quarta, 28 junho 2017

Coudelaria de Alter do Chão vai acolher um hotel

Escrito por sexta, 25 novembro 2016 11:01
Tendo como objectivo "potenciar o turismo" naquela região, o Governo vai concessionar a privados, espaços edificados da Coudelaria de Alter do Chão, para a construção de um hotel.
 
Este projecto na Coudelaria de Alter do Chão, que é gerida pela Companhia das Lezírias, e de acordo com o Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, vai contar também com um investimento do Turismo de Portugal na recuperação de infraestruturas.
 
"O investimento será privado, mas passa por mais do que isso, passa por um compromisso do Turismo de Portugal para investimento na renovação das infraestruturas que estão à volta do que será o hotel", disse.
 
O governante, que falava no decorrer de um debate sobre o futuro da Coudelaria de Alter do Chão, promovido naquela vila alentejana pela Comissão Política Concelhia do PS de Alter, adiantou que "há interesse de investidores privados" em desenvolver um projecto turístico naquele espaço.
 
"O que nós vemos é o projecto do hotel, como um projecto privado, que tem que ter viabilidade para o qual o Turismo de Portugal com as linhas especiais de crédito que tem vai disponibilizar, da mesma forma que faz no Programa REVIVE", disse.
 
Esta iniciativa do PS de Alter do Chão contou ainda com a presença do Ministro da Agricultura, Capoulas Santos, e do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, que estão também envolvidos neste projecto turístico em redor da coudelaria.
 
Capoulas Santos sublinhou por sua vez que é em redor do turismo que passa o futuro da Coudelaria de Alter do Chão, não esquecendo as outras componentes que dão vida àquele equipamento, nomeadamente a criação e projecção do Cavalo Alter Real.
 
O ministro da Agricultura referiu que o projecto em redor do turismo vai arrancar na coudelaria "a curto prazo", numa "estratégia concertada" entre os vários ministérios.
 
Para o Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, o património histórico do Cavalo Alter Real "é para preservar", defendendo que o projecto turístico vai trazer "mais emprego e mais recursos" para a região.
 
"Este é um património da terra (Alter do Chão), do distrito de Portalegre, mas é um património que tem que se projectar em bem estar. E, para isso, temos que tratar bem dos cavalos, mas temos que criar à volta disso riqueza, emprego, e para isso temos que investir na criação de riqueza", defendeu.
 
Em Março de 2007, a coudelaria que emprega cerca de 30 pessoas, passou a ser gerida pela Fundação Alter Real (FAR), após a extinção do Serviço Nacional Coudélico, no âmbito do Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado.
 
Após a extinção da FAR, em Agosto de 2013, a Companhia das Lezírias assumiu a gestão da coudelaria, nomeadamente as áreas da visitação e gestão das coudelarias com o ferro Alter Real e Coudelaria Nacional, cabendo a gestão do laboratório de genética molecular à Direcção Geral de Alimentação e Veterinária.
 
O projecto da FAR reuniu um grupo de 30 fundadores privados, os quais investiram 50 mil euros cada e comprometeram-se a pagar uma quota anual superior a dois mil euros.
 
Nos últimos anos, a FAR acumulou um passivo de 2,5 milhões de euros e dívidas a empresas prestadoras de serviços.
 
A Coudelaria de Alter do Chão, fundada em 1748 por D. João V, desenvolve actualmente trabalhos de selecção e melhoramento de cavalos Lusitanos e possui uma unidade clínica dotada com todos os meios para o acompanhamento e tratamento médico dos animais, acolhendo, nas suas instalações, entre outras valências, o Laboratório de Genética Molecular.
 
c/ LUSA

Mais Populares