sábado, 20 abril 2019
Na sequência de acusação proferida no âmbito de inquérito que correu termos na 2ª secção do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Évora, o Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Luís Mourinha, foi pronunciado pelo juiz de Instrução Criminal de Évora, pela prática, em autoria material e em concurso efectivo, de dois crimes de peculato de uso.
 
Após a instrução do processo, o juiz decide assim levar o autarca estremocense a tribunal.
 
De acordo com a nota do tribunal “o processo, após o trânsito em julgado do despacho de pronúncia, seguirá para julgamento em processo comum e perante Tribunal Singular no Juízo de Competência Genérica de Estremoz, da Comarca de Évora”.
 
A missiva do tribunal recorda que os crimes de que Luís Mourinha foi agora pronunciado foram alegadamente “praticados durante os anos de 2013 e 2014, no âmbito do exercício das suas funções autárquicas, delas se aproveitando o arguido, fazendo uso de viatura que lhe estava afecta enquanto presidente da autarquia, para realizar viagens de lazer e cariz particular e em proveito próprio e em prejuízo do Município”.
 
Em Julho deste ano, o Ministério Público deduziu acusação contra o Presidente da autarquia estremocense pela prática de cinco crimes de peculato de uso.
 
Na altura, o autarca manifestou-se "estupefacto com a acusação", revelando que o processo judicial resultava de "uma denúncia anónima" e que estava em causa a sua ida a cinco jogos de futebol do Benfica, num carro do município.
 
"Quando sou convidado por qualquer entidade pública ou privada para alguma actividade por ser presidente de câmara, levo o carro da câmara. Quando vou em privado, levo o meu carro", declarou.
 
Luís Mourinha explicou que assistiu aos cinco jogos que constam no processo a convite da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e de outras entidades, apontando a possibilidade de ter ido também a convite da Redes Energéticas Nacionais (REN) e do Hospital da Luz.
 
"A inépcia do MP deixou-me numa situação em que a minha principal testemunha (Amaro Camões, um então funcionário da CGD), que era quem me fazia os convites, já faleceu", notou.
 
Por ocasião da acusação, e defendendo que não está em causa qualquer crime, o autarca deu como exemplo um caso que considerou idêntico ao seu em que o Ministro da Economia foi a Estremoz para inaugurar uma central fotovoltaica e, depois, reunir-se com o presidente do PS local, questionando se "isto também não é crime?”. 
 
Acrescentou ainda que "se eu for castigado, tinham que ser os presidentes de câmara todos que vão ver os jogos a convites. Eu vou lá ao estádio e vejo lá, de todas as áreas [partidárias], presidentes de câmara, vereadores, deputados, tudo a convite de entidades públicas ou privadas".
 
"Estou de consciência tranquila em relação a este processo. Duvido é que quem me acusou esteja de consciência tranquila", referiu, acusando a oposição na autarquia de apresentar "queixas anónimas a torto e a direito" por ter perdido as eleições.
 
Até ao momento, nem Luís Mourinha, nem a autarquia estremocense proferiram qualquer declaração sobre o facto do juiz de Instrução Criminal de Évora ter decidido levar o autarca a julgamento. 
 
c/ LUSA e O Digital
O Tribunal Judicial de Estremoz decretou apresentações diárias a um homem e bissemanais a outros cinco por posse ilegal de armas e injúrias e agressões a agentes da polícia, disse hoje, dia 14 de Dezembro, fonte da Polícia de Segurança Pública (PSP).
 
A mesma fonte indicou que o tribunal determinou as medidas de coação após interrogatório judicial dos seis homens detidos em Estremoz, que ficam sujeitos a apresentações na força de segurança da área de residência.
 
A PSP deteve dois homens, cujas idades não foram divulgadas, por posse ilegal de armamento e apreendeu várias armas, munições e duas viaturas numa operação realizada, na quarta-feira, no Bairro das Quintinhas, em Estremoz, bairro considerado problemático.
 
Após a operação policial, foram detidos mais quatro homens por injúrias e agressões a agentes da polícia.
 
Durante a operação, foram apreendidas uma arma 6.35, nove munições desta arma, quatro espingardas de caça, 174 cartuchos destas espingardas, duas munições 7.62, duas armas de ar comprimido, uma viatura moto quatro e automóvel, segundo o Comissário João Moura, da Direcção Nacional da PSP.
 
A polícia apreendeu ainda cerca de 50 metros de cabo eléctrico, duas baterias e um corta-relva.
 
Segundo um comunicado da Direcção Nacional da PSP, após a operação policial, foram detidos mais quatro homens, com idades entre os 18 e os 34 anos, nas imediações da esquadra de Estremoz, onde se juntaram cerca de 80 residentes daquele bairro, "adoptando comportamentos manifestamente hostis".
 
"Um dos polícias teve necessidade de ser transportado à unidade hospitalar de Estremoz, em virtude de ter sido agredido na cabeça e face, recebendo tratamento hospitalar e alta médica, estando considerado apto para o serviço", acrescenta o comunicado.
 
A operação policial teve como objectivo "dar cumprimento a buscas no âmbito de processos em investigação" e, paralelamente, "reforçar o sentimento de segurança da população daquela cidade", refere o comunicado.
 
A Câmara e a Assembleia Municipal de Estremoz têm demonstrado, nos últimos meses, preocupação com a insegurança na cidade, na sequência de desacatos e de outros actos ilícitos, alegadamente praticados por pessoas residentes naquele bairro problemático.
 
A "insegurança na cidade de Estremoz" foi recentemente debatida numa reunião com a Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, forças de segurança e várias entidades regionais e locais.
 
c/ LUSA
Depois da mega operação realizada pela Policia de Segurança Pública (PSP) no denominado Bairro das Quintinhas, aglomerado habitacional constituído por elementos de etnia cigana, localizado na zona norte da cidade de Estremoz, realizada na manhã de ontem, quarta-feira, dia 12 de Dezembro, quatro homens foram detidos por injúrias e agressões a agentes da polícia, revelou a PSP.
 
Segundo um comunicado da Direcção Nacional da PSP, após a operação policial foram detidos quatro homens, com idades entre os 18 e os 34 anos, nas imediações da Esquadra de Estremoz, onde se juntaram cerca de 80 residentes daquele bairro, "adoptando comportamentos manifestamente hostis".
 
"Um dos polícias teve necessidade de ser transportado à unidade hospitalar de Estremoz, em virtude de ter sido agredido na cabeça e na face, recebendo tratamento hospitalar e alta médica, estando considerado apto para o serviço", acrescenta o comunicado.
 
À semelhança do que vai acontecer com os dois detidos da operação no Bairro das Quintinhas, também estes quatro elementos de etnia cigana vão ser presentes hoje, quinta-feira, ao Tribunal Judicial de Estremoz para primeiro interrogatório judicial e eventual aplicação de medidas de coação
 
A operação policial realizada na manhã da passada quarta-feira teve como objectivo "dar cumprimento a buscas no âmbito de processos em investigação" e, paralelamente, "reforçar o sentimento de segurança da população daquela cidade", refere o comunicado.
 
c/ LUSA
Dois indivíduos, cujas idades não foram divulgadas, foram detidos no dia de ontem, quarta-feira, 12 de Dezembro, na sequência de uma mega operação realizada pela Policia de Segurança Pública (PSP) no Monte do Olival, vulgarmente denominado como Bairro das Quintinhas, aglomerado habitacional constituído por elementos de etnia cigana, localizado na zona norte da cidade de Estremoz.
 
O Comissário João Moura, da Direcção Nacional da PSP, indicou que a operação, planeada previamente, ocorrida naquele bairro problemático da cidade de Estremoz, decorreu "sem incidentes".
 
Segundo o responsável policial, os dois detidos, vão ser presentes hoje, quinta-feira, ao Tribunal Judicial de Estremoz para primeiro interrogatório judicial e eventual aplicação de medidas de coação.
 
Durante a operação, foram apreendidas uma arma 6.35, nove munições desta arma, quatro espingardas de caça, 174 cartuchos destas espingardas, duas munições 7.62, duas armas de ar comprimido, uma viatura moto quatro e uma viatura automóvel, referiu o Comissário João Moura.
 
A polícia apreendeu ainda cerca de 50 metros de cabo eléctrico, duas baterias e um corta-relva.
 
A operação contou com a participação de elementos do Corpo de Intervenção e da Investigação Criminal da PSP.
 
A Câmara e a Assembleia Municipal de Estremoz têm demonstrado, nos últimos meses, preocupação com a insegurança na cidade, na sequência de desacatos e de outros actos ilícitos, alegadamente praticados por pessoas residentes naquele bairro problemático. 
 
A "insegurança na cidade de Estremoz" foi recentemente debatida numa reunião com a Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, forças de segurança e várias entidades regionais e locais.
 
c/ LUSA

 

A queda de uma grua, ocorrida na tarde de ontem, segunda-feira, dia 10 de Dezembro, em Ponte de Sôr, provocou um morto e um ferido grave.
 
A vítima mortal, um homem de 42 anos, era natural de Estremoz e pertencia ao corpo dos Bombeiros Voluntários de Borba.
 
O outro ferido grave é um jovem, de 22 anos, natural de Rio de Moinhos, freguesia do concelho de Borba, e que se encontra igualmente hospitalizado no Hospital Dr. Manoel Constâncio, em Abrantes.
 
Os dois operários estavam a utilizar a grua para a montagem da iluminação de Natal da Igreja Matriz daquela cidade alentejana, tendo caído de uma altura de cerca de 10 metros.
 
Depois de assistidos pelos Bombeiros Voluntários de Ponte de Sor e por elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), as vítimas foram transportadas para o Hospital Dr. Manoel Constâncio, em Abrantes.
 
As circunstâncias em que este acidente de trabalho terá ocorrido estão ainda por apurar mas segundo informações recolhidas pelo Ardina do Alentejo tudo aponta para que o sinistro tenha ocorrido devido a um problema com o braço basculante da grua.
 
A vítima mortal, que deixa dois filhos menores, faleceu no Hospital Dr. Manoel Constâncio, em Abrantes.
 
Nas operações de socorro estiveram ainda presentes elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Protecção Civil.
 
 
A queda de uma grua, ocorrida na tarde de ontem, segunda-feira, dia 10 de Dezembro, em Ponte de Sôr, provocou dois feridos graves.
 
Uma das vítimas, aquela que inspira mais cuidados neste momento, é um homem de 42 anos, natural de Estremoz e que pertence ao corpo dos Bombeiros Voluntários de Borba. Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, o estremocense encontra-se em morte cerebral, e está internado no Hospital Dr. Manoel Constâncio, em Abrantes.
 
O outro ferido grave é um jovem, de 22 anos, natural de Rio de Moinhos, freguesia do concelho de Borba, e que se encontra igualmente hospitalizado no Hospital Dr. Manoel Constâncio, em Abrantes.
 
Os dois operários estavam a utilizar a grua para a montagem da iluminação de Natal da Igreja Matriz daquela cidade alentejana, tendo caído de uma altura de cerca de 10 metros.
 
Depois de assistidos pelos Bombeiros Voluntários de Ponte de Sor e por elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), as vítimas foram transportadas para o Hospital Dr. Manoel Constâncio, em Abrantes.
 
As circunstâncias em que este acidente de trabalho terá ocorrido estão ainda por apurar mas segundo informações recolhidas pelo Ardina do Alentejo tudo aponta para que o sinistro tenha ocorrido devido a um problema com o braço basculante da grua.
 
Nas operações de socorro estiveram ainda presentes elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Protecção Civil.
 

Autocarro da Rodoviária do Alentejo assaltado

Escrito por segunda, 10 dezembro 2018 10:30
Durante a noite de sábado para domingo, um autocarro da empresa Rodoviária do Alentejo, que se encontrava estacionado na Central de Camionagem de Estremoz, na Avenida Rainha Santa Isabel, foi assaltado.
 
Segundo informações obtidas pelo Ardina do Alentejo junto de fonte da empresa, os ladrões cometeram o crime, tendo como claro objectivo o de encontrar dinheiro no interior do veículo. Depois de partirem o vidro lateral da porta do condutor, os amigos do alheio abriram as gavetas na esperança de encontrarem algum dinheiro, tendo posteriormente espalhado os papéis e bilhetes que se encontravam no interior das gavetas, pelo chão do autocarro.
 
Elementos da Esquadra de Estremoz da Polícia de Segurança Pública (PSP) deslocaram-se ao local e tomaram conta da ocorrência.
 
Ao que conseguimos ainda apurar, a direcção da empresa Rodoviária do Alentejo formalizará no dia de hoje, segunda-feira, junto das autoridades competentes, uma queixa contra desconhecidos.
Há 11 anos que a 100% DJ promove e divulga, em formato digital, a música electrónica e tudo o que a envolve. O projecto, que nasceu na Rádio Despertar - Voz de Estremoz, como sendo um programa que animava as madrugadas dos fins-de-semana, com trabalhos de DJ's, é actualmente a única publicação do género em território nacional e, pelo sétimo ano consecutivo, vai distinguir, através da acção “TOP 30”, a dedicação, o esforço e o trabalho desenvolvido ao longo do ano, por parte dos DJ's e produtores nacionais, numa iniciativa única que muito tem contribuído, não só para a indústria da música electrónica portuguesa como também para o desenvolvimento da carreira dos artistas.
 
Mais uma vez a listagem é decidida única e exclusivamente pelo público, que durante 56 dias foi desafiado a votar os seus artistas favoritos, no site www.top30.deejay.pt. Com o consequente destaque e notoriedade que a acção tem vindo a ganhar, este ano, haverá uma atribuição de duas distinções com a chancela da escola AIMEC Portugal, à margem da votação, com o nome “Prémio Carreira” e “Prémio Talento”. Ambos os artistas serão escolhidos pela redacção.
 
Esta edição anual do “TOP 30” terá, pela primeira vez, um evento oficial, agendado para o próximo dia 12 de Dezembro, quarta-feira, no piso Lounge do MOME, em Lisboa, (antiga discoteca Main) onde serão divulgadas as 30 posições que os artistas alcançaram nas votações e feita a entrega dos respectivos troféus. Após esta cerimónia, seguir-se-á uma after-party com os DJ's convidados: Pedro Orvalho, Christian F, Steven Rod, Kevu e Zinko.
 
Este evento surge com o intuito de reunir e aproximar artistas e seguidores, num momento informal e de celebração, por todo um ano de imenso trabalho a dar música a todos os apaixonados da música electrónica. As expectativas são muito altas, pois será um passo bastante importante que estamos a dar, traduzido numa saída da nossa zona de conforto” conta Ivo Moreira, responsável do projecto. 
 

Acidente vítima jovem estremocense

Escrito por domingo, 02 dezembro 2018 14:52
Uma pessoa morreu e duas ficaram gravemente feridas, na sequência de uma colisão frontal entre um veículo ligeiro de mercadorias e um veículo ligeiro de passageiros, ocorrida ao início da manhã de hoje, dia 2 de Dezembro, ao quilómetro 257 da Estrada Nacional 118 (EN 118), em Évora.
 
De acordo com as informações avançadas ao Ardina do Alentejo por fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, o alerta foi dado pelas 07:04 horas e ao local acorreram os Bombeiros Voluntários de Évora, a Guarda Nacional Republicana (GNR), a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital do Espírito Santo de Évora, e um piquete das Infraestruturas de Portugal, num total de 11 viaturas e 22 operacionais.
 
Segunda uma fonte contactada pelo Ardina do Alentejo, a vítima mortal é uma jovem, de 19 anos, natural de Estremoz e residente na freguesia estremocense de São Lourenço.
 
Os dois feridos, uma mulher e um homem, com idades compreendidas entre os 40 e os 50 anos, foram transportados para o Hospital do Espírito Santo de Évora.
 
A estrada, que chegou a estar interdita ao trânsito após o acidente, foi reaberta pelas 9 horas, com trânsito alternado.