sábado, 16 dezembro 2017

O setor da produção de leite de vaca alentejano está em forte risco de falência

Escrito por  Publicado em António Costa da Silva quinta, 16 fevereiro 2017 03:06
Ainda há pouco tempo, o setor da produção de leite era um dos poucos (dos ligados à agricultura) que contribuía positivamente para a Balança Comercial (saldo entre exportações e importações).
 
Em termos práticos, para além do vinho e mais recentemente o azeite, o sector da produção de leite tem contribuído de uma forma muito positiva para que as exportações sejam superiores às importações. 
 
Sem dúvida alguma um excelente exemplo que deveria ser seguido por muitos mais produtos agrícolas.
 
Esta é uma matéria muito importante para o País. Garantir que as exportações dos produtos agrícolas são superiores às importações, deveria ser considerado um grande objetivo nacional.
 

Atualmente, com este Governo, deixaram de existir instrumentos públicos de ajuda verdadeiramente adequados ao setor da produção de leite de vaca. O atual Governo abandonou completamente o setor. O mesmo não se está a passar noutros países da União Europeia.

Segundo informações prestadas por produtores e profissionais da produção de leite de vaca do Distrito de Évora, existe um problema bastante grave de sustentabilidade deste setor.
 
O preço do litro de leite de vaca, com o valor atual de 29 cêntimos (10 cêntimos mais baixos que há um ano atrás) está a afundar o setor. Sucessivamente, os preços do leite de vaca têm vindo a baixar significativamente ao longo dos tempos. 
 
Esta grave situação está a colocar em causa a sustentabilidade deste importante sector alentejano. Agravando-se dia para dia, sem que se vislumbre um horizonte mais positivo.
 
Ao longo de muitos anos os empresários do setor da produção de leite de vaca foram incentivados a realizar investimentos muito avultados. Responderam com investimentos de excelência, apostando na modernização e ampliação das infraestruturas, assim como num desenvolvimento tecnológico muito significativo.
 
Como resultado, este setor, da produção de leite, é dos poucos a nível nacional que tem um saldo positivo entre exportações e importações. Uma excelente resposta dada pelo setor.
 
Atualmente, com estas derivações no mercado, sentem-se completamente desapoiados.
 
As perspetivas futuras são pouco animadoras, sendo mesmo considerados pelas empresas do setor financeiro, como um setor de alto risco. Os financiamentos em capital de risco estão totalmente desajustados às necessidades do setor. 
 
Atualmente, com este Governo, deixaram de existir instrumentos públicos de ajuda verdadeiramente adequados ao setor da produção de leite de vaca.
 
O atual Governo abandonou completamente o setor. O mesmo não se está a passar noutros países da União Europeia.
 
Continuar a este ritmo, a falência das empresas do setor da produção de leite de vaca vai agravar-se significativamente.
 
Colocam-se algumas interrogações:
- Será que o Governo ciente das grandes dificuldades que o setor da produção de leite de vaca está a atravessar, nomeadamente os produtores deste concelho alentejano? 
– As medidas mais recentes, avançadas pelo Governo, estão a resolver estes problemas do setor da produção de leite de vaca? Qual o efeito prático dessas medidas? Tem havido monitorização por parte do Governo?
– Está o Governo a reunir com as associações mais representativas do setor, com o objetivo de encontrar soluções para ajudar a resolver estes problemas em concreto?
 
Não podemos deixar de ficar impacientes quando vemos um sector tão importante a definhar de uma forma tão vertiginosa.
 
Devemos lutar para que este sector volte a ganhar nova dinâmica (tal como aconteceu em anos de crise) e que ajude o País na sua trajectória de mudança positiva da Balança Comercial.
 
* Deputado António Costa da Silva

* Deputado António Costa da Silva

Deixe um comentário

Mais Populares