segunda, 23 maio 2022
quarta, 26 janeiro 2022 01:08

Associação Tauromáquica OPE já não gere os destinos da Praça de Touros de Estremoz

Escrito por
A informação foi avançada pelo Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, José Daniel Sádio A informação foi avançada pelo Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, José Daniel Sádio DR

A OPEAssociação Tauromáquica de Estremoz, que desde o ano de 2013 geria os destinos da centenária Praça de Touros da cidade branca do Alentejo, já não está à frente da gestão do tauródromo estremocense.
 
A informação foi avançada pelo Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, José Daniel Sádio, durante a última reunião do Executivo Municipal, realizada no Salão Nobre dos Paços do Concelho, no dia de ontem, quarta-feira, 26 de Janeiro.
 
O ponto 9 da ordem de trabalhos dessa mesma reunião de câmara dizia respeito à “Denúncia do Acordo de Colaboração com a OPE – Associação Tauromáquica de Estremoz”, tratando-se este de um ponto de conhecimento à restante vereação.
 
Segundo José Daniel Sádio, e numa lógica daquilo que a autarquia “pretende implementar no âmbito da tauromaquia e em concreto no espaço Praça de Touros, devemos ter outra visão na forma como ela é gerida e no potenciar daquela actividade”.
 
O autarca referiu que, depois de uma reunião mantida com a OPE, em que houve entendimento entre ambas as partes, o Acordo de Colaboração celebrado entre a autarquia estremocense e a Associação Tauromáquica de Estremoz foi denunciado.
 
Ainda segundo o edil estremocense, e referindo que o mesmo será apresentado muito em breve, o novo modelo de gestão que está a ser articulado pretende acautelar vários factores como “o princípio da transparência, da participação de todas as entidades, que a associação que vier a ter a concessão seja a melhor proposta” e que seja tido em conta “a questão da manutenção, na verba para a poder manter, uma vez que a câmara obrigava-se ela própria a fazer a manutenção”.
 
José Daniel Sádio salientou que “a lógica da Câmara não é lucrar com o espaço, é proporcionar que ali ocorram eventos, mas é também de alguma forma garantir que aquilo que são despesas de manutenção e de funcionamento sejam acauteladas, que de alguma forma não estavam devidamente clarificadas” no acordo agora denunciado.
 
Depois de interpelado pelo vereador do MiETZ, José Carlos Salema, sobre qual o novo modelo de gestão da Praça de Touros de Estremoz, o Presidente da autarquia frisou que o mesmo assentará em vários pontos como a concessão “durante um período mais alargado, por exemplo três anos, para que quem queira fazer um projecto para desenvolver a tauromaquia em Estremoz tenha condições”, lançando o repto às entidades interessadas para que organizem corridas, “desenvolvendo a tauromaquia no nosso concelho”, fora das datas definidas no “calendário” habitual como a FIAPE ou as Festas de Setembro.
 
José Daniel Sádio salientou ainda que um dos pontos importantes no novo modelo de gestão é “haver algum compromisso”, por parte dos interessados, “com custos”, nomeadamente efectivando o pagamento daquilo que são as despesas de manutenção “quando há eventos” e também garantir que “a Câmara encaixe uma renda anual a definir que permita que se faça a manutenção da praça”. “Quem promove faz o seu papel, cria um projecto e arranja formas de ter sucesso, mas por outro lado nós estamos a arrendar um espaço e temos de ter garantias de que quando formos devolver o imóvel aos seus proprietários, temos o dever de o entregar em condições. Coisa que neste momento não está, que nos vai obrigar até para este ano, havendo a possibilidade de se realizarem eventos, a ter investimento por parte do Município”, concluiu.
 
Durante os oito anos de gestão da OPE, foram várias as empresas responsáveis pela organização dos eventos tauromáquicos na Praça de Touros de Estremoz: Campo e Praça, Lda, da dupla Albino Caçoete e António Manuel Barata Gomes, que organizarou a corrida nocturna de reinauguração do tauródromo estremocense, a Sociedade Campo Pequeno S.A., com Rui Bento Vasquez à cabeça, responsável pela realização da primeira e única corrida televisionada pela RTP em Estremoz, a Circuitos Taurinos, do espanhol Carlos Zuñiga Jr., que trouxe até à cidade branca o cavaleiro Diego Ventura, a Aplaudir, do antigo forcado João Pedro Bolota, a Verdadeira Festa, Lda, de Vasco Durão, a Ovação e Palmas Eventos, da dupla Luís Miguel Pombeiro e Manuel Jorge de Oliveira, e a Ovação e Palmas Tauromaquia, de Luís Miguel Pombeiro, que geriu os destinos tauromáquicos da centenária de Estremoz durante os dois últimos anos, e que levou a efeito a inédita Feira Taurina de Estremoz. Fernando Canto, o apoderado de sempre do cavaleiro estremocense Francisco Cortes, também ali organizou, em Setembro de 2020, a corrida comemorativa dos 25 anos de alternativa de “Kiko” Cortes.
 
De recordar que a Praça de Touros de Estremoz, inaugurada em 1904, é propriedade do Centro de Bem Estar Social de Estremoz. Devido ao mau estado de conservação em que a mesma se encontrava, no ano de 2011, o Município de Estremoz estabeleceu um protocolo com a entidade proprietária do imóvel, com vista à sua recuperação e adaptação a espaço multifunções. Este protocolo tem a duração de 25 anos.
 
Modificado em quinta, 27 janeiro 2022 09:24

Deixe um comentário

PUB