segunda, 09 dezembro 2019
segunda, 25 maio 2015 02:00

Jogador eborense canta hino da Selecção Nacional de Futebol de Sub-20

Escrito por
Pedro Rebocho transferiu-se há seis temporadas do Juventude de Évora para o SL Benfica Pedro Rebocho transferiu-se há seis temporadas do Juventude de Évora para o SL Benfica DR
A Selecção Nacional de Futebol Sub-20 vai disputar o Mundial da categoria, na Nova Zelândia, entre os dias 30 de Maio e 20 de Junho. E selecção que se preze tem um hino e esta não fugiu a essa regra de ouro.
 
O futebolista eborense Pedro Rebocho, actualmente a jogar na equipa ‘B’ do SL Benfica e convocado pelo selecionador nacional Hélio Sousa para esta “Missão na Oceânia”, escreveu e cantou o hino da Selecção Nacional de Sub-20. O resultado, que poderá ver no final desta notícia, será surpreendente para quem não conhecer o jovem jogador.
 
Em entrevista ao site da Federação Portuguesa de Futebol, Rebocho falou sobre o que o inspirou para fazer o tema e de como o RAP apareceu na sua vida. A relação da dupla música/futebol no seu dia-a-dia e o amor também foram temas de conversa com este jovem de 20 anos, que se transferiu há seis temporadas do Juventude de Évora para o SL Benfica.
 
Versátil nos campos de futebol, explicou o que o inspirou: “Foi quase uma reconstrução do hino baseada no próprio hino e na bandeira de Portugal. Demorei uma manhã a fazer esta música. Foi um tema fácil porque sinto muito o meu país e também queria chamar a atenção para a nossa participação no Mundial que começa daqui a uma semana. Quando a FPF me lançou o desafio, aceitei logo. Acho que saiu muito bem e os meus colegas também gostaram muito do resultado final. Estou muito satisfeito”, explica.
 
Apreciador de RAP desde muito novo, Rebocho nunca deixou de gostar do género que surgiu quase naturalmente na sua vida: “Há dois três anos escrevi um texto em rima no Facebook e tive muitas reacções positivas. Era um texto sobre conquistar sonhos e nunca desistir. Comecei a escrever mais a sério mas sempre com algumas interrupções. No início era apenas a rima. Depois veio a música”, diz.
 
E como chegou das letras até à música? “Treinei muito a música como treino o futebol. Escrevo, falho, e escrevo melhor para a próxima. Noto uma evolução em relação há uns anos atrás. Ganhei alguma maturidade. No ano passado a FPF já me tinha desafiado a fazer um RAP sobre o Euro sub-19 mas agora noto que era muito menos trabalhado e que também me sentia menos à vontade a interpretar. Exprimimo-nos melhor à medida que nos sentimos mais seguros”, argumenta.
 
Para Rebocho, o RAP tem muito do futebol e o futebol muito do RAP: “Escrevo muito. Posso escrever várias letras apenas numa semana ou passar seis meses a escrever uma só música. Há muitas semelhanças entre escrever, cantar ou jogar futebol. Em qualquer uma destas vertentes procuro ser melhor. O treino é o meu trabalho de todos os dias mas também acho que a escrita obedece à mesma disciplina. É uma actividade da mesma espécie. E como costumo dizer, também há música no futebol”, compara.
 
Com 20 anos, o jogador não esconde que o amor também o move na composição: “Eu gosto de escrever sobre o amor. Não tive assim tantas relações para que possa dar lições sobre o amor ou o que seja. É apenas o tema que me sai melhor. O meu objectivo é transmitir o que senti ou o que senti quando escrevi. Mas sou eclético também escrevo sobre o dia-a-dia, os sonhos, aspirações”, sintetiza.
 
Com uma carreira profissional no Benfica B e com o futuro à sua frente, Rebocho também prefere não projectar muito o que fará nestas artes: “A primeira vez que gravei, uma música chamada “Intenções”, tive muita ajuda de um grupo de Évora, a minha terra, chamado Matilha 4.0.1. Adorei e eles incentivaram-me. Tudo o que tenho feito, satisfaz-me. Vou escrever enquanto gostar. Aproveitar a viagem”, conclui.
 
Pedro Rebocho tem actualmente 62 internacionalizações (11 nos Sub-16, 11 nos Sub-17, 6 nos Sub-18, 31 nos Sub-19 e 3 nos Sub-20).

 
Modificado em segunda, 25 maio 2015 02:13

Deixe um comentário