede social Facebook, Ricardo Cardoso, antigo Padre da Paróquia de Borba, mostra o seu descontentamento pela realização das Comemorações do 25 de Abril, manifestando que as mesmas são o resultado de “decisões dos bolcheviques políticos da geringonça e seus sequazes”.
 
No seu post, ilustrado com uma fotografia onde surgem António Costa, Marcelo Rebelo de Sousa e Ferro Rodrigues, o padre diz sentir-se “imensamente ‘orgulhoso’” quando observa “o esforço de milhões de portugueses que, confinados em casa ou arriscando as suas vidas nas suas profissões de auxílio directo à população, têm sido o motivo do tão falado ‘milagre’ português”! O pároco chega mesmo a afirmar que “somos realmente o ‘nobre povo e nação valente’”.
 
Na sua publicação, ilustrada igualmente com dois recortes noticiosos sobre as Comemorações do 25 de Abril e sobre as Comemorações do 1º de Maio, o sacerdote deixa mesmo a pergunta: “Olhando para as notícias, alguém me consegue explicar o que se passa?”. 
 
Para Ricardo Cardoso, as notícias “devem ser os efeitos dos carnavais do Terreiro do Paço...”.
 
Em resposta a um dos muitos comentários que esta publicação mereceu, Ricardo Cardoso salientou estar a fazer esta “publicação enquanto cidadão e não enquanto padre” afirmando mesmo ter o direito a se pronunciar visto pagar os seus “impostos como qualquer outro cidadão”.
 
De recordar que, em meados do mês de Março, no início da pandemia, o Padre Ricardo Cardoso regressou de Itália, onde se encontrava a estudar. 
Modificado em quarta, 22 abril 2020 00:32
Segundo foi anunciado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), no boletim epidemiológico desta sexta-feira, subiu para 158 os casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus na região Alentejo
 
O concelho de Moura, com 28 casos registados, o concelho de Évora, com 20 casos registados, o concelho de Serpa, com 18 casos registados, o concelho de Santiago do Cacém, com 13 casos registados (mais um que os registados no boletim de ontem), o concelho de Beja, com nove casos, o concelho de Reguengos de Monsaraz, com oito casos, o concelho de Grândola, com sete casos registados, o concelho de Alcácer do Sal, com cinco casos, o concelho de Sines, com quatro casos registados, o concelho de Elvas, também com quatro casos registados, o concelho de Portalegre, com três casos registados e o concelho de Almodôvar, igualmente com três casos registados são os 12 concelhos da região Alentejo que surgem no boletim epidemiológico da DGS, na área dedicada à caracterização demográfica dos casos confirmados, que agora é apresentado por ordem alfabética.
 
No boletim epidemiológico desta sexta-feira, destaque para a subida do número de casos no concelho de Santiago do Cacém.
 
A DGS salienta que nesta página do relatório de situação, a "informação apresentada refere ao total de notificações clínicas no sistema SINAVE. Quando os casos confirmados são inferiores a três, por motivos de confidencialidade, os dados não são apresentados".
 
Esta informação reportada por concelho de ocorrência é relativa a 82% dos casos confirmados.
 
 
Modificado em sexta, 17 abril 2020 12:43