quarta, 23 agosto 2017

Mais um agente estremocense da PSP em destaque

Escrito por  Publicado em Estremoz quinta, 13 julho 2017 10:09
 “Eu e o meu colega apenas cumprimos a nossa missão” referiu o estremocense Nelson Catambas “Eu e o meu colega apenas cumprimos a nossa missão” referiu o estremocense Nelson Catambas DR
Na passada semana, a notícia de um menor com deficiência cognitiva abandonado de madrugada, no interior de um carro, pelo próprio pai, na cidade do Montijo, foi amplamente divulgada pelos mais diversos órgãos de comunicação social nacional, e mereceu assaz destaque nos noticiários da CMTV.
 
Apesar de toda esta divulgação, poucos serão aqueles que sabem que um estremocense, Nelson Catambas de seu nome, faz parte desta história e que, em conjunto com o seu colega de serviço, ajudaram a mudar a vida desta criança de 13 anos apenas.
 
Eu e o meu colega apenas cumprimos a nossa missão” referiu em declarações ao Ardina do Alentejo, o estremocense Nelson Catambas, agente da Polícia de Segurança Pública (PSP) na Esquadra do Montijo, desde 2015.
 
Sobre a ocorrência, que teve lugar na madrugada do passado dia 04 de Julho, Nelson disse não querer “adiantar mais pormenores” salientando que “nem me compete muito a mim pronunciar” até porque “já foi tudo praticamente dito nos noticiários da CMTV, que deu grande destaque à notícia”.
 
O agente Catambas asseverou que esta “foi uma situação em que não poderia ficar indiferente”. “Tratava-se de um menor com deficiência cognitiva, deixado pelo próprio pai no banco traseiro do seu automóvel. Depois foi presenciar que esta criança necessitava de afecto, carinho e atenção” acrescentou. Nelson referiu ainda que “além de Polícia, sou humano e pai. Mexeu comigo, pois um menor com necessidades especiais foi exposto ao abandono”.
 
Por ser uma situação à qual não conseguiu ficar indiferente, Nelson Catambas expressou “aquele sentimento de revolta a nível humano na rede social Facebook”, nunca esperando que esta história “tivesse tanto mediatismo”, e que chegasse ao conhecimento dos órgãos de comunicação social. “Não era isso que pretendia” concluiu.
 
A PSP, que entregou a criança no Centro Jovem Tabor, em Setúbal, uma Instituição Particular de Solidariedade Social que acolhe jovens em risco, participou o caso ao Ministério Público, relatando indícios do crime de exposição ao abandono.
 
Nelson Catambas entrou para o curso da PSP no dia 27 de Outubro de 2003,tendo terminado o mesmo a 14 de Maio de 2004. Três dias volvidos, a 17 de Maio de 2004, apresentou-se em Lisboa, na 5ª Divisão, tendo sido colocado na 11ª Esquadra, onde permaneceu até finais do ano de 2007.
 
No início do ano de 2008, foi transferido, por vontade própria, para o Comando Distrital de Setúbal, ficando colocado a exercer funções na Esquadra da Baixa da Banheira, onde permaneceu até inícios de 2012, sendo depois colocado na Esquadra de Investigação Criminal do Barreiro, onde cumpriu missão durante três anos.
 
Novamente por vontade própria e devido a motivos pessoais, foi colocado na Esquadra do Montijo, esquadra onde exerce funções até à presente data. Actualmente encontra-se a aguardar colocação num dos Comandos Distritais da PSP que se encontram mais perto da terra que o viu nascer, Évora ou Portalegre.

Deixe um comentário

Mais Populares