segunda, 28 maio 2018

Marcelo Rebelo de Sousa eleito Presidente da República

Escrito por  Publicado em País domingo, 24 janeiro 2016 22:21
Tomada de posse do 20º Presidente da República portuguesa está agendada para dia 9 de Março Tomada de posse do 20º Presidente da República portuguesa está agendada para dia 9 de Março Miguel Manso
Está eleito o novo Presidente da República. Como era expectável, Marcelo Rebelo de Sousa é o novo inquilino do Palácio de Belém, com uma vitória em todos os distritos, acontecimento inédito numa primeira volta. Tomará posse a 9 de Março.
 
António Sampaio da Nóvoa, que ficou em segundo lugar, foi o último a assumir a derrota. Como mandam as regras.
 
Marcelo Rebelo de Sousa será o novo Presidente da República Portuguesa. Será o quinto Presidente eleito desde o 25 de Abril de 1974.
 
O novo Presidente da República foi eleito com 52% e quase dois milhões e meio de votos, vencendo em todos os distritos, algo que nunca nenhum candidato conseguiu à primeira eleição. Tanto Mário Soares como Cavaco Silva conseguiram o pleno em todos os distritos, mas foi na eleição para o seu segundo mandato. Com todas as freguesias apuradas, e apesar da vitória incontestada, Marcelo alcançou o terceiro pior resultado eleitoral de um vencedor à primeira volta em presidenciais. Menos só Cavaco Silva em 2006 (50,54%) e Freitas do Amaral em 1986 (46,31%).
 
António Sampaio da Nóvoa, que obteve 22,89% dos votos, felicitando Marcelo Rebelo de Sousa disse: "A partir de agora, Marcelo Rebelo de Sousa é o meu Presidente".
 
Maria de Belém foi a primeira a felicitar Marcelo Rebelo de Sousa e a assumir-se como vencida. As grandes surpresas da noite foram mesmo o baixo resultado alcançado por Maria de Belém Roseira, que se ficou pelos 4,24%, bem como o terceiro lugar atingido por Marisa Matias, a candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda, que chegou aos 10,13%.
 
Em quinto lugar surge Edgar Silva, o candidato do Partido Comunista Português, com 3,95% dos votos, seguindo-se Vitorino Silva (3,28%), Paulo de Morais (2,15%), Henrique Neto (0,84%), Jorge Sequeira (0,3%) e Cândido Ferreira (0,23%).
 
No discurso de vitória, no hall da Faculdade de Direito, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que quer "fomentar a unidade nacional", não olhando a esforços para "unir aquilo que as conjunturas dividam e estreitando a relação entre todos" porque "quanto mais coesos formos mais fortes seremos".
 
Como segunda meta, o professor pretende "reforçar a coesão social, pessoal e territorial por imperativo da Constituição e por convicção pessoal". Marcelo promete ser "politicamente imparcial", mas assevera que "não deixarei de ser socialmente actuante".
 
Em terceiro lugar, o vencedor da noite quer "promover convergências políticas" que permitam colmatar a cultura de compromisso e de consenso que se perdeu nos últimos anos. 
 
Como quarta tarefa Marcelo estabelece a necessidade de "incentivar o frutuoso relacionamento entre órgãos de soberania e os agentes políticos, económicos e sociais".
 
Por último, o futuro Presidente define como desafio "conciliar a justiça social com o crescimento económico e a estabilidade financeira".
 
c/ Jornal de Negócios e Público
 

Deixe um comentário

Mais Populares