segunda, 28 maio 2018

Estremocense escreve carta a Trump que se torna viral nas redes sociais

Escrito por  Publicado em Estremoz terça, 31 janeiro 2017 14:03
Carta já foi lida por mais de 170 mil pessoas e mais de 18 mil já a partilharam na rede social Facebook Carta já foi lida por mais de 170 mil pessoas e mais de 18 mil já a partilharam na rede social Facebook DR
Começou por ser publicada no site “A Voz dos Jovens”. Daí até ao site da associação feminista Capazes foi um pequeno passo. Mais de 170 mil pessoas já a leram e mais de 18 mil pessoas já a partilharam na rede social Facebook. A “Carta aberta a Donald Trump escrita por uma mulher” tornou-se viral e é da autoria da estremocense Ana Beatriz Basílio, de 17 anos.
 
Numa breve entrevista concedida ao Ardina do Alentejo, a estudante do 12º ano de Economia na Escola Secundária Rainha Santa Isabel de Estremoz, confessou que não esperava que a sua carta se tornasse tão popular, mas já que a mesma se tornou viral, gostava que Donald Trump a lesse, embora Ana acredite que em nada alteraria as decisões que o Presidente dos Estados Unidos da América vai tomar.
 
E tudo começou com “Querido Donald”…
 
Ardina do Alentejo - Como e quando surgiu a ideia de escreveres aquela carta aberta a Donald Trump?
Ana Beatriz Basílio (ABB) - A carta surgiu de um momento de revolta com tudo o que estava a acontecer. Era perto das 23 horas quando a comecei a escrever, após um dia inteiro a acompanhar as diversas Marchas das Mulheres pelo mundo inteiro, senti que era a hora de me fazer expressar! Se não fosse perto das 23 horas muito provavelmente esta carta não tinha sido escrita, já que eu falo muito com os meus pais sobre os assuntos da actualidade, mas nesse momento eles já estavam a dormir e tive que arranjar uma forma de dar “forma” às minhas ideias e surgiu assim a carta!
 
Ardina do Alentejo - Como é que estás a ver toda essa “popularidade” que tu e a tua carta estão a ter no momento?
Ana Beatriz Basílio (ABB) - Para ser sincera nunca esperei que a carta tivesse tanta popularidade, quando a escrevi não foi o com objectivo de vir a ganhar algo, foi apenas uma forma de me expressar! Quando acabei de escrever a carta e a fui reler percebi que até não estava nada mal e mostrei a algumas pessoas que me deram um feedback bastante positivo. A carta começou por ser publicada num site/blog de jovens chamado “A Voz dos Jovens”, chegou depois ao site das “Capazes” e a partir daí tornou-se viral! Neste momento já cerca de 170 mil pessoas leram a carta e já tem mais de 18 mil partilhas no Facebook, foi mesmo algo que nunca pensei! O feedback é muito positivo, claro que não se pode agradar sempre a gregos e a troianos e existe algumas pessoas que manifestam a sua opinião que é diferente da minha, mas maioritariamente as pessoas partilham a minha opinião. Ser reconhecida como “olha a rapariga que fez aquela carta a defender as mulheres” é bastante positivo e bastante gratificante porque a luta pela igualdade de géneros é o que mais quero ver ser cumprido!
 
Ardina do Alentejo - E se Trump lesse a carta…
Ana Beatriz Basílio (ABB) - Após se ter tornado viral, o objectivo passou a ser esse mesmo! Sei que a carta não mudaria em nada as decisões que o Donald Trump vai tomar, mas ao menos eu posso dizer que fico de consciência tranquila porque dei um contributo para esta grande luta, a qual não devia ser luta já que os direitos das mulheres também são direitos humanos e esses devem ser assegurados. É triste que em pleno século XXI ainda se tenha que lutar assim e enquanto eu não vir esta questão resolvida já mais me irei calar!
 
Ardina do Alentejo publica agora a “Carta aberta a Donald Trump escrita por uma mulher”…
 
Querido Donald, 
Não é assim que gostas de nos tratar? Só quero que saibas que não é assim que queremos ser tratadas, cada uma de nós tem nome, sabes?
Então da próxima vez que te dirigires a nós faz o favor de o fazer com respeito!
Escrevo-te esta carta ainda neste doloroso dia 21 de Janeiro de 2017, um dia após te tornares o presidente dos Estados Unidos da América.
O motivo desta carta? Ainda não te o revelo, mas quando chegar ao fim quero que o entendas na perfeição!
Hoje foi o dia das Mulheres saírem à rua, mas não saíram sozinhas, saíram com todas as pessoas que, desta ou daquela forma, não estão de acordo com as tuas idéias ou ideais!  Homens, Mulheres, crianças, idosos, imigrantes,  pessoas com diferentes orientações sexuais,  não vou conseguir enumerar todas as pessoas, e peço desculpa por isso mesmo, mas felizmente houve muita adesão, muito mais do que tu imaginas!
A marcha foi "criada" com o intuito de mostrar a todos mas em especial a ti que os direitos das mulheres são direitos humanos! Não, nós Mulheres não somos nojentas por amamentar os nossos filhos. Não, nós Mulheres não devemos ter medo de poder perder os nossos filhos simplesmente porque somos mães solteiras ou porque temos uma mulher como companheira. 
Nós mulheres somos muito mais do que tu pensas! 
NÃO, NÓS MULHERES NÃO VAMOS FICAR SUJEITAS A ESTE TIPO DE VIOLAÇÕES DOS NOSSOS DIREITOS.  
Só porque nasci com uma vagina em vez de um pénis sou um ser inferior? 
Pensa no contrário querido Trump, se fosses tu a nascer mulher gostavas de ser constantemente humilhado e mal tratado? Gostavas de saber, logo à partida, que vais ganhar menos que um homem sendo muitas vezes mais qualificada que ele? Gostavas de andar na rua, à noite, com receio do que te podia acontecer? Gostavas?  
Penso que não.  
Faz-nos o favor de mudar, o machismo era para ter ficado para trás, no século anterior e não estar presente em 2017 muito menos num presidente dos Estados Unidos da América.
 A forma como falas de nós não é digna nem para uma boneca de porcelana...então porque falas assim para mais de 50% da população do Mundo? 
Eu não sou um objeto sexual, eu não sou só "válida' profissionalmente por causa da minha aparência física ou descontrolada quando estou com o período. Eu não sirvo para ficar em casa a tomar conta dos teus filhos, se os filhos também são teus porque é que não ajudas em casa? 
Trump, acho que a mensagem desta carta é simples e fácil de entender! 
"Mulheres, temos de tratá-las como se fossem m****" não é o melhor lema. Não te esqueças que a nossa luta começou hoje e já te demos provas que somos capazes! 
Mais uma coisa Trump, "Não sejas Trump"!

Deixe um comentário

Mais Populares