terça, 17 outubro 2017

"Amada Rádio"

Escrito por  Publicado em José Lameiras segunda, 13 fevereiro 2017 16:13
Escrevo este texto no Dia Mundial da Rádio. Geralmente este tipo de dias apenas serve para lembrar que há coisas que existem e de que todos gostamos muito... mas só neste dia. Com a rádio, não é assim. A rádio é todos os dias acarinhada, ouvida, mimada. Os ouvintes adoram a rádio. A rádio é a companhia de muita gente que está só. Mesmo onde a televisão chega em perfeitas condições, geralmente há sempre um rádio que está ligado grande parte do dia, nem que seja para que a casa tenha "som". 
 

No ano passado, neste mesmo local, escrevi sobre a "Magia da Rádio". Não me canso de escrever sobre a rádio. A rádio tem-me dado muito. Faço o que gosto, sei que não falo sozinho e que por vezes escolher a música ou a palavra certa pode mudar, para melhor, o dia de alguém. "Escolhe um trabalho de que gostes e não terás de trabalhar nem um dia da tua vida". Eu não escolhi a rádio, foi ela que me escolheu a mim. Foi ela que me agarrou ainda antes de eu saber que esta seria a minha profissão. 
 
Até parece que me soa mal quando digo que a rádio é a minha profissão. A rádio é uma das minhas paixões, é um dos meus amores. Fala-se no "bichinho da rádio", esse que morde uma vez e deixa marcas para toda a vida. Esse "bicho" existe mesmo, porque quem faz rádio uma vez parece que fica "contaminado" para a vida inteira. A rádio é a tal "escola" de que tantos comunicadores falam. Quando conseguimos manter as pessoas "coladas" ao rádio, apenas usando a palavra, estamos preparados para muitas outras coisas ao longo da nossa vida. 
 
Em 2016, em média, cada português ouviu três horas de rádio por dia. A faixa etária que mais ouve rádio, em Portugal, é a que se situa entre os 25 e 44 anos. São dados que nos deixam esperança para o futuro, sendo também verdade que todos percebemos que a rádio está de boa saúde e tem um lugar especial na vida dos portugueses. Todos nós ouvimos rádio mesmo porque gostamos, ouvimos rádio porque faz parte da nossa vida. 
 

Até parece que me soa mal quando digo que a rádio é a minha profissão. A rádio é uma das minhas paixões, é um dos meus amores. Fala-se no "bichinho da rádio", esse que morde uma vez e deixa marcas para toda a vida. Esse "bicho" existe mesmo, porque quem faz rádio uma vez parece que fica "contaminado" para a vida inteira.

Os ouvintes confiam na rádio. Os ouvintes sabem que o que ouvem na rádio é verdade e estabelecem afinidades com quem fala para eles. Isto é dificil explicar, mas é mesmo assim. Os ouvintes adoram vir à rádio, adoram conhecer quem com eles fala todos os dias, adoram participar, adoram dizer qualquer coisa e assim encurtar distâncias. Há rádios com mais ouvintes e outras com menos, é mesmo assim. Mas basta estar uma pessoa "do outro lado", para já valer a pena.
 
O Dia Mundial da Rádio não serve para recordar as pessoas de que existe a rádio. Isso não é preciso. Serve sim, para que a rádio seja ainda mais acarinhada neste dia, para que os ouvintes participem ainda mais e para que nós, aqueles que damos voz à radio, aproveitemos para agradecer tudo o que ela nos tem dado e tem permitido viver. 
 
Eu estou grato, e muito, a ti, "amada rádio".

Deixe um comentário

Mais Populares