sábado, 25 novembro 2017

Estremoz entregou candidatura de figurado em barro a Património da Humanidade

Escrito por  Publicado em Estremoz quinta, 31 março 2016 00:46
Processo de candidatura foi desenvolvido recorrendo apenas a recursos técnicos e humanos do município Processo de candidatura foi desenvolvido recorrendo apenas a recursos técnicos e humanos do município DR
O Município de Estremoz anunciou ter entregue à Comissão Nacional da UNESCO, a candidatura à inscrição da produção de figurado em barro na lista representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade.
 
A autarquia refere em comunicado que o processo de promoção, investigação e produção de conhecimento, iniciado em Outubro de 2012, pretende chegar ao registo dos chamados “Bonecos de Estremoz”, em barro, arte emblemática da cidade, na lista da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).
 
"Após a conclusão da componente burocrática e apresentação de estudos", o dossier de candidatura foi entregue, num processo em que a câmara municipal teve como parceiros a Direcção Regional de Cultura do Alentejo e o Centro UNESCO para a Valorização e Salvaguarda do Boneco de Estremoz.
 
A autarquia explicou ainda que "todo este processo de candidatura foi desenvolvido recorrendo apenas a recursos técnicos e humanos do município, em estreita colaboração com o grupo de trabalho da Comissão Nacional da UNESCO, através do seu Comité para o Património Cultural Imaterial".
 
Como primeiro passo deste processo, em Março de 2014, a Assembleia Municipal estremocense já tinha declarado a "Produção de Figurado em Barro de Estremoz" como Património de Interesse Municipal.
 
Ainda de acordo com a Câmara Municipal, os estudos continuaram, e o Plano de Valorização e Salvaguarda do Boneco de Estremoz começou a ser colocado em prática, nomeadamente no âmbito da investigação da produção bonequeira actual e das matérias-primas dos séculos XVIII e XIX da colecção Reis Pereira.
 
No âmbito do projecto, foram realizadas várias conferências e renovada a exposição permanente do Museu Municipal Professor Joaquim Vermelho, além de terem sido promovidas exposições temporárias e actividades educativas.
 
A Direcção-Geral do Património Cultural, em Abril de 2015, inscreveu a produção do figurado em barro no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial e, dois meses depois, foi criado, no Museu Municipal, o Centro UNESCO para a Valorização e Salvaguarda do Boneco de Estremoz.
 
O boneco modelado ao modo de Estremoz é uma produção artística de carácter popular, com mais de 300 anos de história, que era maioritariamente executada por mulheres nos primeiros séculos de existência da arte e que tem sido um elemento de divulgação da cidade no país e no estrangeiro.
 
A arte consiste na modelação de uma figura em barro cozido, policromado e efectuada manualmente, segundo uma técnica com origem, pelo menos, no século XVII.
 
Em Estremoz, trabalham actualmente nesta arte Afonso Ginja, Célia Freitas, Duarte Catela, Fátima Estróia, as Irmãs Flores, Isabel Pires, Jorge da Conceição, Maria Luísa da Conceição, Miguel Gomes e Ricardo Fonseca.
 
c/ LUSA
 

Deixe um comentário

Mais Populares