domingo, 16 dezembro 2018

Entrevista com Vítor Caldeira, Presidente da Direcção do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes

Escrito por  Publicado em Entrevistas sábado, 10 novembro 2018 15:32
"As relações que o núcleo mantém com o RC3 e com o seu Comandante são excelentes" "As relações que o núcleo mantém com o RC3 e com o seu Comandante são excelentes" DR
Tal como noticiámos aqui irão decorrer no dia de amanhã, 11 de Novembro, junto ao Monumento aos Combatentes, em Estremoz, as Cerimónias do Centenário do Armistício da I Grande Guerra, que pôs fim à I Grande Guerra e do 93.º aniversário do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes.
 
Estas cerimónias, que são organizadas pelo Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes, vão ainda contar com uma Homenagem ao Major Velez Correia, anterior presidente da direcção do núcleo estremocense.
 
Há sensivelmente dois anos que Vítor Caldeira preside à direcção que lidera os destinos do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes. Numa breve conversa com o Ardina do Alentejo, Vítor Caldeira explicou-nos mais detalhadamente o que é que vai acontecer nas cerimónias de amanhã, quais são as iniciativas e os projectos que o núcleo tem já programados para o futuro, e entre outros assuntos, fez-nos o balanço destes dois anos à frente do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes.
 
Ardina do Alentejo - No próximo dia 11 de Novembro vão decorrer as cerimónias comemorativas dos 100 anos sobre o Armistício da I Grande Guerra e comemora-se igualmente o 93.º aniversário do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes. Mas estas cerimónias vão ser diferentes das que habitualmente acontecem. O que é que vai acontecer em concreto?
Vítor Caldeira (VC) - Além das comemorações do centenário da assinatura do Armistício da I Grande Guerra e do nonagésimo terceiro aniversário do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes, vamos homenagear, e quando digo vamos refiro-me à direcção do núcleo, a toda a sua massa associativa, bem como a todas as forças vivas do concelho de Estremoz que a nós se quiseram associar, homenagear um grande homem, que muito deu ao Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes, bem como à própria cidade de Estremoz. Refiro-me concretamente ao Major Velez Correia, e esta homenagem é também um dos pontos altos destas comemorações.
 
Ardina do Alentejo - Estão praticamente cumpridos dois anos desde que a direcção por si liderada tomou posse. Que balanço faz destes dois anos de actividade?
VC - O balanço por nós feito é bastante positivo, até porque não é fácil substituir o homem que no dia 11 de Novembro homenagearemos, o qual serviu o núcleo durante 34 anos e que deixou obra feita.
Esta direcção sabia das dificuldades, traçou objectivos, que com planeamento e em equipa os vai cumprindo nomeadamente os seguintes:
- Remodelámos totalmente as instalações onde está sediada a sede do núcleo;
- Informatizámos todo o processo administrativo e logístico do núcleo;
- Reactivámos o torneio da malha por ocasião das Festas da Exaltação da Santa Cruz;
- Celebrámos cerca de duas dezenas de protocolos, nas mais variadíssimas áreas, nos
quais os nossos associados podem usufruir de descontos vantajosos;
- Reactivámos os passeios culturais, realizando três passeios por ano;
- Comemoramos anualmente duas datas marcantes, o 9 de Abril (Batalha de La Lys) e
11 de Novembro (data do Armistício);
- Planeámos, organizámos e levámos a efeito outros eventos, como seja a celebração
dos Santos Populares (Sardinhada), Noite de Fados, entre outros;
- Homenageámos no dia 1 de Novembro, Dia de Finados, todos aqueles que serviram a
Pátria e por ela deram a sua vida, deslocando-nos ao talhão do Combatente em Estremoz, Borba e Fronteira, onde depositámos uma coroa de flores;
- Remodelámos o Museu do Combatente, que no próximo 11 de Novembro vai ser
reinaugurado;
- Em parceria com outras entidades, nomeadamente, RC3, Câmara Municipal de Estremoz, Cruz Vermelha Portuguesa e Associação CIDADE, entre outras, organizou-se a Jornada da I Guerra Mundial;
-Nestes últimos dois anos crescemos em numero de sócios, cerca de 250 novos sócios,
e recuperámos ainda aproximadamente 150 sócios, que pelos mais variadíssimos motivos
tinham desistido;
- Elaborámos mais de meia centena de requerimentos de antigos combatentes a
solicitar, através da Lei 9/2002, um complemento anual de pensão, uma miséria diga-se em abono da verdade, e que passados estes anos ainda não tinham conhecimento do direito a tão parca remuneração;
- Através do Arquivo Geral dos três ramos das Forças Armadas (Exército, Armada e
Força Aérea), sempre que nos solicitam, sócios e não sócios do núcleo, certidões com a
contagem de tempo de serviço militar, para efeitos de reforma, requerimentos que o núcleo elabora e envia;
- Continuamos a requerer a Medalha Comemorativa das Campanhas do Ultramar para
todos aqueles que serviram a Pátria nas ex-províncias ultramarinas e que ao fim destes anos todos ainda não foram agraciados;
- Está em fase de planeamento, em conjunto com outras entidades e no concelho de
Estremoz e concelhos limítrofes, a sinalização de antigos combatentes ou sócios da Liga dos Combatentes que vivam com dificuldades, sejam elas de que naturezas forem, para que os possamos ajudar naquilo que dentro das nossas possibilidades seja possível.
 
Ardina do Alentejo - Organização de conferências, noites de fados, passeios, apoio aos sócios... A dinamização do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes tem sido uma constante... É um claro virar de página com o que vinha sendo feito até aqui?
VC - Não diria que seja um virar de página, porque anteriormente também se faziam algumas destas actividades, diria sim que implementámos outra dinâmica, a nossa dinâmica.
 
Ardina do Alentejo - Qual a relação que o núcleo mantém com o RC3 e com quem comanda o quartel?
VC - As relações que o núcleo mantém com o RC3 e com o seu Comandante são excelentes e penso que não podem ser de outra forma. Além das relações institucionais existem também as relações pessoais. Importa referir que todos os elementos desta Direcção serviram no RC3, o que por vezes também ajuda.
 
Ardina do Alentejo - Que novos projectos, que novos desafios, que novas iniciativas estão já projectadas e idealizadas?
VC - Há novos projectos, desafios e iniciativas em estudo que pretendemos concretizar, e a seu tempo a massa associativa terá conhecimento. É para eles que nós, dia após dia focamos o nosso objectivo, servir a Liga dos Combatentes no Núcleo de Estremoz bem como a todos os seus sócios.
 
Ardina do Alentejo - Que mensagem deixa a todos quantos forem ler esta entrevista?
VC - Diria o seguinte: Ninguém consegue realizar nada sozinho, só em equipa se consegue atingir os objectivos a que nos propomos e é em equipa que esta direcção trabalha diáriamente, contando sempre com o apoio dos sócios, os quais têm sido inexcedíveis no que ao apoio à Direcção e às suas iniciativas diz respeito.
Quem não conhece a Liga dos Combatentes e a sua missão, passe pelo Núcleo de Estremoz, nas Portas de Santa Catarina, e converse connosco. Teremos todo o prazer em esclarecer todas e quaisquer dúvidas que surjam.

Deixe um comentário