domingo, 17 dezembro 2017

Existem duas propostas para exploração da Praça de Touros de Estremoz

Escrito por  Publicado em Estremoz sexta, 11 novembro 2016 01:58
Mourinha fecha porta da praça à TTE - Tertúlia Tauromáquica de Estremoz Mourinha fecha porta da praça à TTE - Tertúlia Tauromáquica de Estremoz DR
Duas. Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, junto de um dos elementos da direcção da OPE - Associação Tauromáquica de Estremoz, são apenas duas as propostas de empresários tauromáquicos que estão em cima da mesa, para organização das corridas de touros na centenária Praça de Estremoz, durante a temporada de 2017.
 
De recordar que a Câmara Municipal de Estremoz, arrendatária da praça durante 25 anos, propriedade do Centro de Bem Estar Social de Estremoz, voltou a confiar na OPE os destinos do tauródromo estremocense para a próxima temporada tauromáquica.
 
E ao contrário do que foi vaticinado por vários órgãos de comunicação social, nem é o Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Luís Filipe Mourinha, que está a conduzir o processo de sucessão de João Pedro Bolota, e subsequentemente da empresa Aplaudir, como organizador das corridas na Praça de Touros de Estremoz, nem foram cinco as propostas apresentadas por parte de empresários tauromáquicos para levarem por diante a organização das corridas de touros nas duas tradicionais datas tauromáquicas da cidade branca do Alentejo, a Corrida da FIAPE e a Corrida das Festas de Setembro
 
Aquando da reunião do executivo da Câmara Municipal de Estremoz, do passado dia 26 de Outubro, e em resposta ao vereador da oposição José Daniel Sádio, o autarca deixou bem claro que “a única verdade” em relação a esta matéria “é que tenho recebido mails e telefonemas de alguns empresários mas ainda não respondi, nem atendi nenhum”, sublinhando ainda que a exploração da praça de touros “é da responsabilidade da OPE e não da Câmara”.
 
O elemento da direcção da OPE contactado pelo nosso portal de informação, adiantou que, e havendo carta branca por parte do Município estremocense para que seja a OPE a tomar a decisão, “as duas propostas estão a ser estudadas e analisadas pela associação”. Não querendo todavia adiantar os nomes dos empresários concorrentes à organização das corridas na centenária praça estremocense, a nossa fonte lá foi salientando que “as coisas estão a ser feitas com pés e cabeça e para que nada falhe”. Ardina do Alentejo sabe que a apresentação prévia dos cartéis que pretendem trazer a Estremoz, bem como a qualidade de cada um dos elencos, será uma das condições a ter em conta para decidir quem organiza os espectáculos tauromáquicos em Estremoz, no ano de 2017. A mesma fonte referiu ainda que a associação tauromáquica estremocense “não tem pressa em tomar a decisão”, estando previsto que haja fumo branco em relação ao organizador das actividades tauromáquicas na Praça de Touros de Estremoz “ainda durante este ano”.
 
Depois da empresa “Campo e Praça”, da dupla Caçoete e Barata Gomes, da Sociedade Campo Pequeno e de Rui Bento Vasques, e da “Aplaudir” de João Pedro Bolota, quem será o senhor ou a empresa que se segue na remodelada Praça de Touros de Estremoz?
 
Porta fechada para a TTE
Na reunião do executivo da Câmara Municipal de Estremoz, realizada no passado dia 26 de Outubro, o Presidente da Câmara Municipal, Luís Filipe Mourinha, fechou definitivamente as portas da Praça de Touros de Estremoz à TTE - Tertúlia Tauromáquica de Estremoz.
 
O vereador socialista José Daniel Sádio referiu existirem “associações em Estremoz que não conseguem utilizar os espaços municipais, mais concretamente a Tertúlia Tauromáquica de Estremoz, que no mês de Janeiro pretendeu utilizar a Praça de Touros, e até aos dias de hoje nunca foi possível”.
 
Em resposta ao vereador da oposição, o edil estremocense referiu que “muitas das vezes não são as associações que querem utilizar o espaço, mas sim os empresários que lhe estão colados”. Concluiu a sua intervenção sobre este assunto dizendo que “aqueles que mais criticam são aqueles que já tiveram a sua oportunidade e só deram prejuízo à Câmara”, acrescentando taxativamente que “não adianta fazerem propostas, porque têm sempre parecer negativo”.

Deixe um comentário

Mais Populares