sábado, 14 dezembro 2019
O Tribunal de Évora condenou recentemente o ex-presidente da Câmara Municipal de Alandroal, João Nabais, a uma pena de cinco anos e seis meses de prisão efectiva e ao pagamento de mais de 22 mil euros. Esta notícia, que está a ser avançada pelo nosso colega de informação ODigital.pt, adianta ainda que o ex-edil alandroalense fica impedido de exercer cargos autárquicos durante cinco anos.
 
João Nabais, que estava acusado de seis crimes de prevaricação, foi condenado apenas por um deles.
 
O caso, que remonta ao ano de 2009, está relacionado com a contratação, por parte de João Nabais, de uma empresa de um amigo para a realização de algumas obras da autarquia.
 
Segundo o tribunal, João Nabais terá adiantado dinheiro à empresa do amigo para que esta realizasse as obras e terá ainda pago por obras, que estariam a ser realizadas a um custo mais baixo do que aquele a que efectivamente estavam a ser pagos. Segundo o tribunal, todas estas situações ocorriam com o conhecimento e total conivência do então autarca.
 
Para já não se conhece se o ex-autarca do Alandroal já terá recorrido desta sentença. Caso avance com o recurso, o mesmo só poderá ser feito para o Tribunal da Relação.
 
João Nabais foi presidente do Município de Alandroal, entre 2002 e 2009, eleito nas listas do Partido Socialista (PS), tendo nos últimos actos eleitorais autárquicos, 2009, 2013 e 2017, apresentado candidatura encabeçando o movimento independente DITA - Defesa da Integridade Territorial e Desenvolvimento de Alandroal.
 
c/ ODigital.pt
Modificado em terça, 10 dezembro 2019 19:44
Ao final da tarde desta quinta-feira, dia 14 de Novembro, o despiste de dois veículos ligeiros de passageiros, ocorrido na Autoestrada 6 (A6), perto de Évora Monte, provocou quatro feridos.
 
Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora o alerta para este despiste foi dado pelas 19:20 horas.
 
Após avaliação, os feridos foram considerados ligeiros, tendo sido encaminhados para o Hospital do Espírito Santo de Évora.
 
Estiveram a prestar assistência aos sinistrados, elementos dos Bombeiros, da Guarda Nacional Republicana (GNR), e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), num total de 14 operacionais, auxiliados por oito viaturas.
 
Segundo alguns relatos feitos ao Ardina do Alentejo, as condições climatéricas adversas, nomeadamente a queda de alguns flocos de neve que se fazia sentir na altura, podem estar na origem do despiste. 
Modificado em quinta, 14 novembro 2019 23:25
António Anselmo, Presidente da Câmara Municipal de Borba, e Joaquim Espanhol, vice-presidente da autarquia borbense estão entre os arguidos constituídos pelo Ministério Público (MP), no caso da derrocada da Estrada Municipal 255 (EM255). A notícia foi avançada pela RTP, no Telejornal do dia de ontem, 11 de Novembro. Na peça lançada por João Adelino Faria, apresentador do mais antigo espaço informativo da televisão nacional, e assinada pela jornalista Catarina Cadavez, é ainda referido que entre os outros arguidos estarão "agentes com responsabilidade de fiscalização".
 
De recordar que o MP revelou esta segunda-feira que tinha constituído nove arguidos, um deles uma pessoa colectiva, no âmbito do inquérito ao acidente ocorrido há quase um ano numa pedreira em Borba, que provocou cinco mortos. A Polícia Judiciária (PJ), que esteve a investigar o caso, já terminou o trabalho, tendo remetido o processo para o Ministério Público, com proposta de acusação. Isso mesmo foi adiantado por aquele órgão de polícia num comunicado divulgado ao fim da tarde desta segunda-feira.
 
Até ao momento e para além dos exames médico-legais relativamente às cinco vítimas mortais, foram ouvidas 21 testemunhas, constituídos nove arguidos, sendo um deles uma pessoa colectiva, foram concluídos exames periciais e analisada inúmera documentação”, diz outra nota, publicada esta segunda-feira na página de internet do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Évora.
 
A PJ completa que foi “efectuada a análise de elevado número de documentos e realizados exames periciais, para além dos exames médico-legais relativos às vítimas mortais”.
 
Apesar de a PJ ter concluído a investigação, o DIAP de Évora, que dirige o inquérito, afirma que ainda “decorrem diligências”. O objectivo, precisa o Ministério Público, é obter “elementos de prova documental que se reputam como essenciais à descoberta da verdade e à qualificação jurídico-criminal dos factos e ainda elementos de prova pessoal”.
 
Nessas diligências, pode ler-se, o MP continua a ser coadjuvado pela Polícia Judiciária.
 
O comunicado ainda dá conta que o Ministério Público declarou a especial complexidade do caso, o que, nesta situação, tem como único efeito útil tornar possível prolongar o segredo da investigação.
 
Na tarde de 19 de Novembro de 2018, um troço de cerca de 100 metros da EM255, entre Borba e Vila Viçosa, colapsou devido ao deslizamento de um grande volume de rochas, blocos de mármore e terra para o interior de duas pedreiras.
 
O acidente causou a morte de dois operários de uma empresa de extracção de mármore na pedreira activa e de outros três homens, ocupantes de duas viaturas que seguiam no troço da estrada que ruiu e que caíram para um fosso com água na pedreira que não tinha actividade.
 
Em Junho passado, os 19 familiares e herdeiros das vítimas receberam as indemnizações do Estado, num total de 1,6 milhões de euros. O valor das indemnizações foi proposto pela Provedora de Justiça, Maria Lúcia Amaral.
 
c/ LUSA
Modificado em terça, 12 novembro 2019 01:46
Agora toda família já pode partilhar o seu Delta Q favorito, seja um expresso perfeito, uma cremosa cevada ou uma deliciosa bebida à base de cereais, com um toque de chocolate e mel. 
 
Na sequência do lançamento do Qids, o primeiro produto da Delta Q no mercado infantil, que inclui os mais novos no ritual dos adultos, para que os mesmos os acompanhem com uma bebida pensada especificamente para eles, a marca lança uma oferta para toda a família: Pack Família. Para além da mais recente novidade da marca, o Qids, o Pack Família é composto por mais dois blends, o Qalidus, com intensidade 10 e o Pure, um blend 100% cevada e sem cafeína.
 
Para os mais pequenos, a Delta Q oferece ainda um Qemoji desenvolvido em parceria com a Science4You. Têm até quatro para coleccionar: Qen, o bonitão, Qi, o nerd do grupo, Qofi, o mais acelerado, e a biQa, pequenina, mais atrevida.
 
Prepare-se para o Natal e partilhe novos momentos ainda mais saborosos em família. O Pack Família já se encontra disponível nas lojas Delta Q, na loja online da marca, em mydeltaq.com e em pontos de venda seleccionados.
 
Modificado em terça, 12 novembro 2019 00:02
As autoridades policiais continuam a tentar localizar o suspeito de ter baleado duas mulheres, no domingo à noite, em Cumeada, uma pequena aldeia do concelho de Reguengos de Monsaraz.
 
O alerta para esta dupla tentativa de homicídio ocorreu às 21:59 horas.
 
O suspeito é um homem de 54 anos, ex-marido de uma das vítimas e ex-genro da outra.
 
Segundo fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR), as duas mulheres, de 54 e 73 anos, foram atingidas com disparos de uma arma de fogo e ficaram em estado grave, tendo sido transportadas, inicialmente, para o Hospital do Espírito Santo de Évora e, mais tarde, para os hospitais de S. José e Santa Maria, em Lisboa.
 
O ex-casal terá vivido durante largos anos na Suíça e terá regressado a Portugal recentemente. Com o divórcio ainda a decorrer, a mulher foi viver com a mãe para a aldeia da Cumeada, tendo sido nessa casa onde o crime foi perpetrado.
 
As autoridades ainda não determinaram se o homem, que se encontra a monte, agiu sozinho ou com a ajuda de terceiros.
 
O caso passou para a alçada da Polícia Judiciária (PJ), estando a GNR a colaborar nas diligências para tentar encontrar o suspeito.
 
c/ LUSA
Modificado em segunda, 11 novembro 2019 21:47

Foram suspensas ao cair da noite deste sábado, dia 9 de Novembro, as operações de busca e resgate do manobrador da máquina que esta manhã caiu para o interior de uma pedreira desactivada, em Vila Viçosa.
 
Segundo a Protecção Civil, as operações de busca serão retomadas amanhã, domingo, 10 de Novembro, logo às primeiras horas da manhã, com reforço de meios no que diz respeito às buscas subaquáticas.
 
De recordar que uma máquina, mais concretamente um dumper, estava a realizar trabalhos de colocação de terra e pedras no interior de uma pedreira que se encontra desactivada, quando o condutor terá perdido o controlo da máquina, tendo caído para o interior da pedreira, que se encontra cheia de água. A máquina caiu de uma altura de cerca de 30 metros.
 
Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, o acidente teve lugar pelas 09:42 horas, na Pedreira de Cabanas, em Vila Viçosa.
 
A máquina, que era manobrada por um homem natural de Borba, com cerca de 50 anos de idade, encontra-se totalmente submersa, sendo visível à tona de água, perto da zona onde a mesma caiu, uma mancha de óleo e combustível.
 
Mergulhadores dos Bombeiros Voluntários de Reguengos de Monsaraz e da Força Especial de Bombeiros realizaram buscas no local durante todo o dia de sábado. 
 
Segundo informações adiantadas ao Ardina do Alentejo por um elemento das equipas de busca, a máquina já foi localizada, encontrando-se a cerca de 20 metros de profundidade, e o corpo do manobrador não se encontra na cabine da mesma.
 
Para o local foram mobilizados Bombeiros Voluntários de Vila Viçosa, mergulhadores dos Bombeiros Voluntários de Reguengos de Monsaraz, a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Força Especial de Bombeiros, num total de 16 operacionais, sendo apoiados por oito viaturas.
 
Modificado em sábado, 09 novembro 2019 23:25

Cláudia Farófia, estudante de licenciatura em Artes Plásticas e Multimédia da Universidade de Évora (), ingressou este ano lectivo na universidade eborense com média de 19,2 valores e a vontade de aliar o seu gosto pela pintura com multimédia.

Évora e a Universidade de Évora revelaram-se, para a estudante que veio de Reguengos de Monsaraz a escolha certa. A cidade Património Mundial da Unesco desde 1986, com pouco mais de 55 mil habitantes, oferece a esta estudante as condições ideais para estudar e aproveitar, nos tempos livres, a oferta cultural da cidade candidata a Capital Europeia da Cultura 2027.
 
Aqui tenho tempo para estudar e criar” revela Cláudia Farófia, enquanto está rodeada de tintas, pincéis e cavaletes, dispersos num dos ateliers da Escola de Artes da UÉ, expondo em trabalhos, as diversas técnicas de pintura aprendidas pelos estudantes. Uma aguarela de cores que estimula a criatividade e nos faz acreditar que a arte, afinal, pode transformar o mundo.
 
Porque “o segredo da felicidade não é fazer sempre aquilo que queremos, mas querer sempre o que se faz”, tal como ensinou Liev Nikoláievich Tolstói, também Cláudia Farófia pretende aliar o seu gosto pela pintura com a multimédia, “porque no futuro a multimédia vai assumir-se como uma das áreas determinantes das nossas vidas”, porém, destaca que é importante, “não deixar de parte aquilo que sempre gostei de fazer, ou seja, pintar”, sublinha a estudante que já teve oportunidade de expor alguns dos seus trabalhos.
 
A actualidade, a interacção das artes plásticas com a multimédia pela via do digital é um facto inescapável. Ao longo do curso, os estudantes são incentivados a cruzar a diversidade de conhecimentos dentro da área da Multimédia e das Artes Plásticas, focando-se nas tecnologias das artes plásticas e dos novos media e na história e nos estudos da arte, o que lhes permite desenvolver trabalhos tanto do domínio do tecnológico como do teórico, construindo uma identidade própria para se afirmarem enquanto agentes criativos.
 
Cláudia Farófia foi distinguida com o Prémio de Mérito Santander Universidades, por ter ingressado na universidade através do Concurso Nacional de Acesso, com a nota de candidatura mais elevada. A entrega pública do prémio realizou-se no passado dia 1 de Novembro, no âmbito das celebrações do Dia da Universidade de Évora, momento escolhido para distinguir o mérito no desempenho académico e científico da academia.
 
c/ Universidade de Évora
Modificado em quinta, 07 novembro 2019 04:02
Reguengos de Monsaraz, considerada por muitos como a “Capital dos Vinhos de Portugal”, vai assinalar no próximo domingo, dia 10 de Novembro, o Dia Mundial do Enoturismo. Organizado pelo Município de Reguengos de Monsaraz, o programa comemorativo integra pelas 15 horas, na Biblioteca Municipal, o concurso “Quem Sabe Mais?”.
 
O concurso será disputado por equipas de duas pessoas e terá perguntas sobre Reguengos de Monsaraz, a vinha e o vinho no concelho. A competição terá jogos didáticos em suporte informático, fáceis de utilizar e que permitem abordar vários temas, tal como nos concursos de televisão.
 
A autarquia vai premiar as três equipas melhor classificadas, mas haverá lembranças para todos os participantes. As regras do concurso e alguns jogos para treinar estão disponíveis no site www.quemsabemais.pt.
 
A fechar a comemoração do Dia Mundial do Enoturismo, realiza-se às 17 horas, também na Biblioteca Municipal, uma prova de vinhos produzidos no concelho. Reguengos de Monsaraz tem 11 produtores de vinho, nomeadamente CARMIM, Esporão, Ervideira, Casa de Sabicos, Monte dos Perdigões, Adega José de Sousa, Luís Duarte Vinhos, Adega do Calisto, Monte das Serras, Elite Vinhos e São Lourenço do Barrocal.
 
Modificado em quinta, 07 novembro 2019 02:02
A Wine Enthusiast, revista de referência global no sector vitivinícola, destaca o Ravasqueira Vinha das Romãs entre os 100 melhores vinhos de 2019, em todo o mundo. O Vinha das Romãs, colheita de 2015, foi classificado com 94 pontos, ocupando a posição número 40 do ranking dos imperdíveis do ano, reconhecidos pela sua qualidade incontornável. Este vinho, que apresenta grande potencial de evolução em garrafa, é o único vinho alentejano na lista, reforçando o seu posicionamento como ícone da região e um dos melhores vinhos nacionais.
 
Conseguindo, nos últimos cinco anos, pontuações de 93 e 94 pontos na Wine Enthusiast, o Ravasqueira Vinha das Romãs já esteve entre os melhores do ano em 2016, com a colheita de 2014, vindo agora a colheita de 2015 confirmar que este vinho é um must have nas mais exigentes garrafeiras.
 
A distinção na categoria Cellar Selection da Wine Enthusiast totalizou seis vinhos nacionais, sendo três deles vinhos do Porto.
 
Esta lista pretende apoiar o consumidor na selecção das garrafas mais especiais do ano, lançando as 100 sugestões mais relevantes. 
 
Roger Voss, jornalista e autor internacional no sector dos vinhos e responsável pelas reviews dos vinhos portugueses na Wine Enthusiast, considera que no Vinha das Romãs “esta mistura de Touriga Franca e Syrah torna-o um vinho único, imensamente estruturado e tânico, de uma só vinha. Tem poder e é rico em frutos pretos, com um perfume delicado e várias camadas de especiarias. O álcool deste vinho é leve, refrescado pela acidez que eleva o seu acabamento. A beber em 2022”.
 
O Vinha das Romãs é o resultado de uma história que teve início em 2002 quando, o local onde se encontrava um pomar de romãs, deu lugar à plantação de uma vinha. Ao longo dos anos a vinha foi-se enraizando e deu origem a um vinho com uma estrutura muito particular. Foi apenas quando se estudou o solo em pormenor que se descobriu a origem da sua personalidade e estrutura. As raízes das videiras da Vinha das Romãs encontravam-se entrelaçadas com as raízes das romãs que ali ficaram a enriquecer o solo. O que sobrou das raízes das romãs tonaram esta vinha única. É desta forma que este single vineyard se distingue, tendo adotado o nome da vinha de onde provém.
 
Quase 20 anos depois da sua plantação, esta vinha dá origem a um dos vinhos mais consensuais e consagrados produzidos no Monte da Ravasqueira. Com um estágio longo em barricas de carvalho francês, este vinho evidencia a elegância das castas Syrah e Touriga Franca, em diferentes percentagens de ano para ano e provenientes de pequenas zonas de uma área de cinco hectares.
Modificado em quinta, 07 novembro 2019 01:40