sexta, 18 agosto 2017

Carolina Mendes não quer ser protagonista: 'Estivemos todas muito bem'

Escrito por  Publicado em Entrevistas sábado, 05 agosto 2017 19:06
Carolina participou nas três partidas disputadas por Portugal no Europeu da Holanda, tendo sido titular em dois jogos, contra a Escócia e contra a Inglaterra Carolina participou nas três partidas disputadas por Portugal no Europeu da Holanda, tendo sido titular em dois jogos, contra a Escócia e contra a Inglaterra DR
Se o dia 19 de Julho de 2017 fica para a história do futebol feminino nacional, como o dia em que Portugal se estreou numa grande competição a nível de selecções, o Campeonato da Europa, o dia 23 de Julho ficará igualmente para a história, mas como o dia em que a selecção das quinas marcou o seu primeiro golo numa fase final de um Campeonato da Europa.
 
E esse feito foi alcançado em Roterdão (Holanda), no Sparta Stadion, aos 27 minutos da primeira parte do jogo da segunda jornada do Grupo D, diante da Escócia. Aproveitando um erro defensivo contrário, a estremocense Carolina Mendes abriu o activo da selecção lusa, entrando assim para a história do futebol feminino nacional.
 
Carolina Mendes participou nas três partidas disputadas por Portugal no Europeu da Holanda, tendo sido titular em dois jogos, contra a Escócia e contra a Inglaterra, jogado 167 minutos e apontado dois golos.

Antes de regressar à Islândia, onde vai continuar a defender as cores da equipa do Grindavik, Carolina Mendes esteve à conversa connosco, tendo feito o balanço da sua prestação e da prestação da selecção nacional no Europeu da Holanda, e tendo igualmente olhado para as inúmeras mensagens de felicitação que recebeu e para o futuro, que está definido pelo menos até final do mês de Setembro.
 
Ardina do Alentejo – Sensação de dever cumprido?
Carolina Mendes (CM) – Dever cumprido mas com um sabor amargo. Acabámos por não passar a fase de grupos e seguir na prova por diferença de um golo, mas apesar disso penso que fizemos um bom trabalho e que dignificámos a camisola de Portugal.
 
Ardina do Alentejo – Que balanço fazes da tua prestação no Europeu, e consequentemente, da Selecção Nacional?
CM – Individualmente a minha prestação foi muito boa, mas claro que isso deveu-se à excelente prestação da equipa, sem isso não conseguiria o feito de marcar dois golos em três jogos na primeira fase de um Campeonato da Europa, isso deveu-se ao trabalho de toda a equipa. Estivemos todas muito bem.
 
Ardina do Alentejo – Como se costuma dizer, Portugal morreu na praia… 
CM – Sim, ficou esse sentimento, porque apesar de tudo não se esperava que a nossa prestação fosse tão boa. Nós mostrámos a nossa qualidade e que não chegámos até aqui por acaso, foi tudo fruto do nosso trabalho, e saber que poderíamos ter ido mais além na prova deixa-nos um sentimento de alguma frustração, mas nada que apaga o que foi feito até aqui.
 
Ardina do Alentejo – Qual é o sentimento de saber que ficas para sempre ligada à história do futebol português?
CM – Na história ficámos todas. Eu fiz o golo, tive essa felicidade, mas poderia ser qualquer outra colega, mas claro que me sinto muito orgulhosa e feliz por este feito.
 
Ardina do Alentejo – As inúmeras mensagens de apoio que recebeste, inclusive do Município da tua terra, encheram-te o ego?
CM – Encheram-me o coração.
 
Ardina do Alentejo – E o futuro? Em que relvados vamos poder ver a Carolina Mendes esta época?
CM – Agora tenho contrato até final de Setembro na Islândia, depois o futuro dirá. Até lá quero ajudar a minha equipa a atingir os objectivos.
 
Ardina do Alentejo – A pergunta da praxe: Que mensagem deixas a quem for ler esta entrevista?
CM – Em primeiro lugar, uma mensagem de carinho e agradecimento a todos os que acompanharam a Selecção Feminina nesta caminhada e que me continuam a acompanhar no meu percurso de atleta, e depois, que nunca deixem de sonhar!
 
 

Deixe um comentário

Mais Populares