sexta, 24 novembro 2017
Na última semana, nos concelhos de Borba e Estremoz, foram furtados 143 bovinos e 163 ovinos, disseram no dia de ontem à agência Lusa, fontes da Guarda Nacional Republicana - GNR.
 
O furto dos 143 bovinos teve lugar numa herdade situada na freguesia de Rio de Moinhos, no concelho de Borba, não tendo nem a GNR, nem o proprietário dos animais, indicado o valor do furto.
 
Mas também no concelho de Estremoz foram registados furtos de animais. No final da semana passada, a GNR recebeu uma queixa pelo furto de 163 ovinos, ocorrido na Herdade da Casa Velha, na freguesia de Evoramonte, no concelho de Estremoz. Segundo fonte da força de segurança, os ovinos, avaliados em cerca de oito mil euros, pertencem à Cooperativa Agrícola de Produção Barro Negro.
 
A GNR está a investigar ambos os casos, que foram participados às autoridades.
 
c/ Correio da Manhã
Pouco passava das 17.25 horas, quando parte de um varandim da Torre de Menagem do Castelo de Beja ruiu. Como possível justificação para a derrocada pode estar a muita chuva que tem caído na capital de distrito.
 
Estragos acentuados no varandim inferior e na porta de acesso à escadaria da Torre são o resultado das pedras que se soltaram do varandim superior.
No interior do castelo, onde existe um posto de turismo e uma cafetaria, encontravam-se algumas pessoas, mas para além do susto não há danos pessoais a lamentar.
 
Uma testemunha que estava no lado contrário da rua, junto ao seu carro, contou que "ouviu um barulho tipo trovão" e que caíram algumas pedras. "Apanhei um susto tremendo", rematou.
 
Para evitar acidentes, a Câmara Municipal de Beja vedou de imediato o acesso ao espaço interior do castelo, fechou o posto de turismo e a cafetaria e o vedou o espaço exterior junto às muralhas.
 
Esta derrocada acontece numa altura em que a Câmara Municipal de Beja tem no terreno obras de requalificação da Torre de Menagem, onde os problemas não são novos. Nos últimos anos, a Torre esteve fechada ao público.
 
c/ Rádio Pax e JN
Na sequência de uma colisão com um veículo ligeiro de mercadorias, o condutor de um ciclomotor morreu no dia de hoje, 13 de Novembro, quinta-feira, na zona de Arraiolos, disse à agência Lusa fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).
 
A mesma fonte acrescentou ainda que o acidente teve lugar na Estrada Nacional 4 (EN4), cerca das oito da manhã, no cruzamento que dá acesso ao terródromo de Arraiolos. Até ao momento não foi possível apurar a idade da vítima.
 
As operações de socorro, que obrigaram ao condicionamento temporário do trânsito na zona, envolveram os Bombeiros Voluntários de Arraiolos e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital de Évora, para além da GNR.
 
c/ LUSA e Correio da Manhã
O imponente Teatro Pax Julia, em Beja, recebeu ontem, sexta-feira, 31 de Outubro, a XIII edição da Gala de Prémios da revista “Mais Alentejo”.
 
Na noite em que a tradição americana do Halloween e das bruxas invadiu o país, o Alentejo, as suas gentes e as suas tradições, foram elevadas ao expoente máximo, numa gala cheia de cor, luz, música, glamour e que contou com a presença de muitos rostos conhecidos, nomeadamente do panorama televisivo.
 
O “Estremoz Soeiro” marcou presença e acompanhou os quatro nomeados estremocenses: Tiago Cabaço, na categoria “Mais Adegas”, Gabriela Ruivo Trindade, na categoria “Mais Literatura”, Margarida Cabaço, na categoria “Mais Chefes”, e Rita Rato, na categoria “Mais Política”. ´
 
Com apresentação do entertainer Fernando Pereira e da jornalista bejense Sónia Batista, rosto da estação televisiva SIC Notícias, a gala abriu com a já habitual mensagem de boas-vindas do director da publicação alentejana, António Sancho.
 
Depois, e ao longo de praticamente três horas, foram sendo entregues os diversos prémios “Mais Alentejo”, não só aqueles que estiveram a votação, numa edição que recebeu quase 700 mil votos, mais precisamente 697.878 votos, mas também os Prémios Excelência, cuja sua entrega foi proposta pelo júri dos Prémios “Mais Alentejo”.
 
Os quatro nomeados estremocenses saíram do Pax Julia de mãos a abanar. Nenhum venceu a categoria para que estava nomeado. Mas houve um estremocense que recebeu um Prémio “Mais Alentejo”. O economista Vítor Bento foi agraciado com o Prémio Mais Excelência Economia.
 
Durante a XIII Gala dos Prémios Mais Alentejo, foram vários os momentos musicais. As vozes do Grupo Alentejo Cantado, de Mara, de Duarte, de Manuel Guerra, de Joana Espadinha, do grupo Cantigas do Baú, de Jorge Palma e dos Cantadores da Vila Nova de São Bento, animaram todos aqueles que marcaram presença no teatro bejense.
 
Eis a lista completa de premiados:
Mais Tradição - Chocalhos de Viana do Alentejo;
Mais Lagares - Herdade do Esporão;
Mais Património - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos;
Mais Política - Carlos Pinto de Sá (Presidente da Câmara Municipal de Évora);
Mais Excelência Autárquica - João Rocha (Presidente da Câmara Municipal de Beja);
Mais Empresas - Delta Cafés
Mais Excelência Sociedade - António Saraiva (Presidente da Confederação da Indústria Portuguesa - CIP)
Mais Excelência Empresas - João Manuel Nabeiro
Mais Excelência Economia - Vítor Bento
Mais Adegas - Herdade do Esporão
Mais Excelência Enologia - Luís Duarte
Mais Manjares - Divinus
Mais Chefe - Joaquim Almeida
Mais Dormidas - Herdade do Amarelo - Odemira
Mais Sensação - Emotion Portugal
Mais Iniciativa - Henrique Silvestre Ferreira
Mais Excelência Iniciativa - Amieira Marina
Mais Arte e Fotografia - Alexandre Farto Vhils
Mais Excelência Artes Plásticas - António Vidigal
Mais Excelência Fotografia - Eduardo Gageiro
Mais Literatura - Carlos Campaniço
Mais Personalidade do Ano Sociedade - Raquel Varela
Mais Excelência Solidariedade - Manuela Eanes - Instituto de Apoio à Criança
Mais Desporto - Emanuel Silva
Mais Música - Cantigas do Baú
Mais Excelência Música - Jorge Palma
Mais Cinema, Teatro e Televisão - Sandra Barata Belo
Mais Excelência Cinema - António Pedro Vasconcelos
Mais Excelência Cinema, Teatro e Televisão - Virgílio Castelo
Mais Jornalismo - João Moleira
Mais Excelência Jornalismo - Mário Crespo
Mais Inovação - Centro de Ciência do Café
Mais Personalidade do Ano Cinema, Teatro e Televisão - Filipe Duarte
Homenagem Mais Alentejo 2014 - Nicolau Breyner e Luís Mira Amaral
Prestígio Mais Alentejo 2014 - Salgueiro Maia (entregue a título póstumo)

Militares do RC3 feridos em despiste perto de Monforte

Escrito por sábado, 01 novembro 2014 00:35
Ao início da noite do dia de ontem, quinta-feira, dois militares do Regimento de Cavalaria 3, de Estremoz, ficaram feridos na sequência de um aparatoso despiste de automóvel ocorrido no IP2, perto de Monforte.
 
Um dos militares, que apresentava ferimentos graves ao nível dos membros inferiores, teve que ser desencarcerado. O segundo ocupante do veículo foi considerado pelas equipas de emergência presentes no local, ferido leve.
 
Residentes na zona de Coimbra, os militares, ambos na casa dos 20 anos, estariam a caminho de casa. Depois de assistidos no local, foram ambos transportados para o Hospital Distrital de Portalegre.
 
No socorro aos sinistrados deste aparatoso acidente estiveram os Bombeiros Voluntários de Monforte e de Portalegre, e a VMER do INEM. A GNR está a investigar as causas do despiste.
 
c/ Pedro Galego (Correio da Manhã)
Na sequência de um acidente de trabalho numa pedreira de mármore perto de Borba, propriedade da Marmetal, um homem de 54 anos morreu esta quinta-feira, disseram à agência Lusa fontes dos bombeiros e da Guarda Nacional Republicana (GNR).
 
Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, o alerta foi dado às 12.17 horas, tendo o homem sido transportado para o Serviço de Urgência Básica de Estremoz, onde foi confirmado o óbito.
 
A mesma fonte adiantou que "o homem caiu de uma altura de seis metros, numa pedreira".
 
Foram mobilizados para o local do acidente oito operacionais, dois veículos dos Bombeiros Voluntários de Borba, uma viatura de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Estremoz, e a GNR, segundo foi revelado pela fonte do CDOS. 
 
A fonte da GNR indicou que a Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) vai investigar as circunstâncias em que ocorreu o acidente, podendo o “Estremoz Soeiro” adiantar que uma brigada da ACT já se encontra na pedreira onde ocorreu o sinistro.
 
c/ LUSA
Um funcionário da empresa AIS Portugal, em Montemor-o-Novo, não ganhou para o susto quando ao abrir uma encomenda proveniente do México, de lá saiu uma cobra cascavel e, pelo menos, duas tarântulas, avança o Correio da Manhã.
 
As perigosas aranhas ainda foram capturadas pelos empregados e entregues à GNR, mas a cobra venenosa, com cerca de 60 centímetros de comprimento, continua à solta pelos armazéns da unidade, o que está a deixar assustados os colaboradores.
 
Segundo referiu ao diário Anabela Marques, responsável da AIS, "o pessoal está com medo. Nunca sabemos onde pode aparecer a cascavel. Todo o cuidado é agora pouco".
 
Foi na passada quinta-feira que esta fábrica de produção de componentes plásticos para o interior de viaturas da marca alemã Volkswagen recebeu a encomenda. Mas só passadas 24 horas é que foram abertas as paletes. A responsável questiona agora: "Quem sabe se não há mais cobras e tarântulas?"
 
Embora sem sucesso, nas últimas horas o armazém foi passado a pente fino pelos militares e colaboradores da empresa.
 
Segundo o major Felipe Martins, chefe do SEPNA da GNR de Évora, foram dados "alguns conselhos aos funcionários para sua protecção. Vamos contactar o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas para obter mais informações sobre as aranhas".
 
c/ Alexandre M. Silva (Correio da Manhã)

Mais Populares