quarta, 23 agosto 2017
No âmbito das homenagens ao Padre Joaquim Espanca, pelo 120.º aniversário do seu falecimento, no dia 17 de Dezembro, Sábado, será apresentada a nova edição da obra "Compêndio de Notícias de Vila Viçosa", da autoria deste ilustre calipolense.  
 
A obra, original de 1892, conheceu apenas uma única republicação, entre 1982-1985, por acção da Câmara Municipal de Vila Viçosa, que se encontra, actualmente, esgotada. A edição que agora se publica foi transcrita directamente do original de 1892.
 
A apresentação da obra acontecerá no Salão Nobre da Câmara Municipal de Vila Viçosa, pelas 17 horas, com a apresentação do investigador Carlos Filipe, coordenador da edição, e de José Eduardo Franco, da Faculdade de Letras de Lisboa, e ainda a presença do Presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa, Manuel Condenado.

Montemor-o-Novo: Despiste na A6 provoca dois mortos

Escrito por quarta, 30 novembro 2016 21:26
Duas pessoas morreram hoje na sequência de um despiste de automóvel na A6, no concelho de Montemor-o-Novo. O automóvel em que seguiam as duas vítimas saiu da autoestrada e embateu contra um muro de betão, disse fonte dos bombeiros e da GNR à agência Lusa.
 
O acidente ocorreu ao quilómetro 37, na zona de Montemor-o-Novo, no sentido Caia-Marateca, tendo o alerta sido dado às 16:14 horas.
 
As vítimas, alegadamente marido e mulher, são um homem de 72 anos e uma mulher de 67, residentes na zona de Algés, concelho de Oeiras (distrito de Lisboa).
 
As operações de socorro mobilizaram meios e operacionais dos bombeiros de Évora e de Montemor-o-Novo, uma viatura médica de emergência e reanimação (VMER) e a GNR.
Por alegado assédio moral aos profissionais do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), a Ordem dos Enfermeiros (OE) pediu a demissão do enfermeiro director da unidade hospitalar, José Chora, admitindo até avançar com uma participação criminal.
 
O pedido de demissão do responsável e a possível participação criminal foram divulgados em comunicado publicado na página da internet da OE, no qual revela que já notificou o Conselho de Administração do HESE da sua posição.
 
Contactada pela Lusa, a bastonária da OE, Ana Rita Cavaco, justificou o pedido de demissão por a Ordem ter recebido “muitas exposições por escrito sobre a actuação do enfermeiro director” do HESE, que “configura a prática de mobbing”.
 
Ana Rita Cavaco referiu que “o Hospital de Évora tem sido um foco de atenção muito grande por parte da Ordem, porque temos um número elevado de exposições e foi um dos primeiros que visitámos”, mas, “quase seis meses depois, continua tudo na mesma ou pior”.
 
Em termos gerais, a bastonária relatou que faltam 30 mil enfermeiros no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e que muitos dos que lá trabalham “são ameaçados, coagidos ou obrigados a trabalhar mais horas para além daquilo que é legal”.
 
A responsável frisou que o assédio moral (mobbing) “interfere muito na produtividade” em qualquer área profissional, mas alertou que, no caso dos hospitais, “traduz-se em falhas de segurança graves nos cuidados prestados aos doentes”.
 
Segundo a bastonária, nas exposições que chegaram à Ordem, os profissionais relacionaram o elevado número de baixas médicas com a actuação do enfermeiro director. A OE “não pode permitir ter nas direcções enfermeiros que potenciem estas situações”, realçou.
 
Assinalou ainda que “as pessoas estão já num estado de exaustão tal e incapazes de responder àquilo que são as suas atribuições, que é cuidar dos doentes em segurança, que acabam por desistir e ir para casa porque efectivamente têm motivos para o fazer”.
 
A Lusa tentou contactar a presidente do Conselho de Administração do HESE, Filomena Mendes, mas não obteve uma resposta em tempo útil.
 
c/ LUSA

Coudelaria de Alter do Chão vai acolher um hotel

Escrito por sexta, 25 novembro 2016 11:01
Tendo como objectivo "potenciar o turismo" naquela região, o Governo vai concessionar a privados, espaços edificados da Coudelaria de Alter do Chão, para a construção de um hotel.
 
Este projecto na Coudelaria de Alter do Chão, que é gerida pela Companhia das Lezírias, e de acordo com o Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, vai contar também com um investimento do Turismo de Portugal na recuperação de infraestruturas.
 
"O investimento será privado, mas passa por mais do que isso, passa por um compromisso do Turismo de Portugal para investimento na renovação das infraestruturas que estão à volta do que será o hotel", disse.
 
O governante, que falava no decorrer de um debate sobre o futuro da Coudelaria de Alter do Chão, promovido naquela vila alentejana pela Comissão Política Concelhia do PS de Alter, adiantou que "há interesse de investidores privados" em desenvolver um projecto turístico naquele espaço.
 
"O que nós vemos é o projecto do hotel, como um projecto privado, que tem que ter viabilidade para o qual o Turismo de Portugal com as linhas especiais de crédito que tem vai disponibilizar, da mesma forma que faz no Programa REVIVE", disse.
 
Esta iniciativa do PS de Alter do Chão contou ainda com a presença do Ministro da Agricultura, Capoulas Santos, e do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, que estão também envolvidos neste projecto turístico em redor da coudelaria.
 
Capoulas Santos sublinhou por sua vez que é em redor do turismo que passa o futuro da Coudelaria de Alter do Chão, não esquecendo as outras componentes que dão vida àquele equipamento, nomeadamente a criação e projecção do Cavalo Alter Real.
 
O ministro da Agricultura referiu que o projecto em redor do turismo vai arrancar na coudelaria "a curto prazo", numa "estratégia concertada" entre os vários ministérios.
 
Para o Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, o património histórico do Cavalo Alter Real "é para preservar", defendendo que o projecto turístico vai trazer "mais emprego e mais recursos" para a região.
 
"Este é um património da terra (Alter do Chão), do distrito de Portalegre, mas é um património que tem que se projectar em bem estar. E, para isso, temos que tratar bem dos cavalos, mas temos que criar à volta disso riqueza, emprego, e para isso temos que investir na criação de riqueza", defendeu.
 
Em Março de 2007, a coudelaria que emprega cerca de 30 pessoas, passou a ser gerida pela Fundação Alter Real (FAR), após a extinção do Serviço Nacional Coudélico, no âmbito do Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado.
 
Após a extinção da FAR, em Agosto de 2013, a Companhia das Lezírias assumiu a gestão da coudelaria, nomeadamente as áreas da visitação e gestão das coudelarias com o ferro Alter Real e Coudelaria Nacional, cabendo a gestão do laboratório de genética molecular à Direcção Geral de Alimentação e Veterinária.
 
O projecto da FAR reuniu um grupo de 30 fundadores privados, os quais investiram 50 mil euros cada e comprometeram-se a pagar uma quota anual superior a dois mil euros.
 
Nos últimos anos, a FAR acumulou um passivo de 2,5 milhões de euros e dívidas a empresas prestadoras de serviços.
 
A Coudelaria de Alter do Chão, fundada em 1748 por D. João V, desenvolve actualmente trabalhos de selecção e melhoramento de cavalos Lusitanos e possui uma unidade clínica dotada com todos os meios para o acompanhamento e tratamento médico dos animais, acolhendo, nas suas instalações, entre outras valências, o Laboratório de Genética Molecular.
 
c/ LUSA

Évora comemora 30 anos de Património Mundial

Escrito por quinta, 24 novembro 2016 21:08
É já amanhã, sexta-feira, dia 25 de Novembro, que a cidade de Évora festeja o 30º aniversário sobre a inscrição do seu centro histórico na lista das cidades classificadas como Património Mundial pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em 1986.
 
Para assinalar a efeméride a Câmara Municipal preparou um vasto programa de actividades que decorre até 6 de Dezembro.
 
Com vários motivos de destaque, o ponto alto do programa de comemorações tem lugar no dia 25, com a realização de uma sessão evocativa dos 30 anos, agendada para as 21 horas, no Teatro Garcia de Resende (TGR). A primeira parte da cerimónia contará com intervenções de Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora, e de Ana Paula Amendoeira, Directora Regional de Cultura do Alentejo. Seguir-se-á um concerto pela Orquestra Philarmónica de Lisboa, sob a direcção do Maestro Miguel Madaleno.
 
No dia 26, sábado, referência especial para a estreia de “Marfim”, um filme-documentário de Luís Godinho em que “acompanhado pela viola campaniça, António Bexiga percorre as ruas do centro histórico de Évora e desafia outros músicos e artistas e utilizarem praças e monumentos como cenário de representação artística”. Para ver no Auditório Soror Mariana, às 21 horas.
 
A 27 de Novembro, salienta-se a “EDP Distribuição - Meia Maratona de Évora” e, à noite, o espectáculo de dança “Folclore”, de Luís Marrafa, realizado em honra da cidade, no TGR. Para o mesmo local estão calendarizados um concerto da Orquestra da Gulbenkian, no dia 30, e um espectáculo de poesia homónima por Júlio Resende e Júlio Machado Vaz, já no dia 2 de Dezembro. O programa das comemorações encerra a 6 de Dezembro com a inauguração da exposição “O Centro Histórico de Évora e as Artes do Trabalho (1939-1960)”, que ficará patente no Convento dos Remédios.
 
Recorde-se que Évora foi a segunda cidade portuguesa a ser reconhecida como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO. Na sua declaração de valor, esta organização considerou ser esta urbe “o melhor exemplo de cidade da idade de ouro portuguesa, após a destruição de Lisboa pelo terramoto de 1755".
 
O programa completo das comemorações pode ser encontrado em www.cm-evora.pt

Município de Elvas comemora um ano de Forte da Graça

Escrito por quinta, 24 novembro 2016 19:32

Ao longo dos dias 26 e 27 de Novembro, sábado e domingo, serão diversas as iniciativas com que a Câmara Municipal de Elvas irá assinalar o 
primeiro aniversário da reabertura ao público do Forte da Graça.
 
A monumental fortificação delineada pelo Conde de Lippe no séc. XVIII, após sofrer obras de requalificação durante o ano de 2015, reabriu ao público há um ano atrás, num momento marcado pela presença do então Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva e do Presidente da Câmara Municipal de Elvas, Nuno Mocinha.
 
Mais de 60 mil pessoas, no espaço de um ano, visitaram a emblemática fortificação considerada por todos os estrategas e militares como a “Chave do Reino”.
 
Durante o próximo fim-de- semana, o Forte da Graça abre as suas portas à animação, com um programa diversificado de actividades gratuitas que contempla concertos, visitas guiadas, teatro, danças, exposições e uma conferência.
 
A entrada no Forte da Graça é gratuita durante os dois dias das comemorações.
 
A organização do primeiro aniversário da maior obra da arquitectura militar é da responsabilidade do Município de Elvas.
 
O artista urbano Vhils esteve no Alandroal, mais concretamente no Monte da Fonte Santa, onde criou dois murais, com os seus já tradicionais rostos esculpidos nas paredes.
 

A obra foi executada em duas noites e um dia, a 16 e 17 de Novembro, com a ajuda do Juca, do Alcatrão e do Alexandre. Os murais podem ser vistos por quem passa na Estrada Nacional 255, estrada que liga Borba a Reguengos de Monsaraz, e que passa pela vila alentejana de Alandroal.
 
Alexandre Manuel Dias Farto (Vhils, como é conhecido na cultura graffiti) é um pintor e graffiter português, conhecido pelos seus "Rostos" esculpidos em paredes.
 
Nasceu em Lisboa em 1987. Terminou os seus estudos em 2008, na University of the Arts, em Londres.
 
Iniciou-se em pintura em 1998 com apenas onze anos. Pintava muros de ruas e comboios da margem sul do rio Tejo.
 
Este artista urbano, a partir das suas raízes do graffiti/street art, tem vindo a explorar novos caminhos dentro da ilustração, animação e design gráfico, misturando o estilo vectorial com o desenho à mão livre, aliado a formas 

contrastadas e sujas, que nos remetem para momentos épicos.
 
Em 2011, desenvolveu uma técnica usando explosivos, graffiti, restos de cartazes e até retratos feitos com metal enferrujado, para criar retratos e frases. Existem trabalhos seus espalhados por vários locais do mundo como as cidades portuguesas de Lisboa, Porto, Aveiro, e agora Alandroal, para além de capitais como Londres, Moscovo, Bogotá, e cidades como Medellín, Cali, na Colômbia, Nova York, Los Angeles e Grottaglie, no sul de Itália, entre outras.
 
Em 2012, recriou uma guitarra portuguesa para a colecção “Tudo isto é... autores” da Malabar.
 
A 9 de Junho de 2015, foi ordenado Cavaleiro da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.
 
c/TSF
 

Construção do novo Hospital de Évora vai avançar

Escrito por quinta, 17 novembro 2016 00:26
O Ministério da Saúde vai avançar, em 2017, com a construção do novo Hospital de Évora.
 
A garantia foi dada pelo próprio Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, que na passada segunda-feira, dia 14 de Novembro, deslocou-se ao Parlamento para falar sobre o próximo Orçamento de Estado e também sobre a renovação dos equipamentos para diagnóstico no Serviço Nacional de Saúde.
 
Na nota explicativa do Orçamento do Estado para 2017 lê-se que, "em articulação com o Ministério das Finanças", o Ministério da Saúde vai "proceder ao lançamento dos projectos do Hospital de Lisboa Oriental, do Hospital de Évora e do Hospital do Seixal".
 
"A instalação e construção do Hospital Oriental será talvez a intervenção estratégica mais importante que se fará em Portugal nos últimos 50 anos no Serviço Nacional de Saúde", disse o médico e ministro Adalberto Campos Fernandes. Este antigo projecto deverá estar pronto até ao final da legislatura.
 
O Governo pretende ainda avançar com duas novas unidades hospitalares no Seixal e em Évora, cuja construção avança já em 2017, a partir de financiamento nacional e comunitário.
 
Campos Fernandes quer ainda autonomia financeira dos centros hospitalares
"A partir de 1 de Janeiro, os hospitais EPE retomarão o seu quadro pleno de autonomia, mas com particular incentivo para aqueles que tiverem um bom desempenho, quer ao nível da resposta assistencial no seu quadro programa, quer ao nível do seu desempenho económico e financeiro. Esses terão privilegiada a dotação e o financiamento para o investimento e reequipamento tecnológico", disse o ministro.
 
Gestores hospitalares incumpridores serão afastados
"Quem não cumprir os contratos-programas, tem de ser afastado", comentou ainda o ministro aos jornalistas no final da audiência parlamentar.
O Orçamento de Estado na Saúde pretende gastar mais 33 milhões de euros do que em 2016.

Jovem de 19 anos morre em despiste de automóvel

Escrito por terça, 15 novembro 2016 11:56
Na sequência do despiste do automóvel onde seguia, um jovem de 19 anos morreu na noite da passada segunda-feira, dia 14 de Novembro, disse à Lusa fonte da Protecção Civil.
 
O alerta para o acidente, que ocorreu ao quilómetro 644 da Estrada Nacional 2, perto da vila de Castro Verde, foi dado às 22:36, precisou a fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja.
 
As operações de socorro envolveram meios e operacionais dos Bombeiros Voluntários de Castro Verde e da Guarda Nacional Republicana (GNR), a viatura de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Castro Verde e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Beja.
 
A mesma fonte indicou ainda que o corpo do jovem foi transportado para o Gabinete Médico-Legal e Forense do Baixo Alentejo, situado no Hospital de Beja.
 
c/ LUSA

Mais Populares