terça, 19 setembro 2017
No âmbito do Processo Comum n.º 54/11.4TAETZ da Comarca de Évora – Instância Local de Estremoz, o Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Luís Mourinha, foi hoje, segunda-feira, dia 20 de Junho, condenado a dois anos e oito meses de prisão, com pena suspensa, e na pena acessória de perda de mandato, pelo crime de prevaricação contra Eduardo Basso, à altura dos factos Presidente da Direcção da LACE - Liga dos Amigos do Castelo de Evoramonte.
 
Luís Mourinha foi ainda condenado, pela juíza do Tribunal de Estremoz, ao pagamento de uma indemnização de 1.882,50 euros acrescidos de juros de mora por danos patrimoniais e 4.500,00 euros por danos não patrimoniais.
 
Esta queixa-crime contra o Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, foi apresentada por Eduardo Basso, na sequência da suspensão de parte do subsídio que havia sido atribuído à LACE – Liga dos Amigos do Castelo de Évoramonte, em 2009, por se ter suspeitado que não tinham sido realizadas pela associação as actividades propostas e às quais o subsídio se destinava.
 
Neste mesmo processo, o presidente da edilidade estremocense já havia sido absolvido, pelo Tribunal de Estremoz, tendo o processo sido mandado arquivar pelo Tribunal de Instrução Criminal de Évora. No entanto, em sede de recurso interposto para o Tribunal da Relação de Évora, foi ordenado o reenvio do processo, por meras questões formais, ao Tribunal de Estremoz. No seguimento desta nova apreciação judicial, surgiu a condenação de dois anos e oito meses de prisão, com pena suspensa, e na pena acessória de perda de mandato.
 
A Câmara Municipal de Estremoz já reagiu, em nota de imprensa, esclarecendo que “está em causa, apenas e só, o não pagamento, à Liga dos Amigos do Castelo de Evoramonte (LACE), de uma tranche de cerca de 1.800 euros, relativa a um subsídio de apoio a actividades em 2010”.
 
No entendimento de Luís Mourinha “o não pagamento dessa tranche do subsídio prendeu-se com o facto de as verbas atribuídas e pagas em 2009 a tal entidade não terem sido aplicadas aos fins candidatados pela mesma, conforme dispõe o Regulamento Municipal do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Cultural, tal como impõem as boas regras de controlo da aplicação de dinheiros públicos.”
 
O Município informa ainda “que a sentença proferida no dia de hoje pela Meritíssima Juiz da Instância Local de Estremoz irá ser objecto de recurso no prazo legal por parte do Presidente desta autarquia, suspendendo-se assim os efeitos daí decorrentes”.
 
c/ Rádio Campanário
Apesar de a vindima de 2015 ter sido “atípica”, em que “a produção sofreu uma quebra significativa”, a Herdade das Servas garante que os vinhos da empresa estremocense apresentam ”uma qualidade bastante superior”.
 
E asseguram mesmo que o “Herdade das Servas Alvarinho 2015”, a nova criação da casa alentejana, é prova disso mesmo. Trata-se de um branco 100% feito a partir da casta Alvarinho e que chega ao mercado a tempo de refrescar o Verão.
 
A casta Alvarinho é, para muitos, a mais nobre das castas brancas portuguesas, possuindo características ímpares que, bem aproveitadas e trabalhadas, podem dar origem a vinhos de máxima qualidade, como é o caso deste novíssimo “Herdade das Servas Alvarinho branco 2015”. Excelente para o tempo quente que se avizinha, é ideal a acompanhar saladas, marisco, pratos de peixe grelhado, carnes brancas e sushi.
 
O “Herdade das Servas Alvarinho branco 2015” é um vinho límpido de cor citrina, com aromas de pêssego, limão e manga, apresentando notas minerais. Em síntese, é um branco mineral elegante, com final persistente. As vinhas de onde é originário estão instaladas em solos vermelhos, na região de Estremoz, derivados de calcários pardos ou cristalinos, que beneficiam do clima mediterrânico, com elevadas amplitudes térmicas e verões quentes e secos. As uvas foram vindimadas manualmente. Concluída a fermentação, estagiou sur lies durante três meses, período a que se somaram mais três meses de repouso após engarrafamento.
 
De sublinhar que este é um ano de grandes apostas no seio do produtor alentejano Herdade das Servas, resultantes dos investimentos feitos em 2015. Investimentos, esses, que passam, em grande medida, pela aposta na equipa de enologia, responsável pela criação dos novos néctares da casa, entre os quais este revigorante “Herdade das Servas Alvarinho branco 2015”, e que é constituída por Luís Serrano Mira e Tiago Garcia, aos quais se juntou recentemente o jovem Ricardo Constantino.
 
E está de regresso o Mercado do Lago. Esta iniciativa, organizada pelo Município de Estremoz, vai decorrer no próximo dia 9 de Julho, junto ao Lago do Gadanha.
 
A zona envolvente ao Lago do Gadanha, um dos ex-libris da cidade branca do Alentejo, será palco de um Mercado de Artesanato Urbano, onde se apela à originalidade e à criatividade dos artesãos, no sentido de criarem peças alternativas ao artesanato tradicional.
 
Devido à data e ao seu período de realização, o Mercado do Lago funcionará como complemento ao secular mercado tradicional e à feira de antiguidades, que decorrem ao Sábado de manhã, no Rossio Marquês de Pombal.
 
A participação dos artesãos é gratuita e as inscrições poderão ser efectuadas, até ao dia 24 de Junho, no Posto de Turismo de Estremoz ou através do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 
Para tal, os interessados deverão fazer o download da ficha de inscrição, disponível no site www.cm-estremoz.pt, e entregá-la devidamente preenchida até à data referida.
 
Em nota enviada às redacções, a Câmara Municipal de Estremoz informa ainda que brevemente serão disponibilizadas mais informações sobre o programa completo da edição de 2016 do Mercado do Lago.
 
c/ Município de Estremoz
A Escola Básica da Glória e a Escola Básica da Mata foram as escolas vencedoras da primeira edição do concurso “Os nossos avós eram cientistas", uma iniciativa nacional promovida a partir de Castelo Branco pelo Centro Ciência, Cultura e Tradição, que conta com várias parcerias como o Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) ou o Centro Ciência Viva de Castelo Branco. A Escola Básica do Caldeiro também saiu da capital de distrito da Beira Baixa com motivos para sorrir, com a obtenção de um segundo lugar e de um terceiro lugar.
 
A cerimónia de entrega de prémios do “Os nossos avós eram cientistas”, concurso que contou com a participação de escolas do 1º ciclo da Beira Baixa e do Alentejo, decorreu na Escola Superior Agrária de Castelo Branco, entidade que acolhe este projecto que pretende despertar a curiosidade dos mais novos para a ciência através da análise do que faziam os seus antepassados quando não tinham tecnologia. As crianças investigaram porque é que se metia a roupa a corar, como era trabalhado o ferro ou como é que a cortiça conservava os alimentos quando não havia termos de plástico.
 
Margarida Afonso, uma das dinamizadoras do projecto, contou que a ideia de organizar o concurso surgiu de um trabalho de investigação das tradições que tem vários anos. Para não se perder essa recolha  "temos estado a divulgar junto das crianças" e o concurso "é uma forma de divulgar e envolver as crianças para elas próprias começarem a investigar a valorizar a nossa cultura".
 
Depois desta primeira edição está prometido o regresso para o próximo ano lectivo, mais cedo e com maior divulgação e envolvimento das escolas. A organização promete ainda que as escolas "terão a possibilidade de escolherem o tema".
 
Carlos Maia, presidente do IPCB, considera "muito interessante ver estes jovens de quatro, cinco ou seis anos terem o contacto com este projecto" e promete que a instituição vai continuar a apoiá-lo. "Quanto mais cedo conseguirmos despertar o interesse e a curiosidade científica penso que a probabilidade de sucesso no futuro será maior".
 
O Centro Ciência, Cultura e Tradição tem várias valências, desde a investigação, recuperação e interpretação das tradições, tentando compreendê-las de forma científica e até artística. Mas forma também professores e educadores de infância, bem como pessoal não docente; tem parcerias com diversas entidades; e desenvolve actividades para crianças, jovens e adultos, incluindo os que têm Necessidades Educativas Especiais.
 
OS PRÉMIOS 
Os vencedores foram divididos nas categorias de Escola e Turma. 
 
A escola vencedora foi a Escola Básica da Glória, do Agrupamento de Escolas de Estremoz, onde as turmas A e B foram investigar como é que as avós lavavam a roupa. Também em primeiro ficou a Escola do Castelo, na Sertã, com o projecto sobre resina e resinagem. O segundo lugar foi para o projecto roupa a corar, do Jardim Escola João de Deus, de Castelo Branco, e o terceiro lugar foi para a Escola de Santa Maria, de Beja, com as ervas aromáticas do Alentejo.
 
Na categoria turma o primeiro prémio foi para a Escola Básica da Mata, de Estremoz, com o vulcanismo. O segundo lugar ficou em Idanha-a-Nova, com o projecto sobre as ferraduras de cavalos que foi desenvolvido no Agrupamento José Silvestre Ribeiro. Também em segundo ficou o projecto ferro em brasas, da Escola Básica do Caldeiro, em Estremoz. A mesma escola ficou em terceiro, com a panela de ferro. Houve ainda um terceiro prémio para a cortiça na vida de uma marmita, da Escola João Pedro Andrade, de Ponte de Sôr.
 
c/ Jornal Reconquista
Quando no próximo dia 18 de Junho, Sábado, os relógios marcarem 19 horas, o largo da Junta de Freguesia da Glória irá receber uma Sardinhada para comemorar os Santos Populares.
 
A organização pertence à Associação Glória Jovem, que continua a trabalhar para ir ao encontro de reavivar as tradições e os costumes junto da população jovem, mantendo o elo de ligação entre as várias gerações.
 
Para além das saborosas sardinhas, a noite será animada pelos fados que ficarão a cargo de José Geadas e João Ficalho.
 
Esta organização da Associação Glória Jovem, conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, da Junta de Freguesia da Glória, do portal de informação Ardina do Alentejo, do jornal Brados do Alentejo, da Padaria Espiga e dos vinhos Portas de Santa Catarina.
Tendo como principal objectivo a comemoração do Dia Mundial da Criança, o Intermarché de Estremoz foi invadido na manhã do passado Sábado, dia 4 de Junho, pela festa e animação que um dia tão especial merece.
 
Dezenas de crianças puderam desfrutar das várias actividades colocadas à disposição pelo espaço comercial gerido por Pedro e Paula Esperança.
 
Logo à entrada da loja, a curiosidade, a capacidade de raciocínio e a destreza dos mais novos eram colocadas à prova no “Quiosque de Ciência”, dinamizado pelo Centro Ciência Viva de Estremoz. Já no interior do Intermarché de Estremoz, os mais pequenos tinham à sua espera modelagem de balões, pinturas faciais, desenhos para colorir e jogos variados, todos elaborados por docentes da “Entre Números e Letras”.
 
Enquanto os graúdos faziam as suas compras, aproveitando as inúmeras promoções do Intermarché de Estremoz, os mais pequenos puderam contar com muitos motivos de interesse, não dando por mal empregue o tempo gasto nesta visita à loja estremocense do Grupo Mosqueteiros, acompanhando pais e avós.
 
Tendo como principal objectivo a comemoração do Dia Mundial da Criança, o Intermarché de Estremoz vai ser invadido no próximo Sábado, dia 4 de Junho, pela festa e animação que um dia tão especial merece.
 
Modelagem de balões, pinturas faciais, experiências científicas, jogos variados, brindes, e muitas surpresas vão ser uma constante durante toda a manhã de Sábado, no espaço comercial gerido por Pedro e Paula Esperança.
 
Enquanto os graúdos fazem as suas compras, aproveitando as inúmeras promoções do Intermarché de Estremoz, os mais pequenos têm muitos motivos de interesse para acompanhar pais e avós numa visita à loja estremocense do Grupo Mosqueteiros.
Numa organização conjunta entre a Escola Básica de Evoramonte e a Junta de Freguesia local, decorrem amanhã, dia 1 de Junho, naquela freguesia do concelho de Estremoz, uma série de actividades que servirão essencialmente de comemoração do Dia Mundial da Criança mas também de encerramento do ano lectivo 2015/2016.
 
Durante todo o dia, entre as 9 e as 18 horas, decorrem no edifício da Junta de Freguesia de Evoramonte, e nos espaços envolventes, as seguintes iniciativas:
- Sessões de Planetário Móvel - Planeta Azul;
- Visita ao “Planeta Imaginário” da Escola Básica de Evoramonte;
- Actividades experimentais, pelo Centro Ciência Viva de Estremoz;
- Percurso de Karts, no âmbito da Prevenção Rodoviária, pela GNR;
- Actividades no âmbito da Prevenção Rodoviária, pela PSP;
- Educação para a saúde, pela Cruz Vermelha Portuguesa;
- Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas de Estremoz;
- Actividades Lúdico-Pedagógicas (Ateliers de Inglês, Actividades Desportivas, etc);
- Atelier de Mini-Chefs, pela empresa Pontos Coloridos;
- Atelier da Santa Casa da Misericórdia de Evoramonte;
- Insufláveis;
 
No período da noite, entre as 21 e as 23.30 horas, as estrelas vão tomar conta das comemorações, com as actuações dos alunos da Escola Básica de Evoramonte, do Clube de Cavaquinhos do Agrupamento de Escolas de Estremoz e do Grupo Folclórico “A Convenção” de Evoramonte. E para além das estrelas no palco vão haver muitas no céu, que podem ser vistas com a ajuda de um astrónomo do Centro Ciência Viva de Estremoz, na iniciativa “Ver as Estrelas em Evoramonte”.
 
Este dia repleto de actividades conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, do Agrupamento de Escolas de Estremoz, do Centro Ciência Viva de Estremoz e da empresa BiTube.

Larápio falhou assalto à Tabacaria Central

Escrito por segunda, 30 maio 2016 23:40
Faltavam poucos minutos para as 14 horas do dia de hoje, segunda-feira, 30 de Maio, quando um individuo tentou assaltar a Tabacaria Central, estabelecimento comercial situado em pleno Rossio Marquês de Pombal, em Estremoz.
 
Segundo o “Ardina do Alentejo” conseguiu apurar, o indivíduo fez-se passar por um cliente absolutamente normal, pedindo algumas peças de roupa e diversos maços de tabaco, de diferentes marcas. 
 
Vilarito Corda, proprietário da Tabacaria Central, contou à nossa equipa de reportagem que enquanto seleccionava as peças de roupa pedidas pelo “cliente”, viu o mesmo detrás do balcão, a escolher tabaco e a olhar para a localização das caixas registadoras. Depois de solicitado pelo proprietário para que saísse detrás do balcão, e aproveitando ainda o facto de Vilarito Corda, única pessoa dentro do estabelecimento comercial, estar a atender o seu pedido de roupa, o meliante, que esteve sempre ao telemóvel, tentou sobre o balcão chegar às caixas registadoras. O barulho da gaveta da registadora a fechar-se chamou a atenção de Vilarito Corda. 
 
Depois de confrontado pelo dono da Tabacaria Central com a natureza do seu acto, o individuo, descrito como alto e de raça negra, pegou numa nota de 10 euros que entretanto deixara cair e colocou-se em fuga.
 
A Polícia de Segurança Pública foi chamada ao local e tomou conta da ocorrência.  
 

Mais Populares