quarta, 14 novembro 2018
O início do julgamento de Francisco Borda d’Água, o homem que está acusado de ter assassinado a advogada Natália de Sousa, em Maio deste ano, em Estremoz, já tem data marcada.
 
Segundo fontes judiciais, o julgamento decorrerá no Tribunal de Évora, a partir do dia 17 de Março de 2015.
O sobejamente conhecido comerciante de frutas de Estremoz, está acusado pelo Ministério Público (MP) de um crime de homicídio qualificado, incorrendo na pena máxima de 25 anos de prisão.
 
Francisco Borda d’Água, que terá assassinado a advogada Natália de Sousa, de 50 anos, ao embater várias vezes com a sua cabeça no chão, aguarda julgamento em prisão preventiva no Hospital Prisional de S. João de Deus, em Caxias.
 
No despacho de acusação, a que a LUSA teve acesso, vem referido que o alegado autor do crime iniciou uma discussão com Natália de Sousa por causa do pagamento da pensão de alimentos à sua cliente e ex-mulher do arguido, na sequência de um processo de divórcio.
 
"Sem que nada o fizesse prever, o arguido fez uma rasteira à vítima, lançando-a ao chão. Agarrou-a pelo pescoço e embateu com a cabeça da mesma por mais de 14 vezes contra o mosaico do chão do escritório", pode ler-se na acusação.
 
Segundo o Ministério Público, o homem posteriormente abandonou a vítima no escritório, prostrada no chão e esvaída em sangue, e, já na rua, foi agarrado por uma pessoa que não o deixou sair do local até à chegada de um carro patrulha da PSP.
 
Para o Ministério Público, Francisco Borda D'Água atuou com a intenção de matar a vítima, como aconteceu, e de surpresa para que a advogada não se pudesse defender.
 
"O arguido agiu com prazer de lhe causar sofrimento, sabendo que o meio era especialmente cruel", assinala o MP na acusação.
 
O documento conclui que o alegado homicida "agiu deliberada e consistentemente ciente que a sua conduta era proibida e penalmente punida, e bem sabendo que aquela conduta era adequada a causar a morte".
 
De recordar que este caso remonta a 6 de Maio de 2014.
 
c/ LUSA
O vinho e a gastronomia estão finalmente de mãos dadas na Herdade das Servas.
 
Complementando ainda mais o já conceituado projecto de enoturismo da família Serrano Mira, a escassos quilómetros da cidade de Estremoz, abriu portas no passado dia 1 de Setembro, o Restaurante Herdade das Servas.
 
Gerido pelo empresário Paulo Baía, o Restaurante Herdade das Servas conta na cozinha com a mestria e saber da Chef Maria da Fé Baía. A cozinha, tradicional e regional, é servida por uma simpática equipa com um toque de modernidade. O vinho é da “casa”, conjugando-se na perfeição com os diversos pratos do menu, sejam eles sopa, peixe ou carne.  

 
O “Estremoz Soeiro” já fez uma visita ao empresário Paulo Baía e à Chef Maria da Fé Baía, e o grau de satisfação não podia ser melhor.
 
Num agradável jantar, as hostilidades foram abertas por uns soberbos “Cogumelos Recheados”. Regado com o branco “Vinha das Servas”, um
divinal “Cação de Coentrada” foi o interveniente seguinte. A carne surgiu em forma de “Bife à Portuguesa”, uma verdadeira delícia. A doçaria conventual e tradicional, em forma de “Encharcada”, “Pudim de Ovos”, “Toucinho do Céu”, “Pudim das Servas” e “Sopa Dourada”, fechou com chave de ouro uma refeição esplêndida.
 
Se ainda não visitou, aceite o convite e conheça este espaço de eleição, às portas de Estremoz. Se já visitou, sabe que não mentimos em nada no texto que escrevemos.
 
Ao Paulo e à Fé, uma palavra final de agradecimento pelo carinho e pela forma como fomos recebidos. Votos de muitos sucessos.
A “Wine Spectator”, uma revista especializada em vinhos, revelou recentemente a lista completa dos 100 melhores vinhos do mundo.
 
Nela estão incluídos seis vinhos portugueses: dois Portos, três do Douro e, como não poderia deixar de ser, um do Alentejo, mais concretamente de Estremoz.
 
No topo da segunda metade da tabela, em 56.º lugar, surge o único vinho português da lista que não é do Douro, nem do ano de 2011. O tinto alentejano “Ramos Reserva de 2012”, de João Portugal Ramos, do qual foram produzidas 41.800 caixas, é um néctar "poderoso e elevado".
 
A garrafa custa cerca de 10 euros a unidade e é "para beber até 2020".
 
c/ DN

Gala da ARCA realiza-se já amanhã

Escrito por sexta, 19 dezembro 2014 00:46
É já no dia de amanhã, Sábado, 20 de Dezembro, que o Salão da Junta de Freguesia de Arcos, no concelho de Estremoz, vai receber mais uma Gala de Natal da ARCA - Associação Recreativa e Cultural de Arcos.
 
A apresentação da nova peça do grupo de teatro Pátuá, as novas coreografias do grupo de dança Renascer, a música ao vivo, a retrospectiva das actividades da ARCA no ano de 2014, e muitas surpresas são as principais razões para não faltar a mais esta iniciativa, que será certamente de casa cheia, de uma das mais dinâmicas associações do concelho. A organização garante ainda que haverá "isto e muito mais!"
 
A entrada é livre!
A pedido dos cerca de 20 expositores participantes, a venda de artesanato “Feira Miminhos de Natal” vai regressar à Esplanada dos Congregados, no próximo Sábado, dia 20 de Dezembro, entre as 9 e as 13 horas.
 
A II edição da “Feira Miminhos de Natal” realizou-se durante o passado fim-de-semana e revelou-se um sucesso, dinamizando a economia local, através da promoção do artesanato e dos produtos locais.

 
Para além do artesanato, dos doces e dos licores, o público visitante contou ainda com a animação de vários grupos de dança, grupos de música popular e natalícia, contos de natal e sessões fotográficas com o Pai Natal.
 
Neste regresso da “Feira Miminhos de Nata” à Esplanada dos Congregados, também a música e a dança, através da iniciativa “Natal na Rua”, levada a cabo pela autarquia estremocense, vão regressar à zona da antiga Praça do Peixe. A partir das 10 horas, vai-se ouvir música por intermédio das Bandas da União e da Luzitana e, às 11 horas, a dança do grupo "Traquinas & All Star" prometem animar todos os presentes.
 
O Pai Natal também vai estar de volta, para mais uma sessão fotográfica durante a manhã.
 
c/ Município de Estremoz

Através de Nota de Imprensa enviada às redacções, a Câmara Municipal de Estremoz informa que, a partir do dia 17 de Dezembro, próxima quarta-feira, “devido à obra de demolição dos prédios sitos na rua Magalhães de Lima, números 85 a 93, rua dos Banhos, número 42, Largo Espírito Santo e contenção da fachada do prédio adjacente”, vai ser necessário “interditar o tráfego rodoviário nas ruas supracitadas, de modo a salvaguardar a segurança de pessoas e seus bens, bem como inverter o sentido do tráfego rodoviário na rua do Lavadouro”.
 
O Município liderado por Luís Mourinha acrescenta que “a obra terá um prazo de execução de 60 dias e tem como principal objectivo efectuar uma demolição controlada, evitando o colapso da estrutura dos prédios em causa, tendo em conta o risco de ruína, reduzindo o perigo para a saúde pública e para a segurança das pessoas”.
 
A Nota de Imprensa termina com o Município de Estremoz a agradecer “a compreensão e a colaboração de todos, lamentando qualquer incómodo que esta situação temporária possa causar à vida diária dos residentes e transeuntes”.
 
c/ Câmara Municipal de Estremoz
 
Em Estremoz, na última madrugada, dia 9 de Dezembro, o Destacamento de Acção Fiscal de Évora e o Destacamento Territorial de Estremoz apreenderam mais de 76 quilos de folhas de tabaco secas, prontas a serem introduzidas no mercado de consumo nacional.
 
Estas folhas, que dariam origem à produção de 76 500 cigarros, correspondentes a um valor de mercado na ordem dos 15 600 euros, originariam uma fuga aos impostos superior a 13 mil euros.
 
Desconhece-se até ao momento a origem das folhas de tabaco, embora não esteja posta de parte a existência de um circuito internacional dissimulado de abastecimento deste tipo de mercadorias, segundo revelou fonte da GNR.
 
O tabaco apreendido estava a ser transportado numa viatura de uma empresa de transporte de mercadorias, que circulava na Estrada Nacional 4 (EN4), junto a Estremoz.
 
O tabaco em questão encontrava-se em circulação, em regime suspensivo de imposto, sem cumprir os procedimentos fixados pelo Código dos Impostos Especiais sobre o Consumo.
 
Na semana passada, também numa operação de fiscalização, elementos do Destacamento de Acção Fiscal de Évora da GNR apreenderam cerca de 70 quilos de folhas de tabaco, em Évora, pela mesma infracção.
 
c/ Rádio Campanário
No âmbito do projecto de Valorização e Salvaguarda dos Bonecos de Estremoz, estão a decorrer no Museu Municipal de Estremoz, os primeiros trabalhos de beneficiação deste importante imóvel da cidade.
 
Este projecto de valorização e salvaguarda pretende dar resposta ao processo de candidatura da produção de bonecos de Estremoz a Património Cultural Imaterial da Humanidade, processo desencadeado pelo Município de Estremoz, dando assim uma maior visibilidade a esta arte tradicional que tem mais de 300 anos, e que tem sido um elemento de divulgação da cidade de Estremoz quer no território nacional, quer além-fronteiras.
 
A candidatura, que é financiada a 85%pelo INALENTEJO, envolve não só as obras de beneficiação e conservação do Museu Municipal, mas também a aquisição de equipamentos (vitrines, aquisição e aplicação de uma Tablescreen, aquisição de uma Mufla) necessários para a valorização dos Bonecos de Estremoz.
 
O valor total do investimento ascende a 220 mil euros.
 
c/ Município de Estremoz
Um autocarro da empresa estremocense Rainha Santa Isabel teve neste domingo, logo pela manhã, um despiste junto ao nó da A6, em Montemor-o-Novo.
 
O sinistro provocou ferimentos ligeiros em três ocupantes do autocarro, que transportava 35 turistas chineses com destino a Sevilha, em Espanha.
Uma avaria no pesado de passageiros, mais concretamente no sistema de “cruise control” poderá estar na origem do acidente.
 
O grupo, de origem asiática, tinha saído de Lisboa com destino a Sevilha. À saída do nó da A6, em Montemor-o-Novo, uma avaria atirou o autocarro para fora da estrada com alguma violência.
 
Os três feridos, cujas idades estão compreendidas entre os 50 e os 60 anos, foram transportados para o Hospital de Évora. O seu estado de saúde não inspira cuidados.
 
No local estiveram dez elementos dos Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Novo, a Viatura Médica de Emergência Rápida (VMER) de Évora e uma equipa das Estradas de Portugal.
 
Os passageiros seguiram viagem noutro autocarro da empresa estremocense.
 
A Guarda Nacional Republicana (GNR) está a investigar as causas do acidente.
 
c/ Pedro Galego - CMTV