quarta, 20 junho 2018

Reunião extraordinária da Assembleia Municipal de Estremoz envolta em polémica

Escrito por  Publicado em Estremoz %PM, %29 %649 %2018 %15:%maio
AM acabou por não se realizar por falta de quórum AM acabou por não se realizar por falta de quórum DR
Conforme o Edital nº 11, publicado a 14 de Maio, esteve marcada para a passada sexta-feira, dia 25 de Maio, uma Assembleia Municipal Extraordinária para discussão da questão do Abastecimento Público de Água, Saneamento Básico e Serviço de Recolha de Lixo.
 
Esta reunião, solicitada pelo Grupo Municipal do Partido Socialista (PS), acabou por não se realizar por falta de quórum, devido à falta dos deputados do MiETZ - Movimento Independente por Estremoz, do MIPA - Mais Independência para Arcos e do MUPE - Movimento Unidos por Estremoz, para além da ausência do executivo camarário e da Mesa da Assembleia Municipal.
 
Através de um comunicado enviado às redacções, o PS de Estremoz assegura que “a Assembleia Municipal de Estremoz foi palco de um episódio que deve envergonhar todos os estremocenses”.
 
Na missiva, os socialistas estremocenses questionam o executivo liderado por Luís Mourinha: “De que têm medo? O que têm a esconder?”, afirmando que “há muita coisa para esclarecer acerca do assunto” visto que “meio milhão de euros de faturas por cobrar não se acumulam num mês, num ano, num mandato…”.
 
No mesmo comunicado é ainda visado Nuno Rato, Presidente da Assembleia Municipal de Estremoz, que segundo os socialistas estremocenses “faltou à sessão que ele próprio convocou, contrariando a lei e o juramento que fez na tomada de posse”, questionando ainda “não deverá ele próprio tirar as consequências da sua atitude?”.
 
Criticando fortemente o sucedido no passado dia 25 de Maio, o PS de Estremoz chega mesmo a afirmar: "Tenham vergonha! Demitam-se!".
 
Segundo os socialistas de Estremoz, "a recusa deliberada em participarem numa Sessão da Assembleia Municipal, revela a essência do comportamento daqueles que apregoam que não se justifica celebrar o 25 de Abril".
 
Também a concelhia de Estremoz do Partido Social Democrata (PSD), através de uma curta mensagem publicada na sua página oficial na rede social Facebook, também já reagiu a esta polémica, salientando que “o Presidente da Assembleia Municipal prestou um péssimo serviço à democracia em Estremoz”, acrescentando ainda que “o MiETZ não pode fugir ao diálogo e debate de ideias”.
 
Lamentando “o clima de crispação que continua naquele órgão” o PSD afirma que “temas como o abastecimento de água e a recolha de lixo são assuntos sérios e de interesse para todos” e que “os estremocenses merecem mais respeito por parte daqueles que democraticamente foram eleitos”.
 
Em relação ao facto da deputada municipal do PSD, Cândida Lóios, eleita pelo MUPE, não ter marcado presença na referida Assembleia Municipal, os sociais-democratas estremocenses revelam que o mesmo aconteceu “por motivos profissionais”.
 
Contactado pelo Ardina do Alentejo, Nuno Rato, Presidente da Assembleia Municipal de Estremoz, disse nada ter "a comentar sobre este assunto e que futuramente tomará todas as acções legais, dentro da sua competência, sobre estas matérias".

Deixe um comentário

Mais Populares