sexta, 23 agosto 2019
Um cadáver, em avançado estado de decomposição, foi encontrado ontem, terça-feira, dia 7 de Julho, num carro que estava submerso na Barragem do Roxo, em Aljustrel.
 
Fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR) explicou à LUSA que o cadáver estava no interior do carro propriedade de um idoso, de 78 anos, "dado como desparecido há cerca de um ano a ano e meio", em Aljustrel, no distrito de Beja.
 
A mesma fonte frisou que "poderá haver uma relação mais do que evidente" entre o cadáver e o idoso desaparecido, mas "até ser identificado não é possível confirmar essa informação".
 
Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja, o alerta para a presença do carro na barragem do Roxo foi dado aos bombeiros às 17.54 horas da passada terça-feira.
 
O CDOS explicou que o carro estava submerso "há muito tempo na barragem, mas que hoje (ndr: terça-feira) ficou à tona e tornou-se visível”.
 
A mesma fonte do CDOS referiu que as operações de resgate da viatura e do cadáver mobilizaram 17 operacionais e cinco veículos dos Bombeiros Voluntários de Aljustrel e elementos da GNR.
 

Jovem morre na Barragem de Montargil

terça, 07 julho 2015 01:07
Morreu afogado o homem que estava desaparecido desde Domingo de manhã, na albufeira da Barragem de Montargil, concelho de Ponte de Sor, no distrito de Portalegre. Segundo disseram fontes dos Bombeiros e da Guarda Nacional Republicana (GNR), o corpo foi localizado cerca das 17.15 horas do dia de ontem, segunda-feira.
 
O homem, de nacionalidade brasileira, tem 24 anos, e segundo fonte da GNR indicou à Lusa, o corpo foi transportado para o Gabinete de Medicina Legal do Hospital de Abrantes.
 
Segundo a mesma fonte, a GNR recebeu o alerta cerca das 10.30 horas. Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre indicou que o alerta para o desaparecimento do homem na água foi dado cerca das 14 horas, quando a GNR já efectuava buscas. 
 
Duas equipas de mergulhadores das corporações de Bombeiros Voluntários de Gavião e de Ponte de Sor estiveram envolvidas nas operações de busca.
 
De acordo com a fonte do CDOS, foram mobilizados para o local 10 elementos das corporações de Bombeiros de Gavião e de Ponte de Sor, bem como vários elementos da GNR, que foram auxiliados por cinco viaturas e dois barcos, um pertencente aos bombeiros de Gavião e outro ao Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), da GNR.
 
c/ Correio da Manhã
Três espectáculos preenchem a edição deste ano do Ciclo de Concertos "Música nos Claustros", dedicado à música clássica e que vai decorrer em Évora, entre domingo e dia 19 de julho. O ciclo, organizado pela associação Eborae Mvsica, decorre no Convento dos Remédios e no Teatro Garcia de Resende, contando com a participação de grupos e solistas nacionais e internacionais.
 
A polifonia, o canto solista e a execução instrumental estão em destaque na programação, que percorre os vários períodos musicais. Segundo a organização, o objetivo passa por contribuir para "qualificar a oferta cultural ao nível do turismo cultural e estabelecer uma programação que dê relevo aos vários períodos da criação musical".
 
A Eborae Mvsica pretende, também, "aprofundar a relação entre o património construído", neste caso o Convento dos Remédios e o Teatro Garcia de Resende, "e a adequação de uma oferta musical regular à fruição pelo público e à participação de grupos musicais do Alentejo, do país e do estrangeiro, além da criação de novos públicos".
 
O programa da 16.ª edição arranca no centenário Teatro Garcia de Resende, no domingo, às 21:30, com o "Concerto de Verão" pelo Coro e Orquestra do Conservatório Regional de Évora - Eborae Mvsica. A direção está a cargo de Sandra Medeiros e Luís Rufo e o espetáculo vai ter como solistas Cláudia Amado (flauta), Sara Ornelas e Nika Shahidian (piano).
 
Os outros dois recitais, agendados para os dias 11 e 19, às 21:30, vão ter lugar no Convento dos Remédios.
 
Para organizar o evento, a associação Eborae Mvsica tem o apoio da Câmara Municipal de Évora, do Centro Dramático de Évora (CENDREV), da Direção Regional de Cultura do Alentejo, entre outras entidades, sendo o primeiro espetáculo apoiado pelo Governo e por fundos comunitários.
 
Modificado em sábado, 04 julho 2015 14:57
Segundo informação disponível na página do IPMA estão sob aviso laranja os distritos de Bragança, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja.
 
Os distritos de Bragança e Guarda vão estar sob aviso laranja até às 20:00 de terça-feira, enquanto os de Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja ficam sob o mesmo aviso até às 20:00 de segunda-feira.
 
Também devido ao tempo quente estão sob aviso amarelo os distrito de Vila Real, Viseu, Santarém, Lisboa, Setúbal e Faro.
 
O aviso laranja é o segundo mais grave numa escala de quatro e implica uma situação meteorológica de risco moderado a elevado. Já o aviso amarelo é o terceiro mais grave e implica uma situação de risco para determinadas atividades que dependem do estado do tempo.
 
O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê para hoje tempo quente com céu geralmente limpo. O vento estará em geral fraco do quadrante oeste, soprando moderado de noroeste no litoral oeste, em especial a sul do Cabo Carvoeiro e durante a tarde.
 
As temperaturas máximas previstas para hoje são 33 graus celsius em Lisboa, 31 em Faro, 23 no Porto, 43 em Beja, 41 em Évora, 40 em Portalegre e Castelo Branco, 25 no Funchal e 24 em Ponta Delgada.
O restaurante Sal, na praia do Pego, na Comporta foi considerado um dos melhores bar/restaurante de praia do mundo pelos leitores da revista Traveler (da editora Condé Nast). A publicação desafiou os seus seguidores no Twitter a enviarem fotografias dos seus bares de praia preferidos.
 
Eliza Brooks, uma das leitoras da Condé Nast que escolheu o bar de praia português, descreve o local como um "Paraíso no Alentejo". O peixe fresco, a picanha e a sangria foram as ofertas mais avaliadas pelos leitores.
 
Além de vários bares e restaurantes dos Estados Unidos, há ainda um na Tanzânia, outro na Austrália e outro em St. Kitts. A listagem completa e liderada pelo espaço português pode ser visualizada clicando aqui.
 
O Restaurante Sal está localizado na praia do Pego, na Comporta e possui um ambiente simples e descontraído. O espaço permite que se realizem também eventos de caráter corporativo, ações de incentivo ou eventos privados, como festas de casamento ou aniversários até 300 pessoas.
Modificado em sexta, 26 junho 2015 16:51
Segundo avançou há minutos o diário “Correio da Manhã”, um homem com 55 anos de idade, é suspeito de ter morto, esta quarta-feira, dia 17 de Junho, o irmão, de 69 anos, a tiro em Odemira, no distrito de Beja.
 
Segundo informações recolhidas, a vítima mortal foi atingida com um tiro de caçadeira no peito.
 
O crime aconteceu numa exploração agrícola situada em Vale de Gomes, no concelho de Odemira, propriedade na qual os dois homens moravam e trabalhavam.
 
Segundo o CM, antes do disparo fatal os dois indivíduos terão tido uma discussão.
 
O homicida já foi detido pela Guarda Nacional Republicana (GNR), sem oferecer resistência, depois de ter andado alguns quilómetros em direcção à Zambujeira do Mar. Acabou por deixar a arma junto à entrada principal da propriedade.
 
O crime aconteceu na casa onde os dois homens residiam, por volta das 09.30 horas, sendo que o alerta às autoridades foi dado por um outro trabalhador da herdade, às 09.39 horas.
 
No local estiveram os bombeiros e uma equipa do INEM, que apenas confirmou o óbito.
 
A GNR está a fazer uma barreira policial à entrada da propriedade privada enquanto aguarda a chegada dos inspectores da Polícia Judiciária, autoridade que vai investigar este crime.
 
O portal de notícias “The Huffington Post” elegeu o Convento do Espinheiro, localizado em Évora, como um dos nove lugares em todo o mundo “mais incríveis para dar o nó”.
 
Só porque vão fugir juntos para casar, não quer dizer que não possam fazê-lo numa igreja. Cozinhem o vosso romance, entre uma oliveira antiga e os claustros de estilo manuelino”. É desta forma que a publicação norte-americana apresenta o Convento do Espinheiro Hotel & Spa e convida os noivos a casarem no hotel eborense.
 
Desde o século XV que reis, rainhas, princesas e fidalgos elegeram o local como retiro espiritual ou, simplesmente, para desfrutar dos espaços da antiga hospedaria dos frades Jerónimos. São inúmeras as lendas, os milagres e as «estórias» deste mosteiro, até a da retorcida oliveira milenar que, apesar dos seus 1098 anos de idade, ainda dá azeitonas de onde se extrai azeite extra virgem.
 
Para fazer parte de um dos dias mais especiais da vida dos enamorados, o Convento do Espinheiro, Hotel & Spa tem o cenário perfeito para a realização de casamento religioso ou civil inesquecível. A igreja quatrocentista para a cerimónia, os claustros manuelinos, uma mais-valia para os noivos confraternizarem com os convidados durante o cocktail, são o palco perfeito para um evento tão importante. O salão D. Vasco com uma capacidade até 300 pessoas permite acolher várias bodas.
 
Este antigo mosteiro do século XV, considerado Monumento Nacional, foi completamente restaurado e convertido em hotel. Está rodeado de magníficos jardins e situa-se a apenas a dois quilómetros de Évora, cidade Património Mundial pela Unesco.
 
Na próxima terça-feira, dia 16 de Junho, quando forem 18.30 horas, será assinado entre a Fundação Joana Vasconcelos (FJV) e a Universidade de Évora (UE), um protocolo que permitirá a atribuição de uma bolsa de estudo, denominada como “Bolsa Joana Vasconcelos”, a alunos das licenciaturas em Artes Visuais-Multimédia e em Design da Escola de Artes da Universidade de Évora.
 
O protocolo entre a universidade alentejana e a Fundação Joana Vasconcelos (FJV) tem por base a atribuição de uma bolsa anual a um estudante da UE.
 
A formalização do acordo decorrerá no âmbito da Cerimónia de Homenagem aos Mecenas do Fundo de Apoio Social aos Estudantes da UE (FASE-UE) 2014/15 e de Entrega de Diplomas relativos aos anos lectivos de 2013/14 e 2014/15, e que contará com a presença da reconhecida artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos.
 
Assente nos propósitos de promoção social, cultural e educativa, no próximo ano lectivo, a FJV atribuirá a “Bolsa Joana Vasconcelos” a estudantes da UE que frequentem cursos das Licenciaturas em Artes Visuais - Multimédia e em Design, da Escola de Artes. Será concedida por um ano lectivo, podendo os alunos recandidatar-se anualmente, sendo o valor da bolsa de 500 euros mensais.
 
No primeiro ano de existência desta bolsa, a mesma será atribuída a um aluno do 2º ano dos 1ºs ciclos em Artes Visuais – Multimédia e em Design. No segundo ano, são atribuídas duas bolsas, uma a um aluno do 2º ano e outra a um aluno do 3º ano. No terceiro ano e nos anos seguintes serão atribuídas três bolsas, uma a um aluno do 2º ano e as restantes a dois alunos do 3º ano das mesmas licenciaturas.
 
A Escola de Artes da Universidade de Évora, é constituída pelos departamentos de Arquitectura, de Artes Visuais e Design, de Artes Cénicas e de Música e disponibilizando uma oferta formativa abrangente e inovadora.
 
Joana Vasconcelos nasceu em Paris, em 1971, mas vive e trabalha em Lisboa. 
Após a sua participação na 51ª Exposição Internacional de Arte – la Biennale di Venezia, em 2005, o reconhecimento internacional do seu trabalho aumentou e neste momento é um nome conceituado no mundo das artes plásticas.
 
Conta já com muitas participações/exposições de relevo como o projecto Trafaria Praia, Pavilhão de Portugal na 55ª Exposição Internacional de Arte – la Biennale di Venezia (2013), a individual no Château de Versailles, em França (2012), a participação na colectiva “The World Belongs to You”, no Palazzo Grassi/François Pinault Foundation, em Veneza (2011), e a sua primeira retrospectiva, apresentada no Museu Colecção Berardo, em Lisboa (2010), bem como com muitas outras participações em exposições colectivas e individuais nos mais conceituados museus de arte moderna do mundo. É ainda alvo de referências em muitas revistas e livros da área.
 
A FJV atribui bolsas de estudo e de investigação ou subsídios a projectos e iniciativas no domínio das artes de modo a promover o apoio à educação pela arte. 
 
Modificado em segunda, 15 junho 2015 01:48
As palavras faltaram a quatro estudantes, todos com cerca de 20 anos, da Escola Profissional de Alter do Chão, quando depois de rasparem uma raspadinha “Super Pé de Meia”, viram que tinham sido contemplados com um prémio de 1500 euros por mês, durante os próximos seis anos, num total de 108 mil euros.
 
Vasco Passinhas, vendedor do jogo premiado no café “Forno dos Pelames”, em Alter do Chão, referiu ao “Correio da Manhã” que os jovens "até ficaram na dúvida e perguntaram-me várias vezes se tinham ganho esta quantia. Depois ficaram muito felizes".
 
Passinhas adiantou ainda que "para quem vende, é uma satisfação enorme, para mais quando são clientes e residentes no concelho".
 
Os quatro jovens vão agora dividir o prémio milionário, que se encontra ainda sujeito aos 20% de imposto de selo.
Modificado em sábado, 13 junho 2015 17:54