quarta, 23 agosto 2017
O Torneio "Nadador Completo" da Associação de Natação do Alentejo, realizou-se nos dias 7 e 8 de Maio, na Piscina de Grândola.
 
Participaram na competição os clubes Zona Azul de Beja, Aminata de Évora, Atlético de Montemor, Grupo Desportivo de Mora, Clube de Futebol de Estremoz/Estremozcarnes, Grândola Sports Club, Associação de Nadadores Salvadores de Grândola, Clube Natação do Litoral Alentejano e Núcleo Desportivo e Cultural de Odemira, num total de 113 atletas de todas as categorias.
 
Na participação dos nadadores do “Estremoz”, destaca-se o 2º lugar de João Catarino na categoria de Juvenis e o 3º lugar de Alexandra Reis também na categoria de Juvenis, depois de nadadas as 5 provas obrigatórias do programa. Participaram ainda pelo “Estremoz” Luís Gancho, Tiago Gomes e David Pomar na categoria de Cadetes; Marta Candeias, Ana Fonseca, Matilde Pires, André Fróis, David Moreira, Pedro Massas da categoria de Infantis; João Cotovio, João Remigio e Ana Margarida Salgado na categoria de Juvenis.
 
A Secção de Natação do CF Estremoz realiza no próximo dia 30 de Abril, Sábado, o XXV Torneio “Cidade de Estremoz” e a 6ª Taça CF Estremoz/Estremozcarnes.
 
Na sessão da manhã, as provas iniciam-se às 10 horas, enquanto que na sessão da tarde começam às 15.30 horas.
 
A Piscina Municipal de Estremoz recebe assim cerca de 150 atletas, das categorias de Cadetes, Infantis e Juvenis, Juniores e Seniores em absoluto. 
 
Participam os clubes Aminata de Évora, Clube Natação do Litoral Alentejano, Grupo Desportivo de Mora, Associação de Nadadores Salvadores de Grândola, Atlético de Montemor-o-Novo, Clube Natação do Montijo, Clube Elvense de Natação, Sporting Clube Campomaiorense, Eléctrico de Ponte de Sôr, Escola Municipal de Desporto de Setúbal, um nadador individual oriundo de Lisboa e o anfitrião Clube de Futebol de Estremoz, que participa com todos os atletas das referidas categorias, bem como com uma participação da classe de pré-competição.
 
A Associação de Natação do Alentejo e a Câmara Municipal de Estremoz são parceiros na organização da 25ª edição do Torneio “Cidade de Estremoz”.
 
Houve emoção na 34ª Volta ao Alentejo até ao último metro de competição.
 
O ciclista da Klein Constantia, Remi Cavagna, que saiu do pelotão a quatro quilómetros da meta, cortou a linha de chegada na Praça do Giraldo, em Évora, e venceu a última etapa da “Alentejana”. O ciclista francês precisou de 3 horas, 56 minutos e 51 segundos para completar os 172,3 quilómetros da etapa que se iniciou em Santiago do Cacém e que terminou na cidade Património Mundial.
 
O alemão Maximilian Schachmann, também da Klein Constantia, terminou a derradeira etapa na segunda posição, a apenas dois segundos do vencedor, enquanto que o português Samuel Caldeira, da W52/FC Porto, fechou o pódio da derradeira etapa da “Alentejana”, a 3 segundos do vencedor.
 
Por equipas, a etapa foi ganha pela Klein Constantia, que gastou menos 4 segundos que as formações da Axeon/Hagens Berman e da W52/FC Porto, classificadas nas segundas e terceira posições, respectivamente.
 
Na zona da chegada, e apesar do contentamento do francês Cavagna, era o companheiro de equipa, Enric Mas que fazia a festa e inscrevia o seu nome na história principal da prova, ao tornar-se o 34º vencedor da Volta ao Alentejo. O jovem espanhol de 21 anos terminou a derradeira etapa na quinta posição, logo atrás do mais directo adversário, o norueguês Krister Hagen, da Team Coop/Oster Hus, que liderava a competição à saída de Santiago do Cacém, com apenas um segundo de vantagem. 
 
No final, em Évora, ambos acabaram fora das bonificações, mas as contas já tinham sido feitas na estrada. Na última Meta Volante, em Arraiolos, Enric Mas foi segundo e Krister Hagen terceiro e as bonificações amealhadas nesse ponto deixavam-nos em pé de igualdade. O desempate fez-se recorrendo às melhores classificações no conjunto das cinco etapas da “Alentejana” e Enric Mas, que por exemplo ganhou a etapa de Montemor-o-Novo, foi declarado vencedor. 
 
Enric Mas era um homem satisfeito pelo feito alcançado, e logo no primeiro ano de profissional: “Duas semanas antes de aqui chegar fui atropelado e estive internado. Nunca pensei estar em forma para esta prova, mas o trabalho que fiz em casa e os cuidados que tive deram resultado”.
 
Para os derradeiros 172,3 quilómetros da volta, o jovem que correu durante três anos na equipa de formação da Fundação de Alberto Contador, trazia a lição bem estudada: “Tínhamos planeado fazer uma fuga para garantir as bonificações. Acabei por conseguir na última Meta Volante os dois segundos que precisava para igualar o Camisola Amarela, porque ele fez terceiro. Recuperei o tempo que me faltava e acabei por chegar à vitória”.
 
O terceiro classificado foi o espanhol David de La Fuente, do Sporting/Tavira, que ficou a nove segundos do seu compatriota Mas. O melhor português foi Rafael Silva, da Efapel, que terminou na quinta posição, a 15 segundos do líder da “Alentejana”.
 
Na geral por equipas, a vitória pertenceu agora à Axeon/Hagens Berman, com 21 segundos de vantagem sobre a Klein Constantia, e 32 segundos sobre a equipa terceira classificada, o Sporting/Tavira.
 
Esta “Alentejana” milimétrica entregou a Enric Mas a Camisola Amarela, mas também a Camisola Verde Clara, que distinguiu o corredor mais pontuado e ainda a Camisola Branca, símbolo da juventude. Os outros premiados da Volta ao Alentejo neste ano de 2016 foram os portugueses Amaro Antunes, da LA Alumínios/Antarte, que vestiu a Camisola Verde Escura do Prémio da Montanha na primeira etapa e nunca mais a largou. 
 
FILME DO DIA
Meta Volante - Isaías - quilómetro 28,3
1º - Benat Txoperena (Euskadi Basque Coutry/Murias)
2º - Thomas Soladay (Rally Cycling)
3º - Jasper Hamelink(Metec/TKH Continental Team)
 
Prémio da Montanha - Alcácer do Sal - 4ª categoria - quilómetro 47,6
1º - Mikkel Lunder (Team Bliz/Merida)
2º - Pierrick Naud (Rally Cycling)
3º - Benat Txoperena (Euskadi Basque Coutry/Murias)
 
Meta Volante - Vendas Novas - quilómetro 103,2
1º - Vadim Zhuravlev (Lokosphinkx)
2º - Mikkel Lunder (Team Bliz/Merida)
3º - Benat Txoperena (Euskadi Basque Coutry/Murias)
 
Prémio da Montanha - Montemor-o-Novo - 4ª categoria - quilómetro 126,1
1º - Vadim Zhuravlev (Lokosphinkx)
2º - Mikkel Lunder (Team Bliz / Merida)
3º - Benat Txoperena (Euskadi Basque Coutry/Murias)
 
Meta Volante - Arraiolos - quilómetro 148
1º - David de La Fuente (Sporting/Tavira)
2º - Enric Mas (Klein Constantia)
3º - Krister Hagen (Team Coop/Oster Hus)
 
Meta - Grândola
1º - Remi Cavagna (Klein Constantia)
2º - Maximilian Schachmann (Klein Constantia)
3º - Samuel Caldeira (W52/FC Porto)
4º - Krister Hagen (Team Coop/Oster)
5º - Enric Mas (Klein Constantia)

Nova vitória holandesa na "Alentejana"

Escrito por domingo, 20 março 2016 12:17
O holandês Jarno Gmelich Meyling, da Metec/TKH Continental Team venceu ao sprint a quarta etapa da "Alentejana", que ligou Aljustrel a Grândola, numa distância de 184,7 quilómetros. O ciclista de 26 anos foi um dos homens que integrou a “fuga do dia”, logo à saída de Aljustrel, tendo terminado a tirada com o tempo de 4 horas, 34 minutos e 17 segundos. O espanhol Jose Botella, da Louletano/Hospital de Loulé foi segundo, enquanto que o também espanhol Garikoitz Bravo, da Euskadi Basque Coutry/Murias, cortou a linha de meta na terceira posição. O melhor português foi desta feita o jovem Emanuel Rodrigues, da Anicolor, que concluiu a etapa no quarto posto.
 
Os três primeiros da etapa fizeram parte do grupo de corredores em fuga que a faltarem 40 quilómetros para a meta, e com o pelotão já muito perto, se lançaram determinados em chegar isolados a Grândola. Uma estratégia que agradou particularmente ao holandês Meyling: “Os últimos quilómetros foram sempre a atacar. Na subida para o Prémio de Montanha não senti dificuldade e no sprint final só tive de dar tudo e a todo o gás! Está a ser uma ótima experiência estar no Alentejo. As estradas são boas e a organização está de parabéns. Só não estou habituado a tanto sol [risos]!”
 
Por equipas, a etapa foi ganha pela Metec/TKH Continental Team, que gastou menos 32 segundos que as formações da Liberty Seguros/Carglass e da Anicolor, classificadas nas segundas e terceira posições, respectivamente.
 
E no topo da geral praticamente tudo na mesma. O norueguês Krister Hagen, da Team Coop/OsterHus, que chegara à liderança da “Alentejana” na véspera, foi o primeiro do pelotão a cortar a meta, na 11ª posição, a 32 segundos do vencedor. Apesar de perder tempo manteve o comando da prova e a faltar apenas mais uma etapa tem o objetivo traçado: “Manter a Amarela, claro! As minhas pernas estão em forma, mas era bom conseguir entrar numa fuga pequena para não ter de sprintar nas metas volantes. Mas se tiver de o fazer para bonificar não me vou negar!”
Na segunda posição da geral, a apenas um segundo do líder, continua o espanhol Enric Mas, da Klein Constantia. O terceiro classificado é o espanhol Jesus Ezquerra, do Sporting/Tavira, que se encontra a dez segundos do norueguês de 26 anos. O melhor português continua a ser Rafael Silva, na quinta posição, a 14 segundos do líder da “Alentejana”.
 
Na geral por equipas, o comando pertence agora à Axeon/Hagens Berman, que tem 25 segundos de vantagem sobre a Klein Constantia, e 32 segundos sobre a equipa terceira classificada, o Sporting/Tavira.
 
O espanhol Garikoitz Bravo, da Euskadi Basque Coutry/Murias, é o novo líder da classificação por pontos (Camisola Verde Clara). Na geral da Montanha (Camisola Verde) continua líder o português Amaro Antunes, da LA Alumínios/Antarte. A Camisola Branca da Juventude continua “coladinha” ao corpo do espanhol Enric Mas.
 
Fugida – Largada – Partida… e uma fuga de 144 quilómetros!
Ainda o pelotão de 151 corredores não tinha “aquecido” a estrada e já havia história para contar na penúltima tirada da “Alentejana”. Pouco depois da partida em Aljustrel deu-se o ataque de 15 corredores que chegaram a ter uma vantagem máxima de 8 minutos para o pelotão (quilómetro 50). Entre estes homens o melhor classificado à geral era Krists Neilands, da Axeon/Hagens Berman, a 1 minuto e 9 segundos do líder, que se destacou ao ganhar as Metas Volantes em Castro Verde, Odemira e Sines. O enredo desta “longa-metragem”, onde o vento e a chuva também marcaram presença, terminou, em parte, a faltarem 40 quilómetros para a chegada quando o pelotão já estava muito perto de alcançar a fuga. Determinado Jose De Segovia, da Louletano/Hospital de Loulé, desferiu um ataque levando outros nove companheiros de fuga atrás. Foi esse grupo que acreditou que podia chegar a Grândola e, entre si, discutir o triunfo. O pelotão tudo tentou para se aproximar e o próprio líder da competição Krister Hagen, da Team Coop/OsterHus tentou sair da coluna, mas em vão. As cenas do próximo capítulo ficam marcadas para Évora!
 
E o novo Vencedor da Volta ao Alentejo é…?
As derradeiras emoções da 34ª edição da Volta ao Alentejo Crédito Agrícola vivem-se este domingo, 20 de Março, a partir de Santiago do Cacém. O pelotão cumprirá os 172,3 quilómetros finais da “Alentejana” quando cortar a meta na Praça do Giraldo, em Évora. Pelo caminho estão marcadas as últimas Metas Volantes em Isaías, Vendas Novas e Arraiolos, e a classificação da Montanha confinada aos Prémios de 4ª categoria em Alcácer do Sal e Montemor-o-Novo. Évora comemora 30 anos como Património da Humanidade da UNESCO e volta a fazer história quando coroar o 34º vencedor da “Alentejana”, pelas 16 horas.
 
FILME DO DIA
Meta Volante - Castro Verde - quilómetro 21
1º - Krists Neilands (Axeon/Hagens Berman)
2º - José Fernandes (Goldwin-Team José Maria Nicolau)
3º - João Letras (Sicasal/Constantinos/UDO)
 
Meta Volante - Odemira - quilómetro 83,8
1º - Krists Neilands (Axeon/Hagens Berman)
2º - Oyvind Lukkedahl (Team Coop/Oster Hus)
3º - José Fernandes (Goldwin-Team José Maria Nicolau)
 
Meta Volante - Sines - quilómetro 139,6
1º - Krists Neilands (Axeon/Hagens Berman)
2º - Oyvind Lukkedahl (Team Coop/Oster Hus)
3º - Bruno Silva (LA Aluminios/Antarte)
 
Prémio da Montanha - Cumeadas - 4ª categoria - quilómetro 158,6
1º - Bruno Silva (LA Aluminios/Antarte)
2º - Krists Neilands (Axeon/Hagens Berman)
3º - Oyvind Lukkedahl (Team Coop/Oster Hus)
 
Meta - Grândola
1º - Jarno Gmelich Meyling (Metec/TKH Continental Team)
2º - Jose Botella (Louletano/Hospital de Loulé)
3º - Garikoitz Bravo (Euskadi Basque Coutry/Murias)
4º - Emanuel Rodrigues (Anicolor)
5º - Oyvind Lukkedahl (Team Coop/Oster Hus)
O holandês Johim Ariesen, da Metec/TKH Continental Team venceu a terceira etapa da "Alentejana", que ligou Portel a Beja, numa distância de 186,6 quilómetros. O ciclista de 28 anos, feitos na passada quarta-feira, terminou a tirada com o tempo de 4 horas, 21 minutos e 35 segundos. O seu compatriota e companheiro de equipa Tijmen Eising foi segundo, enquanto que o norueguês Havard Blikra, da Team Coop/Oster Hus, cortou a linha de meta na terceira posição. O melhor português foi Rafael Silva, da Efapel, que concluiu a etapa no sexto posto.
 
Ariesen estava visivelmente satisfeito apesar das dificuldades na tirada: “O vento foi inimigo e contribuiu para a divisão do pelotão no final da etapa. Estávamos cinco na frente e consegui sprintar para a vitória.” O corredor da holandesa Metec/TKH Continental Team, vencedor de duas etapas na Volta ao Alentejo em 2015 (chegadas a Mértola e Reguengos de Monsaraz), deixou uma promessa: “Talvez consiga repetir o feito até ao fim desta Volta!”
 
Por equipas, a etapa foi ganha pela Axeon/Hagens Berman, que gastou menos três segundos que a Klein Constantia, e menos cinco segundos que o Sporting/Tavira, as formações classificadas em segundo e em terceiro lugar, respectivamente.
 
O norueguês Krister Hagen, da Team Coop/Oster Hus, chegou a Beja na nona posição, mas com as bonificações alcançadas nas duas primeiras metas volantes do dia, na Vidigueira e em Serpa, é o novo Camisola Amarela da edição número 34 da Volta ao Alentejo em Bicicleta. Na segunda posição da geral, a apenas um segundo do líder, está o antigo dono da camisola amarela, Enric Mas, da Klein Constantia. O terceiro classificado é o espanhol Jesus Ezquerra, do Sporting/Tavira, que se encontra a dez segundos do norueguês de 26 anos. O melhor português continua a ser Rafael Silva, que após a etapa de hoje subiu três posições, encontrando-se na quinta posição, a 14 segundos do líder da “Alentejana”.
 
Na geral por equipas mantém-se a liderança da Klein Constantia, que tem vantagem de sete segundos sobre as formações do Sporting/Tavira, e da Axeon/Hagens.
 
Enric Mas, da Klein Constantia, comanda a classificação por pontos (Camisola Verde Clara). Na geral da Montanha (Camisola Verde), e após um dia sem subidas e descidas, continua líder o português Amaro Antunes, da LA Alumínios/Antarte. A Camisola Branca da Juventude continua “coladinha” ao corpo do espanhol Enric Mas.
 
Quem não arrisca…
O pelotão de 155 corredores que se fez à estrada em Portel tinha as atenções concentradas nas bonificações das Metas Volantes. Os sprints intermédios constituíram grande parte do interesse da etapa. Para defender a liderança, Enric Mas tinha de discutir ao centímetro cada segundo mas o norueguês que chegaria à liderança foi superior nos duelos da Vidigueira e de Serpa. O homem da Team Coop no conjunto das três etapas da “Alentejana” já amealhou 12 segundos que lhe valeram a ascensão à Camisola Amarela. A faltarem 40 quilómetros para Beja o pelotão fracionou-se em dois e foi o grupo da frente com 38 elementos que se “atirou” à estrada molhada para fazer a diferença na chegada.
 
De Aljustrel a Grândola
O fim-de-semana da “Alentejana” começa em Aljustrel. Este sábado, a quarta etapa, com o Litoral Alentejano na linha do horizonte, o pelotão vai passar por Castro Verde, Odemira e Sines onde estão as Metas Volantes. Nas Cumeadas, em Santiago do Cacém, a caravana terá a única contagem para o Prémio da Montanha. A chegada vai acontecer em Grândola, após 184,7 quilómetros, cerca das 16 horas. 
 
FILME DO DIA
Meta Volante - Vidigueira - quilómetro 13
1º - Krister Hagen (Team Coop/Oster Hus)
2º - Rafael Silva (Efapel)
3º - Samuel Caldeira (W52/FC Porto)
 
Meta Volante - Serpa - quilómetro 72
1º - Krister Hagen (Team Coop/Oster Hus)
2º - Enric Mas (Klein Constantia)
3º - Rafael Silva (Efapel)
 
Meta Volante - Mértola - quilómetro 125,9
1º - Will Bart(Axeon/Hagens Berman)
2º - Rui Rodrigues(Louletano / Hospital de Loulé)
3º - Shaun Nick Bester(Sporting/Tavira)
 
Meta - Beja
1º - Johim Ariesen (Metec/TKH Continental Team)
2º - Tijmen Eising (Metec/TKH Continental Team)
3º - Havard Blikra (Team Coop/Oster Hus) 
4º - Jesus Ezquerra (Sporting/Tavira)
5º - Logan Owen (Axeon/Hagens Berman)
 

Nova vitória espanhola na "Alentejana"

Escrito por quinta, 17 março 2016 16:38
O ciclista espanhol Enric Mas, da equipa Klein Constantia, venceu a segunda etapa da 34ª Volta ao Alentejo em Bicicleta, entre Monforte e Montemor-o-Novo, numa ligação com a distância de 206,2 quilómetros.
 
Após vencer a tirada mais longa da prova, com o tempo de 5 horas, 6 minutos e 15 segundos, o ciclista de 21 anos, nascido em Maiorca, e que correu durante três anos na Fundação Alberto Contador, arrebatou a camisola amarela da “Alentejana” ao seu compatriota Imanol Estevez.
 
O também espanhol Garikoitz Bravo, da Euskadi Basque Coutry/Murias, a dois segundos do vencedor, e o português Rui Oliveira, Liberty Seguros/Carglass fecharam o pódio desta segunda tirada.
 
Na estreia como profissional, Enric Mas conseguiu alcançar no Alentejo a primeira vitória apesar das contrariedades. “Sofri uma queda ontem, mas senti-me bem fisicamente e o diretor deu-me ordem para avançar. A estratégia inicial era atacar logo nas metas volantes, mas nas duas primeiras acabei por fazer apenas quarto lugar. Nos metros finais, a equipa colocou-me bem e consegui sprintar para a vitória”.
 
Por equipas, a etapa foi ganha pela Klein Constantia, que gastou menos um segundo que a Axeon/Hagens Berman, e menos quatro segundos que a Team Coop/Oster Hus, as formações classificadas em segundo e em terceiro lugar respectivamente.
 
Enric Mas lidera agora a geral individual, envergando a camisola amarela. Na segunda posição da geral, com o mesmo tempo do líder, está o antigo dono da camisola amarela, Imanol Estevez, da Euskadi Basque Coutry/Murias. O terceiro classificado, que na etapa de hoje bonificou em duas metas volantes, é o norueguês Krister Hagen, da Team Coop/Oster Hus), a três segundos do jovem maiorquino Mas. O melhor português continua a ser Rafael Silva, actualmente na oitava posição, a 14 segundos do líder da “Alentejana”.
 
A geral por equipas tem agora liderança da Klein Constantia, que tem vantagem de cinco segundos sobre o Sporting/Tavira, e vantagem de 10 segundos sobre a Axeon/Hagens.
 
Enric Mas comanda a classificação por pontos (Camisola Verde Clara). Na geral da Montanha (Camisola Verde) continua líder o português Amaro Antunes, da LA Alumínios/Antarte. A Camisola Branca da Juventude está agora “coladinha” ao corpo do espanhol Enric Mas.
 
Longa etapa, longa fuga e desistência de peso
Perante os mais de 200 quilómetros da tirada desta quinta-feira, os 159 corredores que se fizeram à estrada em Monforte, começaram o dia com um ritmo lento. Curiosamente o primeiro homem a animar a corrida foi o azarado Gustavo Veloso (W52-FC Porto) que sofreu uma queda no dia anterior.
 
Apesar das mazelas da véspera, o vencedor da Volta a Portugal comandou o pelotão durante cerca de 20 quilómetros, mas acabou por desistir já depois da Meta Volante de Redondo (quilómetro 70).
 
As belas paisagens alentejanas serviram também de inspiração ao jovem Eddie Dunbar (Axeon/Hagens Berman). O irlandês de 19 anos, que foi vice campeão nacional de contrarrelógio e de fundo em 2015, conseguiu andar isolado durante quase 80 quilómetros, mas não resistiu às investidas ora do Sporting/Tavira ora da Efapel que comandavam a perseguição.
 
FILME DO DIA
Meta Volante - Borba - quilómetro 39,9
1º - Krister Hagen (Team Coop/Oster Hus)
2º - Imanol Estevez (Euskadi Basque Coutry / Murias)
3º - Logan Owen (Axeon/Hagens Berman)
 
Meta Volante - Redondo - quilómetro 64
1º - Krister Hagen (Team Coop/Oster Hus)
2º - Imanol Estevez (Euskadi Basque Coutry / Murias)
3º - Hugo Sabido (Sporting/Tavira)
 
Meta Volante - Reguengos de Monsaraz - quilómetro 92,8
1º - Eddie Dunbar (Axeon/Hagens Berman)
2º - Raul Alarcon (W52/FC Porto)
3º - Jan William Jensen (Team Fixit.No)
 
Prémio de Montanha - 4ª Categoria - Miradouro do Castelo - Montemor-o-Novo- quilómetro 206,2
1º - Enric Mas (Klein Constantia)
2º - Garikoitz Bravo (Euskadi Basque Coutry/Murias)
3º - Rui Oliveira (Liberty Seguros/Carglass)
 
Meta - Montemor-o-Novo
1º - Enric Mas (Klein Constantia)
2º - Garikoitz Bravo (Euskadi Basque Coutry/Murias)
3º - Rui Oliveira (Liberty Seguros/Carglass)
4º - Tao Geoghegan Hart (Axeon/Hagens Berman)
5º - Krister Hagen (Team Coop/Oster Hus)
 

Basco na frente da "Alentejana"

Escrito por quarta, 16 março 2016 18:54
O basco Imanol Estevez, da equipa espanhola Euskadi Basque Coutry/Murias, venceu ao sprint, a etapa inaugural da 34ª Volta ao Alentejo em Bicicleta. O ciclista de 23 anos necessitou de 3 horas, 55 minutos e 27 segundos para completar os 158 quilómetros da tirada que começou em Portalegre e terminou em Castelo de Vide. Os espanhóis David de La Fuente e Jesus Ezquerra, ambos do Sporting/Tavira, fecharam o pódio desta primeira tirada. O melhor português na etapa foi Rafael Silva, da Efapel, que cortou a meta na 4ª posição.
 
Por equipas, a tirada foi ganha pelo Sporting/Tavira, que gastou menos nove segundos que as formações classificadas em segundo e em terceiro lugar respectivamente, a espanhola Euskadi Basque Coutry/Murias, e a Klein Constantia.
 
No final da etapa, Imanol Estevez referiu já ter gostado muito da chegada a Cabeço de Vide “no ano passado”. “Já conhecia o percurso e a equipa estudou muito bem a estratégia. Só queríamos ganhar uma etapa, mas agora vamos trabalhar para proteger a Amarela até ao final”, explicou o corredor natural de Vitória, no País Basco, e que alcançou na "Alentejana" de 2016 a primeira vitória como profissional.
 
Imanol Estevez lidera a geral individual, envergando a camisola amarela com quatro segundos de vantagem sobre David de La Fuente, e cinco segundos de vantagem sobre o norueguês Krister Hagen, da Team Coop/Oster Hus). O melhor português é Rafael Silva, na quinta posição, a 10 segundos do líder da “Alentejana”.
 
A geral por equipas é em tudo igual à classificação da primeira tirada. Liderança do Sporting/Tavira, com vantagem de nove segundos sobre a espanhola Euskadi Basque Coutry/Murias, e sobre a Klein Constantia.
 
Imanol Estevez comanda a classificação por pontos (Camisola Verde Clara). Na geral da Montanha (Camisola Verde) o líder é o português Amaro Antunes, da LA Alumínios/Antarte, vencedor em três das quatro contagens de montanha do dia inaugural da “Alentejana”. A Camisola Branca da Juventude está “coladinha” ao corpo do britânico Tao Geoghegan Hart, da Axeon/Hagens Berman.
 
FILME DO DIA
Meta Volante - Crato - quilómetro 17
1º - Rafael Reis (W52/FC Porto)
2º - Samuel Caldeira (W52/FC Porto)
3º - Pedro Paulinho (LA Alumínios / Antarte)
 
Meta Volante - Monforte - quilómetro 57.4
1º - Krister Hagen (Team Coop / Oster Hus)
2º - Ivo Oliveira (Liberty Seguros/Carglass)
3º - Remi Cavagna (Klein Constantia)
 
Meta Volante - Portalegre - quilómetro 99
1º - Ivo Oliveira (Liberty Seguros/Carglass)
2º - Krister Hagen (Team Coop / Oster Hus)
3º - Remi Cavagna (Klein Constantia)
 
Prémio de Montanha - 2ª Categoria - Cabeço do Mouro - quilómetro 102.2
1º - Amaro Antunes (LA Alumínios/Antarte)
2º - Jhonnatan Narvaez (Klein Constantia)
3º - Frederico Figueiredo (Rádio Popular/Boavista)
4º - Emerson Oronte (Rally Cycling)
5º - Imanol Estevez (Euskadi Basque Coutry / Murias)
6º - Tayler Eisenhart (USA Cycling)
 
Prémio Montanha - 3ª Categoria - Monte Paleiros - quilómetro 107.3
1º - Amaro Antunes (LA Alumínios/Antarte)
2º - Jhonnatan Narvaez (Klein Constantia)
3º - Ricardo Mestre (W52/FC Porto)
4º - Rui Vinhas (W52/FC Porto)
 
Prémio Montanha - 4ª Categoria - Marvão - quilómetro 118
1º - Amaro Antunes (LA Alumínios/Antarte)
2º - Rui Vinhas (W52/FC Porto)
3º - Ricardo Mestre (W52/FC Porto)
 
Prémio de Montanha - 3ª Categoria - Senhora da Penha - quilómetro 138.6
1º - Jhonnatan Narvaez (Klein Constantia)
2º - David Rodrigues (Rádio Popular/Boavista)
3º - Valter Pereira (Sporting/Tavira)
4º - August Jensen (Team Coop/Oster Hus)
 
Meta - Castelo de Vide
1º - Imanol Estevez (Euskadi Basque Coutry/Murias)
2º - David de La Fuente (Sporting/Tavira)
3º - Jesus Ezquerra (Sporting/Tavira)
4º - Rafael Silva (Efapel)
5º - August Jensen (Team Coop/Oster Hus)
 

Portalegre, capital do norte alentejano marca, pelo segundo ano consecutivo, o início de mais uma Volta ao Alentejo Crédito Agrícola.
 
A 34ª edição da “Alentejana” corre-se a partir de hoje, quarta-feira, 16 de Março, e até ao próximo dia 20, Domingo, num total de mais de 907 quilómetros que vão terminar no centro histórico de Évora.
 

Serão cinco etapas em que os ciclistas vão percorrer as mais diversas geografias da região, numa organização da CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e da Podium Events.
 
No ano em que clubes como Sporting e Porto regressam à estrada, a Volta ao Alentejo Crédito Agrícola, uma tradição do ciclismo português, desperta ainda maiores expectativas.
 
Vão estar presentes na “Alentejana” 170 ciclistas, em representação de 22 equipas, oriundas de oito países: Estados Unidos, Noruega, República Checa, Suécia, Espanha, Rússia, Holanda e Portugal.
 
Serão 10 equipas vindas de fora que se juntam às 12 portuguesas, entre Elite e Sub 23, e onde não consta nenhum antigo vencedor da Volta ao Alentejo. A tradição vai manter-se. Esta é a única prova por etapas do calendário da UCI - União Ciclista Internacional que nunca foi ganha duas vezes pelo mesmo corredor.
 
E quanto a portugueses, há 10 anos que nenhum vence a prova. Será desta vez que se quebra a tradição?
 
Hortênsia Menino, presidente da CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, aponta como primeira virtude da “Alentejana” a longevidade da prova. “Do ponto de vista desportivo a Volta ao Alentejo está completamente consolidada no calendário nacional e internacional do ciclismo. Mas, ainda assim, há sempre lugar à renovação, sobretudo graças à diversidade patrimonial do Alentejo. Da montanha ao litoral, das planícies às encostas, a riqueza natural e arquitetónica permitem continuar a explorar, a cada primavera, um território imenso que é o Alentejo”.
 
Joaquim Gomes, o director da prova, chama a atenção para as dificuldades que se concentram no início da competição. “No primeiro dia fica provado que o Alentejo, ou parte dele, também pode ser bastante montanhoso. As características orográficas do percurso entre Portalegre e Castelo de Vide permitem fazer metade das oito contagens do prémio da montanha desta corrida. Os candidatos à vitória terão de provar o bom momento de forma para não serem surpreendidos”.
 
Mapa da Alentejana
A etapa inaugural da 34ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola, que começa em Portalegre, tem subidas em Cabeço do Mouro, Prémio de Montanha de 2ª categoria, Monte Paleiros (3ª cat.), Marvão (4ª cat.) e, a menos de 20 quilómetros para a meta final, instalada em Castelo de Vide, a Senhora da Penha (3ª cat.). Nesta primeira tirada, de 158 quilómetros, há Metas Volantes no Crato, Monforte e Portalegre
 
A segunda etapa, e a mais longa, parte de Monforte e terá 206,2 quilómetros, com Metas Volantes em Borba, Redondo e Reguengos de Monsaraz, antes de subir e terminar junto ao castelo de Montemor-o-Novo.
 
Vincando a presença do Baixo Alentejo na prova, o terceiro dia de competição liga Portel a Beja. A etapa de 186,6 quilómetros com passagens por Vidigueira, Serpa e Mértola será a única sem qualquer contagem de montanha.
 
O fim-de-semana da “Alentejana” começa em Aljustrel. Na quarta etapa, com o Litoral Alentejano como pano de fundo, as Metas Volantes vão estar em Castro Verde, Odemira e Sines. Nas Cumeadas, em Santiago do Cacém, haverá uma contagem para o Prémio da Montanha (4ª cat.). A chegada vai acontecer em Grândola, após 184,7 quilómetros.
 
As derradeiras emoções da 34ª edição da Volta ao Alentejo Crédito Agrícola vivem-se a partir de Santiago do Cacém, de onde o pelotão partirá para os 172,3 quilómetros finais. As Metas Volantes estão em Isaías, Vendas Novas e Arraiolos, e a classificação da Montanha confinada aos Prémios de 4ª categoria em Alcácer do Sal e Montemor-o-Novo. A chegada e a coroação do vencedor, como em 2014, vão acontecer na Praça do Giraldo, em Évora.
 
Resumo das etapas
1ª Etapa - 16.03.2016 - Portalegre / Castelo de Vide - 158 km
2ª Etapa - 17.03.2016 - Monforte / Montemor-o-Novo - 206,2 km
3ª Etapa - 18.03.2016 - Portel / Beja - 186,6 km
4ª Etapa - 19.03.2016 - Aljustrel/ Grândola - 184,7 km
5ª Etapa - 20.03.2016 - Santiago do Cacém / Évora - 172,3 km
Os nadadores juvenis do CF Estremoz/Estremozcarnes, João Cotovio, Miguel Gambutas e João Catarino integraram a Selecção Regional da Associação de Natação do Alentejo, que disputou a Taça Vale do Tejo, realizada em Abrantes, e organizada pela Associação de Natação de Santarém, como habitual.
 
João Cotovio participou nas provas de 100 costas, 100 livres, 4x100 estilos e livres; Miguel Gambutas disputou as provas de 100 bruços e também nas duas estafetas, enquanto João Catarino disputou as 2 estafetas de 4x100 metros. As marcas obtidas igualaram e superaram os recordes pessoais, com Miguel Gambutas a melhorar o mínimo B para os Nacionais, nos 100 bruços.
 
Na classificação colectiva, a Associação de Natação do Alentejo classificou-se em 10º lugar.
 
Participaram as 11 associações regionais do continente, num total de 240 atletas.
 
TORNEIO DE CADETES E ESCOLAS “JOANA ESCÁRIA”
 
O Torneio de Cadetes e Escolas “Joana Escária”, prova do calendário da Associação de Natação do Alentejo, realizou-se na piscina do Aminata, em Évora, no passado Sábado, dia 21 de Fevereiro.
 
O CF Estremoz/Estremozcarnes esteve representado, e muito pela positiva, com os jovens nadadores Luís Gancho, David Pomar, Tiago Gomes, Beatriz Arvana, Carolina Fonseca, Raquel Serralheiro, Guilherme Caneiras e David Ramos.
 
No torneio participaram 76 atletas dos clubes Zona Azul de Beja, Aminata de Évora, Atlético de Montemor-o-Novo, Associação de Nadadores Salvadores de Grândola, Clube Natação do Litoral Alentejano, Grupo Desportivo de Mora, Sporting Clube Campomaiorense e o CF Estremoz/Estremozcarnes.
 

Mais Populares