sábado, 15 dezembro 2018
Os vereadores da oposição na Câmara Municipal de Évora acusaram a maioria CDU de "falta de transparência" tudo por causa de um contrato com uma associação cultural. O presidente do município eborense garantiu a normalidade do processo.
 
O facto da câmara ter contratado uma associação "que é concorrente" ao Centro Dramático de Évora (CENDREV), "com sede no mesmo espaço", o Teatro Garcia de Resende, e "com alguns dos seus responsáveis, pareceu-me um processo pouco transparente" afirmou à Lusa o vereador do PSD, António Costa da Silva.
 
O caso, discutido na mais recente reunião de câmara por iniciativa de Costa da Silva, foi despoletado pelo deputado municipal Bruno Martins, eleito pelo Bloco de Esquerda, que publicou nas redes sociais detalhes do contrato em causa e uma cópia da constituição da Domínio Afirmativo - Associação Cultural.
 
O deputado municipal bloquista afirmou que "é uma associação que foi criada em Junho, por dois elementos do CENDREV", cuja sede "é no Teatro Garcia de Resende", e que tem "o mesmo objecto de intervenção que a própria companhia e sede no teatro municipal".
 
Bruno Martins garantiu ter visto no Portal da Contratação Pública que a Domínio Afirmativo já recebeu do município "um apoio, através de ajuste directo, para apresentação de uma peça de teatro", no valor de 10 mil euros.
 
A maioria CDU indicou, durante a mais recente reunião pública do executivo municipal,  que "não sabia que esta associação tinha a sua sede no teatro municipal", frisou Bruno Martins, revelando que o BE já enviou "uma cópia do registo da associação" e requereu "todo o processo deste ajuste directo".
 
O presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá (CDU), contactado pela Lusa, afiançou que a associação "apresentou um projecto" e que este "foi aprovado", num processo "perfeitamente normal", porque "foi tratada de forma idêntica em relação a todos os agentes que apresentaram propostas".
 
"Todos os agentes que se candidataram no ano passado e este ano tiveram apoio", vincou, sustentando que, depois de "anos em que esteve impedida de o fazer", a autarquia passou a financiar projectos culturais ao "definir um valor global que é distribuído por todos".
 
O edil eborense admitiu que a maioria CDU não tinha "conhecimento oficial" de que a sede da Domínio Afirmativo era no Teatro Municipal Garcia de Resende, indicando estar a averiguar a situação.
 
O vereador do PSD salientou ter dúvidas que dirigentes de uma entidade possam criar uma associação concorrente e defendeu que o município "quando contrata uma entidade tem de saber se esta cumpre todos os requisitos legais e obrigatórios".
 
Costa da Silva referiu ainda que "neste caso, é preciso saber se esta nova associação tem ou não autorização da câmara" para ter a sua sede no Teatro Municipal Garcia de Resende, "quem são os associados e se a entidade cumpre ou não as regras da concorrência", referiu.
 
Também em declarações à Lusa, a vereadora socialista da oposição, Elsa Teigão, referiu que, depois de ouvir as explicações da maioria CDU em reunião pública, ficou com a convicção de que "os 10 mil euros foram atribuídos a uma associação para uma iniciativa que não se sabe qual foi", o que "configura uma situação grave".
 
Afirmou que "o que é grave neste caso é a falta de transparência e o alegado desconhecimento por parte da gestão da câmara sobre para que serviu aquela verba e em que âmbito é que foi contratada aquela associação".
 
Elsa Teigão estranhou também que o presidente do município e o vereador com o pelouro da cultura "aleguem desconhecimento de que a sede da associação seja num edifício da câmara", concluindo que "há uma falta à verdade ou há uma falta de controlo e conhecimento daquilo que se passa dentro da autarquia".
 
c/ Lusa
Na sequência de uma colisão frontal entre um veículo pesado e um automóvel ligeiro, ocorrido no Itinerário Principal 2 (IP2), na União de Freguesias de Malagueira e Horta das Figueiras, perto de Évora, mais concretamente ao quilómetro 263,5, junto ao cruzamento para Torre de Coelheiros, duas pessoas morreram esta madrugada.
 
O alerta para este acidente ocorreu às 04:53 horas, e as duas vítimas mortais, dois homens, um com 35 anos e outro com 45 anos, são os condutores e únicos ocupantes dos dois veículos.
 
Às 09 horas da manhã, a estrada ainda estava cortada nos dois sentidos, para trabalhos de limpeza e de remoção dos veículos, tendo sido parcialmente reaberta por volta das 09:30 horas.
 
O veículo ligeiro já foi removido mas o pesado continua no local, encostado à berma mas ainda a condicionar a passagem de viaturas. Segundo a GNR, aguarda-se a chegada de uma grua para o remover.
 
As causas deste acidente estão agora a ser investigadas pelo Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação da GNR (NICAV) de Évora.
 
Estiveram no local, 36 operacionais, entre elementos dos Bombeiros Voluntários de Évora, da Polícia de Segurança Pública (PSP), da Guarda Nacional Republicana (GNR), do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da empresa pública Infraestruturas de Portugal, apoiados por 16 veículos.
 
 
Com a inauguração, na próxima quinta-feira, dia 11 de Outubro, do Tivoli Évora Ecoresort, fica cumprida a promessa efectuada pela Tivoli Hotels & Resorts de que durante o segundo semestre de 2018 a cadeia hoteleira teria o seu primeiro hotel na cidade de Évora. O hotel está localizado a três quilómetros do centro histórico da cidade alentejana e vem juntar-se ao actual portfólio da marca Tivoli, que conta com 13 unidades em Portugal, no Brasil e no Qatar.
 
Rodeado por sobreiros, azinheiras e oliveiras centenárias, o hotel, que anteriormente esteve a operar como Ecorkhotel, Évora - Suites & SPA, fica situado na extensa planície alentejana, a cinco minutos do centro de Évora, cidade classificada pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade, e a uma hora de carro da cidade de Lisboa
 

Refúgio de natureza, esta propriedade apresenta um edifício central, com um design contemporâneo, no qual os hóspedes podem encontrar um lobby bar, com uma lareira rústica que promete aquecer as noites de inverno e um restaurante inspirado no melhor da cozinha portuguesa. No primeiro piso, uma piscina infinita, com vista para a planície alentejana, marca um dos principais espaços de lazer do hotel. 
 
Com uma arquitectura que se integra plenamente na paisagem envolvente, a oferta de alojamento é composta por 56 suites, distribuídas de forma harmoniosa ao longo de uma propriedade com 38 mil m2, conferindo privacidade e tranquilidade aos hóspedes. Todas as suites apresentam uma decoração acolhedora, com elementos naturais de lã e cortiça, e uma área exterior onde é possível relaxar ao som da natureza. Como parte da renovação do hotel, foi construída uma villa exclusiva com nove quartos e uma piscina exterior privada.
 
Na oferta de lazer do Tivoli Évora Ecoresort destaca-se a área de SPA, com um design contemporâneo que transmite paz e tranquilidade, um verdadeiro refúgio que apela aos sentidos, composto por salas de tratamento, uma piscina interior, sauna, banho turco e ainda um ginásio, totalmente equipado. Tirando partido da paisagem inspiradora e relaxante, o hotel vai apostar no desenvolvimento de vários programas personalizados de bem-estar, integrando tratamentos, alimentação saudável, exercício e actividades em harmonia com a natureza.
 
O restaurante principal proporciona uma viagem pela cozinha portuguesa contemporânea, tendo como base produtos locais e da época, muitos deles de produção biológica na horta do próprio hotel, garantindo a qualidade e a frescura. O lobby bar oferece várias opções de bebidas e petiscos, para aproveitar um serão de inverno à lareira ou para refrescar as tardes de verão. No primeiro piso do edifício central, o bar da piscina infinita acompanha os dias quentes com as escolhas certas, dos sumos naturais pela manhã até aos cocktails mais criativos ao pôr do sol.
 
O Tivoli Évora Ecoresort disponibiliza um programa especial que permite a utilização em exclusivo do hotel, incluindo a ocupação de todas as suites e das várias áreas públicas - o plano perfeito para a organização de um casamento com vista para a bucólica planície alentejana, uma inesquecível celebração de aniversário ou uma reunião de quadros executivos de uma empresa.
 

Esta unidade apresenta um projecto de arquitetura inovador na área ambiental, com uma construção que visa a máxima eficiência energética. O edifício central é todo ele revestido a cortiça, um material característico da região alentejana e que permite um isolamento acústico e térmico naturalmente eficiente, numa zona do país onde se verificam grandes amplitudes térmicas. O hotel utiliza também a geotermia para aquecimento do edifício principal e painéis solares para o aquecimento das águas correntes e das piscinas. Este programa de referência na área ambiental levou o Responsible Tourism Institute a atribuir ao hotel o prémio Biosphere, que reconhece projectos turísticos sustentáveis a nível mundial.
 
A riqueza cultural da cidade de Évora e toda a envolvente natural do Alentejo proporcionam experiências únicas no destino. Desde circuitos históricos para descobrir os segredos da cidade de Évora, a circuitos de natureza para explorar a região, são várias as opções. Para os amantes de gastronomia, o Alentejo oferece uma cozinha tradicional rica e diversificada, acompanhada por uma selecção de vinhos locais únicos. São vários os produtores de vinho na região que disponibilizam provas e visitas às respectivas quintas. Para além do vinho, também a cultura do azeite marca esta região, que proporciona provas e visitas dedicadas ao precioso néctar. Para os mais aventureiros existem ainda programas de Skydiving e para os mais românticos programas para ver as estrelas na reserva Dark Sky do Alqueva ou fazer um passeio de balão ao nascer do sol.
 
"Estamos muito felizes por inaugurar o nosso primeiro hotel Tivoli no Alentejo e a décima primeira unidade da marca em Portugal. Este ecoresort é um complemento perfeito para a expansão do nosso portfólio e representa a chegada a uma região onde o turismo tem crescido de forma sustentada”, afirmou Marco Amaral, Vice-Presidente de Operações e Desenvolvimento para a Europa e América do Sul da Minor Hotels, empresa-mãe da marca Tivoli.
 
Em 2018, a Tivoli Hotels & Resorts celebra 85 anos. Actualmente com 13 hotéis e resorts em Portugal, no Brasil e no Qatar, a marca tem previsto o lançamento de novos hotéis no Qatar e no Brasil ainda durante este ano de 2018. 

Avis vai receber Sessão de Prevenção Rodoviária

Escrito por segunda, 08 outubro 2018 22:30
Com o apoio do Município de Avis, do Agrupamento de Escolas de Avis e da Associação de Pais e Encarregados de Educação das Escolas do Concelho de Avis (APEEECA), a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Avis e a Guarda Nacional Republicana (GNR), voltam a promover, no próximo Sábado, dia 13 de Outubro, entre as 10 e as 12:30 horas, no Parque de Feiras e Exposições de Avis, uma Sessão de Prevenção Rodoviária.
 
A iniciativa, que visa a sensibilização para a sinistralidade rodoviária, tem como público-alvo as crianças e jovens das escolas do concelho de Avis, estando no entanto aberta à comunidade em geral.
 
Esta acção de formação e educação vai contar com uma pista de prevenção rodoviária onde os mais novos podem ficar a conhecer as regras de trânsito fazendo a sua aprendizagem com a ajuda de kart’s a pedais.
 
Esta é uma óptima oportunidade para relembrar as regras para uma condução segura e para motivar a aprendizagem desta temática junto dos seus filhos.
A Unitate - Associação de Desenvolvimento da Economia Social, instituição particular de solidariedade social (IPSS) de âmbito nacional, sediada em Vila Viçosa, foi a grande vencedora da edição de 2018 do prémio BPI Seniores.
 
Fundada em Outubro de 2013, e inspirada nos princípios da Doutrina Social da Igreja, o principal objectivo da UNITATE passa pela promoção do desenvolvimento da economia social em Portugal mediante a prossecução de estratégias e acções com vista à capacitação das organizações da sociedade civil.
 
A candidatura apresentada pela UNITATE e denominada “Espaço solidário para apoiar a comunidade”, foi contemplada com um prémio no valor de 49.925 euros e pretende fomentar a promoção da saúde, autonomia e independência, numa comunidade em meio rural muito isolada e envelhecida de dois concelhos, Vila Viçosa e Alandroal, e pretende remodelar o espaço existente para criar oferta de serviços polivalente como apoio ao domicílio, apoio na medicação e higiene, acompanhamento personalizado, transportes e refeições.
 
A 6ª edição do Prémio BPI Seniores contou com um valor de 750 mil euros para apoiar projectos que promovam a melhoria da qualidade de vida e o envelhecimento activo e saudável de pessoas com mais de 65 anos. 
 
Criado em 2013, o Prémio BPI Seniores tem como objectivo dar resposta a um problema cada vez mais grave na sociedade: a falta de respostas sociais dirigidas aos mais velhos. Nas cinco edições anteriores, o BPI atribuiu mais de 3 milhões de euros em donativos, distribuídos por 134 projectos que contribuem diariamente para beneficiar mais de 40 mil cidadãos seniores em todo o território nacional. 
 
As candidaturas, que foram avaliadas pela sua qualidade técnica e sustentabilidade, foram apresentadas por diversas instituições privadas sem fins lucrativos, todas sediadas em Portugal, e que apresentaram projectos sólidos e inovadores.
 
Foram ainda atribuídas 32 menções honrosas, sendo que cinco delas pertencem a IPSS alentejanas.
 
Uma dessas Menções Honrosas, no valor de 48.071 euros, pertence à Santa Casa da Misericórdia de Borba, com a candidatura ”Fisioterapia no domicílio”, que pretende proporcionar fisioterapia a idosos que não podem sair de casa e que se encontram em situação de isolamento e capacitar uma unidade móvel com equipamentos como marquesa, ultrassom, pedaleiras e jogos cognitivos.
 
Outra Menção Honrosa, esta no valor de 26.249 euros, foi atribuída à Santa Casa da Misericórdia de Alcáçovas, com a candidatura “Terapia ocupacional com chocalhos”, que tem o objectivo de explorar os benefícios da terapia musical recorrendo aos tradicionais chocalhos, recentemente classificados pela UNESCO como património imaterial da humanidade, e participar na construção dos instrumentos, com os quais os idosos vão ensaiar reportórios individuais e colectivos.
 
A FITSalvador, IPSS de Beja, foi igualmente contemplada com uma Menção Honrosa, no valor de 9.524 euros. A candidatura “Exercício físico monitorizado” pretende fomentar o exercício físico da população sénior com monitorização directa de sinais vitais e efectuar o planeamento e controlo individualizado sobre intensidade da actividade física, com recurso a tecnologia sem fios, de medição do esforço, avaliação cardiorrespiratória e composição corporal.
 
Centro Social dos Montes Altos, localizado idosos em Mértola, foi outra das IPSS alentejanas contempladas com uma Menção Honrosa. Os 14.389 euros atribuídos à candidatura “Mais conforto em casa” servirão para adicionar conforto, mobilidade e segurança ao dia-a-dia de em situação de maior fragilidade e isolamento e para distribuir e gerir a atribuição e manutenção de produtos de apoio em função das necessidades específicas de cada beneficiário.
 
A Portalegre e ao Centro Cultural e Desportivo Desportalegre foi igualmente atribuída uma Menção Honrosa, no valor de 30.305 euros. Este montante permitirá colocar em prática a candidatura “Animar e socializar”, que visa promover a interacção entre idosos, através de eventos de animação em lares, centros de dia e espaços públicos e pretende igualmente a dinamização de jogos tradicionais, minigolfe, boccia, gincanas culturais, iniciação à informática, bailes e outros motivos de socialização.
 
Somando o valor do primeiro prémio às cinco menções honrosas atribuídas às IPSS do Alentejo, o prémio BPI Seniores 2018 reservou para a região quase 180 mil euros.

Em seis minutos, Sines 'tremeu' por duas vezes

Escrito por segunda, 01 outubro 2018 11:13
Dois sismos de 3,9 e 3,3 na escala de Richter foram hoje registados nas estações sísmicas do continente, a cerca de 55 quilómetros de Sines, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).
 
De acordo com o instituto, o primeiro sismo, com magnitude 3,9 na escala de Richter, foi registado às 06:52 com epicentro a cerca de 55 quilómetros a oeste-sudoeste de Sines, distrito de Setúbal.
 
O segundo sismo, de 3,3 na escala de Richter, foi registado às 06:58 e também teve epicentro a cerca de 55 quilómetros a oeste-sudoeste de Sines.
 
Em declarações à Lusa, o sismólogo Fernando Carrilho adiantou que o sismo "não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido com intensidade máxima III/IV (escala de Mercalli modificada) na região de Arruda dos Vinhos, no distrito de Lisboa".
 
Tratam-se de dois sismos com epicentro a 55 quilómetros de Sines, mas apenas um [o de magnitude 3,9] foi sentido. Primeiro tivemos a informação de ter sido sentido pela população de Arruda dos Vinhos, mas depois chegaram relatos de outras regiões”, disse.
 
Segundo Fernando Carrilho, do departamento de sismologia e geofísica do IPMA, este sismo foi também sentido em Odemira, distrito de Beja, e Odeceixe, em Faro, e ainda com menor intensidade em algumas localidades dos distritos de Lisboa e Setúbal.
 
Às 06:58 foi registado um segundo sismo com uma magnitude de 3,3 na escala de Richter também com epicentro a cerca de 55 quilómetros a oeste-sudoeste de Sines”, indicou.
 
Fernando Carrilho salientou ainda que “estes sismos são fracos e considerados normais”.
 
Os sismos são classificados segundo a sua magnitude como micro (menos de 2,0), muito pequeno (2,0-2,9), pequeno (3,0-3,9), ligeiro (4,0-4,9), moderado (5,0-5,9), forte (6,0-6,9), grande (7,0-7,9), importante (8,0-8,9), excecional (9,0-9,9) e extremo (superior a 10).
 
c/ LUSA

Num regresso ao passado, a vila de Marvão recua até ao século IX para recordar as suas origens e o ambiente vivido na época, numa celebração cultural única. O Festival Al Mossassa (Festa da Fundação), que se realiza nos dias 5, 6 e 7 de Outubro, pretende ser, sobretudo, uma homenagem a Ibn Marúan, figura ímpar e visionária, rebelde fundador de Marvão e da vizinha Badajoz.

Durante três dias, a vila do Alto Alentejo é invadida por recriações históricas, espectáculos de música, dança, fogo, artes circenses, aves de rapina, serpentes, artesãos a trabalhar ao vivo, jogos medievais para crianças, mercadores, tabernas e muito mais. Com actividades e animação itinerante e de palco, para todas as idades.
 
Entre toda a envolvência medieval e cultural, o “Mercado das 3 Culturas” apresenta cerca de 60 pontos de venda, onde será possível encontrar um vasto leque de produtos e objectos relacionados com as culturas islâmica, judaica e cristã. Com o objectivo de recriar o ambiente de um mercado típico da época, o “Mercado das 3 Culturas” vai estar situado na parte alta da vila de Marvão.
 
A inauguração oficial da décima terceira edição do Festival Al Mossassa está agendada para as 11 horas de sexta-feira, dia 5 de Outubro, junto ao edifício dos Paços do Concelho.
 
Após a cerimónia de inauguração do certame e no âmbito das comemorações da Implantação da República Portuguesa, a Assembleia Municipal de Marvão promove, a partir das 11:45 horas, na sala das sessões do antigo Tribunal (Casa da Cultura), a tertúlia “A 1.ª República e outras histórias da justiça", com António Canêdo Berenguel.
 
“A Lenda da Ponte de Marvão", um espetáculo único e diferenciador!
Baseado numa das lendas da história popular do concelho de Marvão, este espectáculo diferenciador, em estreia, promete surpreender o público. O espectáculo “A Lenda da Ponte de Marvão” realiza-se, nos dias 5 e 6 de Outubro, na entrada do Castelo, a partir das 21:30 horas.
 
O espectáculo histórico “A Lenda da Ponte de Marvão" será o maior deste registo em todo o Alentejo. Um espectáculo único e diferenciador que, entre elenco e staff, vai contar com a participação de mais de 40 pessoas.
 
O sincronismo da pirotecnia com os vários momentos da encenação, assim como a ilustração do espectáculo, recorrendo a uma técnica de amplificação de luz por emissão eletromagnética, serão os elementos diferenciadores deste espectáculo.
 
Com o cenário único do Castelo de Marvão e a sua arquitectura preservada como tela, vai permitir vários planos de acção que tornarão o espectáculo inesquecível.
 
Na imponente Torre de Menagem do Castelo vai ser instalado um equipamento para projectar desenhos e mensagens estilizados, que vão aparecer em diversos momentos do espectáculo e que vão embelezar e enquadrar a história.
 
O XIII Festival Al Mossassa encerra no domingo, 7 de Outubro, às 20 horas, após o espectáculo final de encerramento, com a participação de músicos, bailarinas, malabaristas, manipuladores de fogo, aves de rapina, encantadores de serpentes e figuras características da época. Um verdadeiro cortejo medieval digno de encerrar este evento incomparável de celebração das três culturas.
 
XV Feira do Livro decorre em paralelo com a Al Mossassa
Paralelamente ao Festival Al Mossassa, o Município promove, também, a XV Feira do Livro de Marvão, que se realiza entre os dias 4 e 14 de Outubro, na Casa da Cultura. Com o intuito de promover os hábitos de leitura, a autarquia oferece a entrada no Festival Al Mossassa a quem efectue a compra de um livro.
No dia de ontem, segunda-feira, a Guarda Nacional Republicana (GNR) anunciou ter detido, em Ponte de Sôr, um homem de 39 anos, por suspeita de tráfico de droga. Para além da detenção, a força de segurança apreendeu mais de quilo e meio de folhas de cannabis.
 
A detenção foi feita no passado sábado, por militares do Núcleo de Protecção Ambiental do Posto Territorial de Ponte de Sôr da GNR.
 
Segundo fonte da GNR, os militares efectuavam a medição de um terreno ardido quando detectaram uma plantação de cannabis num terreno contíguo.
 
Voltaram no dia seguinte e surpreenderam o proprietário, em flagrante, quando este regava as plantas.
 
Foi realizada uma busca domiciliária e foi encontrado mais cannabis, tendo sido apreendido no total quatro plantas e 1,7 quilos de folhas, dois cachimbos e um telemóvel.
 
O detido foi presente ao Tribunal de Ponte de Sôr, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de Termo de Identidade e Residência e apresentações uma vez por semana no posto da sua área de residência.
Na manhã do dia de ontem, terça-feira, 18 de Setembro, um jovem de 16 anos foi agredido com uma arma branca por um colega, no interior da Escola Secundária de Ponte de Sôr, no distrito de Portalegre.
 
Segundo foi confirmado por fonte do Comando de Portalegre da Guarda Nacional Republicana (GNR), “o alerta foi dado cerca das 10:20/10:30 horas, pouco depois de o aluno ter sido esfaqueado por um colega mais velho na zona da perna e da nádega”.
 
O jovem foi assistido no interior da escola pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), tendo sido posteriormente transportado para o Hospital de Abrantes, de onde já teve alta. O aluno agredido voltou ao estabelecimento de ensino, mas devido à mediatização de todo o caso, foi aconselhado a ir para casa e regressar no dia de amanhã.
 
Segundo conseguimos apurar, divergências antigas entre os rapazes estarão na motivação para este ataque.
 
Segundo a mesma fonte, o agressor, um aluno de 18 anos, residente em Galveias e da mesma turma do agredido, foi detido pela GNR no local, tendo sido presente ao Tribunal de Ponte de Sôr, cerca das 14:30 horas, onde lhe foi aplicada a medida de coação de Termo de Identidade e Residência (TIR).
 
Depois de presente a tribunal, o agressor regressou à Escola Secundária de Ponte de Sôr, onde efectuou a anulação da matrícula. Ao que conseguimos apurar, o agressor frequentava o 12º ano, onde estaria apenas a frequentar algumas disciplinas.
 
No local estiveram seis operacionais dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Sôr e da GNR de Ponte de Sôr, apoiados por três veículos.