segunda, 23 outubro 2017

Amor Electro na FIAPE 2015

Escrito por sexta, 23 janeiro 2015 23:36
E o véu começa-se a levantar sobre os artistas que vão animar musicalmente a FIAPE 2015.
 
Os Amor Electro são o primeiro nome que compõe a programação cultural da FIAPE 2015 avançado pela autarquia de Estremoz.
 
A banda de Marisa Liz sobe ao palco da Feira Internacional Agropecuária de Estremoz no dia 30 de Abril, quinta-feira, véspera de feriado.
No dia de ontem, quarta-feira, 21 de Janeiro, quatro forças políticas com secção em Estremoz, emitiram um comunicado conjunto em que censuram a atitude do Presidente da Câmara Municipal local, Luís Mourinha, que na reunião de câmara do passado dia 7 de Janeiro, terá proibido colaboradores de um jornal local de captarem som e imagens da respectiva reunião.
 
Em comunicado conjunto, PS, PSD, CDS e BE, afirmam que Luís Mourinha “violou o direito” consagrado na Constituição da República de “acesso à informação” ao ter impedido “que os colaboradores de um jornal local fizessem o seu trabalho”. Pode ainda ler-se que esta atitude “arrastou o Executivo para uma situação onde claramente não nos revemos”.
 
As estruturas políticas locais desvinculam-se “totalmente das tomadas de posição que o mesmo entendeu tomar” e afirmam ainda que “a postura do Senhor Presidente da Câmara só o deve responsabilizar a ele próprio”. Chegam mesmo a referir que “esta atitude, representa uma forma de entender e viver a democracia que não se enquadra no pós 25 de abril, muito menos num Estado de Direito Democrático e na qual não nos revemos”.
 
Já durante a tarde de hoje, quinta-feira, 22 de Janeiro, a autarquia liderada por Luís Mourinha reagiu, também emitindo um comunicado em que refere que na reunião de câmara do dia 7 de Janeiro, “dois jornalistas do “Jornal E” efetuaram a montagem de um tripé com uma câmara de vídeo no Salão Nobre, preparando-se para proceder à gravação de som e de imagens vídeo da referida reunião, sem que para tal tivessem solicitado qualquer tipo de autorização ao Presidente da Câmara”.
 
O comunicado salienta que “usando da competência que a Lei lhe confere, pois é a ele que compete dirigir os trabalhos e manter a ordem nas sessões, o Presidente da Câmara informou os jornalistas que não poderiam efetuar gravação de som e imagem vídeo, pois para tal não tinham sido autorizados. Informou ainda que poderiam assistir aos trabalhos, tirar notas e recolher fotografias do andamento dos trabalhos, tendo em conta o facto de a sessão ser pública”.
 
A autarquia afirma que “não se compreende a posição conjunta destas quatro forças políticas” naquilo que a edilidade considera “uma não questão”. O comunicado escrito pela autarquia desmente as forças políticas em relação ao alegado impedimento dos jornalistas em realizarem o seu trabalho e à violação do direito ao acesso à informação. “Tal não corresponde à verdade, pois como já foi referido e consta da ata da sessão, o Presidente da Câmara apenas não autorizou a gravação de som e imagens vídeo, tendo possibilitado outras formas de acesso à informação” pode ler-se.
 
O comunicado culmina com críticas às forças políticas: “Não estando o PSD, o CDS e o BE presentes no local dos acontecimentos, como lhes é possível tomar posição sobre este assunto, na medida em que não têm conhecimento efetivo dos factos? (…) É, por isso, lamentável que os partidos políticos assumam este tipo de posições, em defesa de direitos que renegam quando são poder, sendo certo que agora só o fazem para tentar denegrir a imagem do Presidente da Câmara e do Município de Estremoz”.
Os espanhóis Ignacio Ríos e José Luis Cotan oficializaram o apoderamento em Portugal, Espanha e França, do cavaleiro tauromáquico estremocense João Maria Branco.
 
Na muito curta nota de imprensa enviada às redacções, os apoderados do cavaleiro estremocense informam que “o rejoneador lusitano conta com uma excelente quadra de cavalos para fazer face a este projecto”. Adiantam ainda que o acordo foi selado por “tempo indefinido”.
 
Ignacio Rios é um empresário que, embora jovem, de apenas 38 anos, tem já uma dilatada experiência na gestão de espectáculos taurinos em praças como Berlanga de Duero (Sória), Valdilecha (Madrid) e Ateca, Ariza, Maella ou Maria de Huerva, na província de Saragoça. Independente e sem pertencer a nenhum grupo empresarial, é proprietário da empresa "Espectáculos Taurinos Rios" e gere actualmente a praça de toiros de Calatayud.
 
José Luis Cotan é um taurino que conhece bem o meio português, por ter sido muitos anos peão de confiança de Pablo Hermoso de Mendoza e por cá o ter acompanhado em inúmeras ocasiões. Depois de se despedir das arenas, prosseguiu ligado ao meio como apoderado, entre outros, do rejoneador Pedro Calero, e vedor de toiros, tendo integrado a equipa de João Moura Júnior quando este foi apoderado por José Cutiño.
 
De recordar que em Agosto de 2014, em plena época taurina, João Maria Branco anunciou que a sua relação de apoderamento com Rui Bento Vasques tinha terminado.
 
c/ Farpas Blogue
 
Através do Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial de Estremoz, a Guarda Nacional Republicana, recuperou na zona de Lisboa, durante o último fim-de-semana, oito bovinos que haviam sido furtados no passado dia 14 de Janeiro, numa propriedade no concelho de Arraiolos.
 
Segundo a força de segurança, os animais encontravam-se em propriedades localizadas nos concelhos de Sobral de Monte Agraço e Sintra.
A operação, que se desenrolou durante o último fim-de-semana, contou com a colaboração de militares do Comando Territorial de Lisboa, nomeadamente dos Destacamentos Territoriais de Torres Vedras, Mafra e Sintra e apoiados por militares do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente.
 
Da operação resultou a recuperação dos oito bovinos furtados, tendo ainda sido identificados e constituídos arguidos três cidadãos de nacionalidade portuguesa, com idades entre os 40 e 60 anos e residentes nos concelhos referidos, por suspeitas da prática dos crimes de furto e de recetação.
 
O Núcleo de Protecção Ambiental do Destacamento Territorial de Torres Vedras  elaborou ainda diversos autos de contra-ordenação, ao local onde os animais foram recuperados, relativos ao incumprimento das normas de bem-estar animal.
 
c/ Correio da Manhã
No mais recente número da “Jamie Magazine”, uma publicação cujo director é o conceituado chef britânico Jamie Oliver, Estremoz e o seu concelho merecem amplo destaque.
 
Na edição de Janeiro da “Jamie Magazine”, Kevin Gould assina “The Good Life”, uma reportagem sobre o Alentejo. Da sua passagem pelo concelho de Estremoz, o cronista destaca o castelo de Evoramonte e o Mercado Tradicional de Sábado.
 
As sugestivas imagens que surgem na publicação sobre estes dois ícones estremocenses saltam à vista. Acerca de Evoramonte é referido tratar-se de “uma pequena aldeia muralhada no alto de uma colina, de cujo castelo se avistam os campos a muitas milhas de distância em toda a volta. Quando os raios de sol dissolvem a neblina matinal, sentimos os pulmões encherem-se de ar fresco e limpo”. O artigo refere depois Estremoz e o seu mercado tradicional de Sábado: “uma elegante cidade de 9.000 almas”, à qual “as pessoas afluem ao movimentado mercado para comprar e vender um tesouro de prazeres. Há coelhos selvagens e velharias, as tradicionais ameixas de Elvas mesmo ao cimo da rua, azeite do lagar tradicional do outro lado da praça, queijos alentejanos, frescos e curados, maçãs com uma intoxicante fragrância que enche o ar da manhã, bouquets de piripiri e cordões de cabeças de alhos, empadas de galinha com molho, olaria cor de caramelo, candeeiros de cristal, chouriços, farturas quentes com canela”. 
 
Kevin Gould culmina no artigo a sua passagem pela cidade branca do Alentejo, com uma frase que descreve bem a beleza deste concelho: “Viemos embora carregados e felizes”.
 
c/ Município de Estremoz
 

FIAPE 2015 já tem data marcada

Escrito por sexta, 16 janeiro 2015 19:49
A Câmara Municipal de Estremoz acaba de anunciar as datas da edição de 2015 da FIAPE – Feira Internacional Agropecuária de Estremoz.
 
Aquele que é considerado por muitos como o maior evento agropecuário a Sul do Tejo, e que alberga a 33ª edição da Feira de Artesanato de Estremoz, realiza-se na cidade branca do Alentejo, no Parque de Feiras e Exposições estremocense, entre os dias 29 de Abril e 3 de Maio.
 
A autarquia liderada por Luís Mourinha anuncia que brevemente haverá mais novidades sobre o certame, que já vai na sua 29ª edição.

Através da realização dos tradicionais corsos carnavalescos no Rossio Marquês de Pombal e ruas adjacentes, a cidade de Estremoz cumpre a tradição e vai festejar o Carnaval 2015.
 
E os mais novos, como habitualmente, abrem o Carnaval da cidade de Estremoz, com o já tradicional Corso de Carnaval das Escolas, que sai à rua, no dia 12 de Fevereiro, quinta-feira. Será um desfile de tema livre, que envolverá cerca de mil alunos do concelho, e que promete encher o circuito do Carnaval com muita cor e alegria, numa organização do Agrupamento de Escolas de Estremoz, com o apoio do Município local.
 
No Domingo e na Terça-feira, dias 15 e 17 de Fevereiro, o circuito do Carnaval está reservado para os foliões e para os Corsos Carnavalescos. À semelhança do que acontece com o Corso de Carnaval das Escolas, também os Corsos Carnavalescos que costumam trazer milhares de pessoas à cidade branca do Alentejo, têm tema livre.
 
Os interessados em participar no “Carnaval Cidade de Estremoz 2015” devem inscrever-se até ao próximo dia 30 de Janeiro de 2015, no Gabinete de Apoio ao Pelouro do Desenvolvimento Cultural da Câmara Municipal de Estremoz.
 
Esta iniciativa é uma organização do Município de Estremoz, da Sociedade Filarmónica Luzitana, da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense e do Orfeão Tomaz Alcaide.
A revista WINE – a Essência do Vinho, publicação especializada em vinho, gastronomia e enoturismo, anunciou hoje, terça-feira, 13 de Janeiro de 2015, os 48 nomeados nas 12 categorias dos prémios “Melhores do Ano 2014”.
E a cidade de Estremoz está nomeada.
 
A cidade estremocense, um dos concelhos com mais adegas e produtores de vinhos do Alentejo, está nomeada na categoria “Destino Gastronómico”. Discutem o troféu com a cidade branca do Alentejo, as localidades de Matosinhos, Ponte de Lima e Lisboa.
 
Mas há mais. O vinho “Dona Maria Reserva 2009”, do produtor estremocense Júlio Bastos, da Sociedade Agrícola Quinta do Carmo, está nomeado na categoria de “Vinho do Ano”.
 
O Alentejo está ainda representado pelas nomeações de Dora Simões, Presidente Comissão Vitivinícola Regional Alentejana, na categoria “Personalidade do Ano no Vinho”, de Luís Duarte na categoria “Enólogo do Ano”, do Restaurante “Tombalobos”, de Portalegre, na categoria “Restaurante Gastronómico do Ano”. 
 
Segundo Nuno Guedes Vaz Pires, Director-Executivo da WINE – a Essência do Vinho, “estes prémios têm por objectivo reconhecer o trabalho de excelência de diferentes personalidades. Procuramos um equilíbrio entre pessoas e projectos com carreiras há muito consolidadas e novos valores, que também têm contribuído para a cada vez maior notoriedade que o vinho e a gastronomia alcançam no nosso país. Como em qualquer outro exercício do género, selecionar quatro nomeados por cada uma das 12 categorias não foi fácil e mais complexo é o processo que a redacção agora ultima, de eleição dos vencedores”.
 
A cerimónia de anúncio e entrega dos prémios “Melhores do Ano 2014” vai realizar-se no próximo dia 30 de Janeiro, no espaço BH Foz, na cidade do Porto.
Os últimos dias do ano trouxeram a Teresa Russo, directora do colégio ‘Os Traquinas’, e aos seus familiares directos, uma desagradável surpresa, em forma de panfleto anónimo, com diversas acusações a Teresa, à sua mãe e ao seu marido, colocado debaixo das portas do comércio tradicional da cidade de Estremoz. Numa entrevista dada ao "Brados do Alentejo", publicada na edição número 849, que se encontra nas bancas desde o passado dia 8 de Janeiro, e que reproduzimos com a devida vénia e autorização, a empresária defende-se de todas as acusações de que foi alvo.
 
Uma tentativa de destruir o sonho de uma vida!”. É desta forma que Teresa Russo, directora do colégio ‘Os Traquinas’, em Estremoz, classifica o atentado de que foi alvo e que visou infringir danos num projecto que, em breve, se deverá tornar numa realidade, ‘O Externato D. Quixote’.
 
Pela calada da noite de 29 e madrugada de 30 de Dezembro, foram deixados em inúmeros estabelecimentos do comércio tradicional da cidade papéis contendo acusações dirigidas, não só ao futuro externato e a Teresa Russo, mas também aos seus familiares directos, mãe e marido.
 
No documento, deixado, na maioria dos casos, debaixo das portas, podia ler-se inscrições como “o Externato D. Quixote foi construído com lavagem de dinheiro, fuga ao fisco e outras situações similares”, “as crianças passam fome, um frango dá para mais de 30 crianças”, “o marido da Teresa bate nas crianças” ou “o pessoal é constantemente ameaçado com tribunal se transmitir algo para o exterior”. Instada pelo Brados do Alentejo acerca das acusações, Teresa Russo foi contundente na sua resposta: “são falsas e não passam de calúnias!”. E prosseguiu: “estou completamente tranquila em relação a tudo isso e não há uma única verdade em nenhuma dessas linhas!”.
 
Embora, desta vez, o ‘modus operandis’ seja novo, Teresa Russo garantiu ao nosso jornal que esta não foi a primeira vez que foi alvo de situações desta natureza, tendo também, já por diversas ocasiões, recebido a visita inesperada de inspectores da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE), da Segurança Social e da Direcção Geral dos Estabelecimentos Escolares. As visitas aos dois níveis de ensino do colégio ‘Os Traquinas’ (creche, na Rua Batalha do Ameixial, e Jardim de Infância, na Avenida Tomás Alcaide) foram baseadas em denúncias anónimas, realçou a directora, acrescentando que estas incursões surpresa nunca “deram em nada”.
 
Teme, no entanto, que as palavras inscritas no documento possam, de alguma forma, prejudicar a imagem de um negócio e de um ramo de actividade pelo qual enveredou por paixão há mais de uma década. “As famílias que passaram por nós não acreditaram, mas há sempre aquele receio e quem não nos conhece pode ficar na dúvida!”, lamentou.
 
Se, no passado, o proprietário de um estabelecimento concorrente foi identificado como o responsável pelas denúncias anónimas apresentadas junto das diversas entidades, desta vez, com a concorrência já muito reduzida, as suspeitas recaem sob “alguém que, em dada altura, esteve próximo”. “Alguém que poderia gostar de estar no meu lugar e, como não conseguiu, poderá estar a tentar destruir-me por isso!”, apontou Teresa Russo.
 
Na sequência da distribuição do papel que correu os estabelecimentos comercias e comunidade estremocense, a directora apresentou queixa junto da Polícia de Segurança Publica de Estremoz e espera que o autor do documento possa ser identificado e, sobretudo, punido.
 
Peço que continuem a acreditar em nós e no nosso trabalho, pois estou de consciência tranquila em relação a tudo o que é mencionado e a prova disso é a forma como somos acarinhados e abordados pelas crianças e famílias. Que ninguém melhor que as crianças para se manifestar se alguma coisa estivesse mal”, concluiu.
 
Brados do Alentejo - Jorge Manuel Pereira 

Mais Populares