sábado, 25 novembro 2017

Carolina Mendes em entrevista: "Está cumprido aquilo por que tanto lutámos"

Escrito por  Publicado em Entrevistas quarta, 02 novembro 2016 23:40
Futebolista estremocense afirma que vai trabalhar para ser chamada ao Europeu de 2017 Futebolista estremocense afirma que vai trabalhar para ser chamada ao Europeu de 2017 LAZEVEDOPHOTO
No passado dia 25 de Outubro, em Cluj, na Roménia, o futebol feminino português escreveu a mais importante página da sua história. Com o empate a uma bola alcançado em terras dos balcãs, no segundo jogo do playoff de acesso ao Campeonato da Europa de 2017, as futebolistas nacionais garantiram presença no Europeu, que se disputará na Holanda, entre Julho e Agosto do próximo ano.
 
Entre as heroínas da bola, estava uma estremocense: a camisola 18, Carolina Mendes. De regresso ao seu clube, o Djurgardens, da Suécia, e praticamente uma semana depois da festa do apuramento, a futebolista natural de Estremoz, concedeu ao “Ardina do Alentejo” a sua primeira entrevista após tão importante feito. O concretizar de um sonho, o que sentiu quando viu o golo de Andreia Norton, e o que pode fazer a selecção nacional de futebol feminino no Europeu da Holanda, foram alguns dos temas abordados. Durante esta conversa, espaço ainda para uma mensagem da atleta para os estremocenses e para todos aqueles que enviaram mensagens de incentivo e apoio. 

 
Ardina do Alentejo (AA) - O sonho está concretizado?
Carolina Mendes (CM) - Sim, está concretizado. Falta vivê-lo, e esse será o próximo passo.
 
AA - Quando viste a Andreia Norton marcar o golo, o que é que te passou pela cabeça?
CM - Eu saltei do banco. Na altura já tinha sido substituída e fui directamente festejar para o relvado. Pensei logo que tínhamos conseguido, só voltei a acalmar quando elas empataram, mas nunca duvidei que estaríamos lá.
 
AA - Antes do apito final, passa na transmissão televisiva e depois nas várias peças sobre o jogo, uma imagem em que tu estás a chorar agarrada a um elemento do staff federativo… Foi o momento em que pensaste que “o dever está cumprido”?
CM - Sim, foi exactamente isso que me passou pela cabeça após o apito final. Está cumprido aquilo por que tanto lutámos, nós e outras gerações, que tal como nós ambicionavam estar ali e conquistar isto. Foram muitos anos, de muitas lutas a todos os níveis, e ver tudo isso realizado após aquele apito… Penso que as emoções falaram mais alto.
 
AA - O que pode fazer esta selecção na fase final do Campeonato da Europa?
CM - Temos a noção que ali estão as melhores selecções da Europa. É uma grande conquista para o futebol feminino em Portugal, estar entre as melhores selecções da Europa. Sabemos as dificuldades e o grau de exigência dos jogos, mas por agora vamos preparar-nos para estar ao nível da nossa conquista. Tudo o que for feito vai ser bastante positivo.
 
AA - Agora só falta a convocatória final para o Campeonato da Europa… Confiante na chamada?
CM - Vou trabalhar para isso.
 

Nunca desistam de ir atrás dos vossos sonhos. Nada se consegue por acaso, em tudo na vida é preciso muita persistência e resiliência. Este feito foi a prova disso. Muitas vezes os resultados tardam mas aparecem.

AA - Foram muitas as mensagens de carinho e de apoio que recebeste, quer via redes sociais, quer através de sms… Respondeste a todas? Deu trabalho ou foi com muito orgulho e satisfação que o fizeste?
CM - Enorme orgulho e satisfação. É muito reconfortante receber este carinho e apoio, quer das pessoas que nos estão próximas, quer de pessoas que simplesmente valorizam o nosso trabalho e gostaram daquilo que foi feito. É extremamente gratificante! Eu tentei responder a todos, peço desculpa se alguém ficou por responder.
 
AA - Que mensagem deixas a quem vai ler esta entrevista?
CM - Nunca desistam de ir atrás dos vossos sonhos. Nada se consegue por acaso, em tudo na vida é preciso muita persistência e resiliência. Este feito foi a prova disso. Muitas vezes os resultados tardam mas aparecem. Aproveitar também para agradecer aos estremocenses pelo apoio que me deram.
 
Carolina Ana Trindade Coruche Mendes, nascida a 27 de novembro de 1987, conta com 54 internacionalizações e nove golos marcados, na Selecção A, 21 internacionalizações e 15 golos, na Selecção Sub-19, e 1 internacionalização na Selecção Sub-18.
 
Carolina Mendes já representou o Eléctrico de Ponte Sôr, o Desportivo de Portalegre, o Estrela de Portalegre, o Ponte de Frielas, e o 1º de Dezembro, onde foi campeã nacional por duas vezes e onde conquistou duas taças de Portugal. A estremocense envergou ainda as camisolas do Unió Esportiva Lestartit e do Sporting Comarca Llanos de Olivenza, em Espanha, do ASD Riveira Romagna, em Itália, e do Rossiyanka, na Rússia. Actualmente defende as cores do clube sueco Djurgardens.
 
Carolina Mendes nasceu em Estremoz. Numa cidade onde o hóquei em patins é a modalidade rainha, e tendo o seu pai como treinador de um dos desportos mais acarinhados no nosso país, a vida desportiva da atleta estremocense não ficaria completa se não jogasse hóquei em patins. Foi atleta do Externato de São Filipe e chegou mesmo a ser convocada para a selecção nacional. Quando foi convocada para estágios em simultâneo no futebol e no hóquei em patins, Carolina Mendes optou pelo estágio do futebol e o hóquei em patins nunca mais a chamou.
 
Agora, o futebol dá-lhe a possibilidade de representar Portugal, envergando a camisola das quinas, na fase final do Campeonato da Europa – Holanda 2017.

Deixe um comentário

  • manuel jesus fernando
    manuel jesus fernando
    quinta, 03 novembro 2016 12:29

    Carolina. é muito simpática e grande guerreira bjos.

Mais Populares