terça, 18 setembro 2018
Numa organização conjunta da Federação Portuguesa de Atletismo, da Câmara Municipal de Monforte e da Associação de Atletismo do Distrito de Portalegre, realizou-se hoje, Domingo, dia 18 de Março, na vila de Monforte, mais uma edição do Campeonato de Portugal de Corta-Mato Longo.
 
A prova, que já vai na 95ª edição em masculinos e na 52ª edição em femininos, contou com a participação de 838 atletas, em representação de 107 clubes.
 
O Campeonato de Portugal de Corta-Mato Longo teve início com a prova de juvenis, contando a competição de femininos com um percurso de quatro quilómetros e a de masculinos, com um traçado de cinco quilómetros. A vitória feminina sorriu a Bárbara Neiva, do Almada e Figuerinhas, enquanto que nos masculinos, o atleta Etson Barros, do Clube Oriental do Pechão, foi o vencedor.
 
Logo de seguida foi a vez de se disputar o campeonato de juniores, tendo o traçado para o sector feminino uma distância de seis quilómetros e o de masculinos, de oito quilómetros. Mariana Machado, do SC Braga, foi a mais rápida em femininos, enquanto que em masculinos, Ruben Sousa, do Sporting, foi o primeiro a cortar a meta.
 
O campeonato de absolutos arrancou depois dos mais jovens, tendo o traçado para o sector feminino oito quilómetros e o destinado ao sector masculino, dez quilómetros. A surpreendente Catarina Ribeiro, do Sporting CP, contra todas as previsões sagrou-se campeã nacional, enquanto que Rui Teixeira, também do Sporting CP, sagrou-se aos 37 anos, campeão nacional.
 
"Ser campeão nacional é o sonho de todos. Desde que comecei a correr, apaixonei-me pelo corta-mato. Sempre gostei, treinei a época toda em percurso de corta-mato e hoje consegui realizar o meu sonho", disse Rui Teixeira, em declarações à agência Lusa.
 
O atleta do Sporting sublinhou ainda o "despique" que manteve ao longo da prova com o rival Rui Pinto.
 
Também à Lusa, Catarina Ribeiro mostrou-se "satisfeita" e "muito feliz" com a conquista do título, sublinhando que alcançou um resultado ao nível do que tem "trabalhado" nos últimos tempos.
 
A atleta acrescentou ainda que a prova de Monforte foi "dura", com um percurso "muito técnico" e com "muita lama".
 
A prova referente aos veteranos 50+, com um percurso de cinco quilómetros, foi a penúltima a iniciar-se, enquanto que o nacional de veteranos 35, 40, 45 foi o último a ser disputado, contando com um percurso de oito quilómetros. António Fernandes, do GDC Guilhovai, na vertente masculina, e Adélia Tavares, da ADC CJ Clark, no sector feminino, venceram o nacional para atletas com mais de 50 anos de idade. No nacional de veteranos 35, 40, 45, a vitória masculina foi para Paulo Gomes, do GDC Guilhovai, enquanto que Carla Machado, da UD da Várzea, foi a veterana mais rápida no percurso de Monforte.
 
Colectivamente, o SL Benfica venceu em Juvenis masculinos e femininos, e em Juniores masculinos. O Sporting CP venceu em Juniores femininos, e nas categorias rainhas, Seniores masculinos e femininos. Nos veteranos, a vitória colectiva foi para o ACP – Atletismo Clube de Portalegre, em femininos, e para a Casa do Ebnfica de Algueirão, na vertente masculina da competição.
 
Todas as classifcações do Campeonato de Portugal de Corta-Mato Longo podem ser consultadas aqui.
 
c/ LUSA
 
Oriundos de cerca de 100 equipas, serão mais de 1500 os atletas que vão participar na edição de 2018 do Campeonato de Portugal de Corta-Mato Longo, que vai decorrer amanhã, Domingo, dia de 18 de Março, em Monforte, anunciou a Federação Portuguesa de Atletismo.
 
A prova, que já vai na 95ª edição em masculinos e na 52ª edição em femininos, vai contar com a presença das “maiores equipas nacionais”, destacando-se também a presença dos campeões nacionais de seniores em 2017, Rui Pinto (Benfica) e Jéssica Augusto (Sporting).
 
Nós temos no atletismo português 510 clubes filiados, e teremos em Monforte mais de 100 equipas a participar, o que é um número bastante significativo de equipas de várias regiões do país”, sublinhou o presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, Jorge Vieira.
 
O responsável explicou que o percurso traçado para o campeonato apresenta-se “duro”, acrescentando ainda tratar-se de um traçado que serve para “preparar” os atletas para o Campeonato da Europa de Corta-Mato, que vai decorrer em 2019, no Parque da Bela Vista, em Lisboa.
 
O Campeonato de Portugal de Corta-Mato longo tem início pelas 09:30 horas, com a prova de juvenis, contando a prova de femininos com um percurso de quatro quilómetros e a de masculinos, pelas 10 horas, com um traçado de cinco quilómetros.
 
Pelas 10:30 horas, é a vez de disputar-se o campeonato de juniores, tendo o traçado para o sector feminino uma distância de seis quilómetros e o de masculinos, pelas 11:05 horas, de oito quilómetros.
 
O campeonato de absolutos arranca por sua vez pelas 11:50 horas, sendo o traçado para o sector feminino de oito quilómetros e o destinado ao sector masculino, pelas 12:30 horas, de dez quilómetros.
 
A partir das 13:25 horas está anunciado o inicio da prova referente aos veteranos 50+, com um percurso de cinco quilómetros.
 
O nacional de veteranos 35, 40, 45 é o último a ser disputado, pelas 14:05 horas, contando com um percurso de oito quilómetros.
 
O presidente da Câmara Municipal de Monforte, Gonçalo Lagem, congratulou-se por acolher no seu concelho uma prova desportiva de âmbito nacional.
 
Acolher esta prova assenta num dos três eixos que implementamos para desenvolver o concelho. O primeiro eixo passa por dar qualidade de vida às pessoas, resolver os seus problemas e o segundo eixo é onde se insere esta estratégia de receber este Campeonato Nacional de Corta-Mato. Já o terceiro eixo passa por fixar pessoas e captar investimento”, disse.
 
c/ LUSA

Não é novidade para ninguém que Estremoz é uma terra apaixonada por hóquei em patins, e que foi através dessa modalidade que algumas das páginas mais bonitas do desporto desta cidade foram escritas a letras de ouro.
 
O CF Estremoz marcou presença na 1ª Divisão Nacional da modalidade, e um jogador saído da sua cantera, José António, sagrou-se Campeão do Mundo, no Chile, em 1962. Vários têm sido também aqueles que deixam o hóquei patinado estremocense para os melhores clubes nacionais. João Sardo, para o SL Benfica, e Luís Cebola, para o Sporting CP, são os mais recentes exemplos.
 
Mas também no hóquei feminino, através do já extinto CDA Externato São Filipe, a cidade de Estremoz fez história. O clube azul e branco marcou presença, várias épocas, na 1ª Divisão Nacional, tendo mesmo a equipa liderada por João Coruche Mendes disputado a Fase Final de Apuramento de Campeão Nacional. Disputou, no ano de 2007, a Final da Taça de Portugal, sendo a primeira vez que uma equipa de Estremoz chegou à final de uma Taça de Portugal num desporto colectivo. E a agora ídolo do futebol feminino nacional, Carolina Mendes, vestiu por diversas vezes, a camisola das quinas da selecção nacional de hóquei em patins, enquanto atleta do clube estremocense.
 
De forma a honrar a brilhante história do hóquei em patins em Estremoz, e também para que o hóquei feminino não acabasse na cidade branca do Alentejo, as jogadoras e o treinador do CDA Externato São Filipe, na impossibilidade de representarem o clube azul e branco, decidiram transferir-se para o CF Estremoz.
 
Através da página “Hóquei Feminino CFEstremoz” na rede social Facebook, as agora atletas encarnadas informam que a equipa irá começar a sua participação na Taça da Associação de Patinagem de Lisboa, já no próximo Domingo, fora de portas, diante da formação da APAC Tojal. O primeiro jogo das “encarnadas” em casa, no Pavilhão Municipal de Estremoz, acontecerá no dia 24 de Fevereiro, Sábado, pelas 15 horas, diante da UDC Nafarros.
 
O plantel feminino do CF Estremoz, que começou a treinar às ordens do Professor João Coruche Mendes, no passado mês de Setembro, quer com os escalões de formação do clube, quer com os seniores encarnados, é composto pelas seguintes atletas: Seniores – Ana Catela (GR), Inês Mendes, Inês Santos, Patrícia Lopes, Dina Letras e Margarida Caldeirinha; Sub -17 e Sub -15 – Carlota Russo, Carmo Potier Teixeira, Teresa Rezende, Maria Inês Gouveia, Inês Graça e Rita Verdugo.
 
Para além de quererem dar continuidade ao hóquei em patins no feminino na cidade de Estremoz, e tal como foi confidenciado ao Ardina do Alentejo por uma jogadora do plantel encarnado, “a ideia passa muito por integrar as mais novas nas seniores e fazer uma "renovação"”.
 
Com a vitória obtida ontem, Domingo, 28 de Janeiro, em Portimão, diante do Hóquei Clube de Portimão, por esclarecedores 8-0, a equipa de sub-17 do Clube de Futebol de Estremoz, sagrou-se Campeã Regional de hóquei em patins.
 
 
Com o primeiro lugar alcançado na tabela classificativa, à frente de equipas como o CD Boliqueime, o HC Portimão e o CP Beja, a formação liderada por Luis Sádio vai agora disputar o Campeonato Nacional da categoria.
 
São campeões regionais os jogadores Tomás Costa e Luís Vieira (guarda-redes), Miguel Verdugo, Bernardo Magalhães, Luís Pestana, Miguel Sádio, Luís Rezende, Miguel Lopes e Carlota Russo, os seccionistas Rui Pestana, João Vieira, João Costa e José Lopes, e o treinador Luís Sádio.
 
Pelo terceiro ano consecutivo, uma equipa da formação do hóquei em patins do Clube de Futebol de Estremoz, sagrou-se Campeã Regional.
 

Já tem data marcada o Estremoz Bike 2018

Escrito por %AM, %28 %051 %2017 %00:%Dez.
Já tem data marcada a edição de 2018 do Estremoz Bike, uma das provas de BTT mais concorridas a Sul do Tejo, e que traz a Estremoz, para além de mais de meio milhar de participantes, muitos acompanhantes e pessoal de apoio das equipas.
 
Se é um apaixonado da modalidade, marque já na sua agenda o dia 13 de Maio, e prepare-se para viver ou reviver uma aventura épica de BTT. Se é simplesmente um espectador deste desporto magnífico, fixe bem o dia 13 de Maio no seu calendário, pois nesse dia vai poder ver Estremoz ser invadido por mais de meio milhar de participantes.
 
Por terras estremocenses existirão desafios para todos os gostos, com percursos de 80 quilómetros - Maratona, 50 quilómetros - Meia-Maratona e 30 quilómetros - Mini-Maratona.  Com estas distâncias será assim possível desbravar os trilhos da Serra D'Ossa e ligar os castelos de Estremoz e Evoramonte.
 
Segundo a organização, a abertura das inscrições acontecerá em breve. 
 
Estremoz Bike é uma organização da Câmara Municipal de Estremoz, das associações Rota D'Ossa e Sobe e Desce Team, para além de várias entidades locais.

Clube Futebol de Estremoz realiza 12ª Gala

Escrito por %PM, %16 %028 %2017 %23:%Nov.
O Clube de Futebol de Estremoz realiza, no próximo dia 25 de Novembro, a sua 12ª Gala.
 
À semelhança das edições anteriores, pretende-se com esta iniciativa, que se realiza no Restaurante Manjar de Estremoz, reunir a família do clube encarnado, no mês em que completa 92 anos de história, “sorrindo às dificuldades”.
 
O programa contempla Jantar de Gala, divulgação dos atletas do ano, relativamente à época anterior e apresentação dos atletas das modalidades de Futebol, Hóquei em Patins, Natação e Dança/Ginástica para a época 2017/2018.
 
As actuações artísticas estão por conta da jovem estremocense Raquel Monteiro, e do Grupo de Dança do Clube de Futebol de Estremoz “Traquinas & All Star”.
 
As inscrições estão abertas a todos os interessados, através dos contactos 268322163, 910307833 ou 967457657.
 

Carolina Mendes regressa ao campeonato italiano

Escrito por %AM, %31 %051 %2017 %00:%Out.
Tempo para abraçar um novo projecto, novos compromissos, novos desafios... É tempo de fechar um ciclo e começar outro... Regressar a um campeonato onde já estive, mas desta vez a representar outras cores!
 
Foi com este texto, publicado na sua página oficial na rede social Facebook, que a futebolista estremocense Carolina Mendes anunciou que a sua carreira futebolística vai “mudar de ares” e passar por outro país.
 
A primeira jogadora a marcar um golo pela Selecção Nacional de Portugal em fases finais de um Campeonato da Europa vai jogar em Itália, defendendo as cores do Atalanta Mozzanica. Este não é um campeonato novo para Carolina, visto que na época 2013/2014 a ponta-de-lança jogou pelas transalpinas do ASD Riviera di Romagna.
 
Ainda na rede social Facebook, a internacional portuguesa escreveu que “este ano, o futebol proporcionou-me momentos muito bons, feitos alcançados e objectivos cumpridos... Agora é tempo de delinear coisas novas... A minha casa esta época será o Atalanta Mozzanica. Espero ser feliz!”.
 
Praticamente a cumprir 30 anos, a jogadora estremocense vai assim vestir a sua 12ª camisola.
 
Na última temporada Carolina Mendes jogou pelo Grindavik FC, da Islândia, depois de já ter passado pelo Djurgardens (Suécia), Rossiyanka (Rússia), ASD Riviera di Romagna (Itália), SPC Llanos Olivenza e UE L'Estartit (ambos em Espanha), 1.º Dezembro, Ponte Frielas, Estrela de Portalegre, Desportalegre e Eléctrico da Ponte de Sor.
 
A avançada lusa termina a sua publicação no Facebook agradecendo a todos os que a “continuam a acompanhar nesta caminhada”, acrescentando que “Pelo sonho é que vamos..."

João Geadas assinou pelo Sport Lisboa e Benfica

Escrito por %AM, %23 %097 %2017 %02:%Out.
João Geadas, actual Campeão Nacional de Atletismo dos 100 metros, no escalão de Juvenis, título alcançado no passado mês de Junho, em Abrantes, envergando a camisola da AJES – Associação Juvenil de Estremoz, acaba de assinar contrato com o Sport Lisboa e Benfica (SLB). O atleta, natural de Rio de Moinhos, no concelho de Borba, irá integrar a estrutura do atletismo encarnado no escalão júnior, de 1º ano.
 
Ardina do Alentejo esteve à conversa com João Geadas, que nos falou deste importante salto na carreira, de como surgiu o convite para integrar o quadro de atletas das águias, de em que ponto ficam os estudos e que mudanças vão haver na sua vida, e é claro, da AJES, equipa com a qual se sagrou Campeão Nacional e que lhe permitiu a convocatória para a Selecção Nacional.
 
Ardina do Alentejo – Como é que surgiu o convite para assinares pelo SLB?
João Geadas (JG) – O convite para assinar pelo SLB surgiu através da plataforma Lince da Federação Portuguesa de Atletismo.
 
Ardina do Alentejo – O que é que te foi pedido pela estrutura do atletismo do clube encarnado? Foram-te exigidos títulos?
JG – Não me foi exigido nada de especial, apenas trabalho, esforço e dedicação.
 
Ardina do Alentejo – E o João pessoalmente… Já tens objectivos definidos por ti?
JG – Sim, os meus principais objectivos são melhorar as marcas anteriores, conseguir conquistar pódios nacionais, representar Portugal em algumas provas, mas principalmente, conseguir integrar-me bem no grupo de trabalho onde cheguei agora.
 
Ardina do Alentejo – E agora como é que fica a tua vida? Vais para Lisboa viver, vais apenas treinar… 
JG – A minha vida neste momento está praticamente igual, à excepção da carga de treinos, e também ao facto de ter de ir treinar ao Centro de Alto Rendimento, em Lisboa, pelo menos duas vezes por semana. 
Viver para Lisboa este ano estava fora de questão, uma vez que ainda estou a acabar o 12º ano, tenho exames e não fazia sentido mudar de escola agora.
 
Ardina do Alentejo – Como é que a tua família viu este salto na carreira?
JG – A minha família ficou muito contente por mim, e apoiam-me incondicionalmente.
 
Ardina do Alentejo – E a AJES? Já sentes saudades?
JG – Sim, como é óbvio, sente-se sempre saudades da nossa primeira casa e principalmente do sítio onde fomos bem tratados... Vou sempre acompanhar os resultados da AJES até porque deixei lá grandes amigos.
 
Ardina do Alentejo – A tua saída do Alentejo, do interior do país para um grande do desporto nacional e mundial, revela que no Alentejo também se trabalha bem desportivamente apenas não olham tanto para nós?
JG – Acho que sim, no Alentejo também se trabalha bem desportivamente, por vezes até com um esforço acrescido, pois no interior não temos certas condições como existem nas grandes cidades...
 
 
Jorge Canhoto: "O João é mais um elemento que atinge um patamar de destaque, mas que acima de tudo, o impele para mais trabalho se quiser continuar a atingir resultados de destaque"
 
Quando João Geadas se sagrou Campeão Nacional de Atletismo dos 100 metros, no escalão de Juvenis, Jorge Canhoto era o “homem do leme”. Orgulhoso, o treinador da AJES - Associação Juvenil de Estremoz, falou com o Ardina do Alentejo, e contou-nos como é o agora atleta encarnado, quer a nível pessoal, quer a nível desportivo.

O “mister” da AJES falou ainda do “pedestal de arrogância” com que os grandes clubes do atletismo olham para os pequenos e lançou um olhar sobre o actual momento do atletismo da AJES e sobre o futuro.
 
Ardina do Alentejo – Motivo de orgulho para a AJES, e para o treinador Jorge Canhoto, esta assinatura de contrato do João Geadas com o SLB? 
Jorge Canhoto (JC) – Sempre que um atleta que iniciou a carreira na AJES, e deu aqui os primeiros passos na modalidade, atinge relevo em termos nacionais é sempre um orgulho para toda a estrutura dirigente e técnica da AJES. O João é mais um elemento que atinge um patamar de destaque, mas que acima de tudo, o impele para mais trabalho se quiser continuar a atingir resultados de destaque. Todos os atletas que se divertem com a prática desportiva e vão para os treinos satisfeitos e felizes, e aos poucos vão continuamente batendo as suas marcas, são motivo de satisfação de todos, mas acima de tudo a satisfação é por poder trabalhar com estes jovens e ser uma parte, ainda que pequena, na construção das suas vidas e das suas carreiras desportivas.
 
Ardina do Alentejo – Se tivesse de caracterizar o João Geadas, como é que o caracterizava? Pessoalmente e desportivamente… 
JC  Em termos pessoais é um jovem humilde, que escuta e corrige quando alguém lhe chama a atenção. É um jovem que se relaciona bem com toda a gente, bem-disposto e que coloca muita energia e entusiasmo no caminho para atingir os seus objectivos.
Em termos desportivos tem ainda uma margem muito grande de evolução e se continuar com a dedicação que sempre mostrou, a trabalhar mais e melhor, penso que poderá fazer coisas bonitas no atletismo português.
 
Ardina do Alentejo – A saída do atleta João Geadas do Alentejo, do interior do país para um grande do desporto nacional e mundial, revela que no Alentejo também se trabalha bem desportivamente apenas não olham tanto para nós? 
JC – No Alentejo trabalha-se tão bem como em qualquer outra região do país, possivelmente o número reduzido de jovens que atingem marcas de relevo prende-se com o despovoamento e envelhecimento do interior, onde a base de recrutamento é cada vez mais reduzida. Os clubes de dimensão nacional olham para os atletas do Alentejo como para os atletas de outras zonas e sabendo que as associações do interior não conseguem competir com eles em termos de condições, colocam-se num pedestal de arrogância desnecessária. No atletismo, como possivelmente em outras modalidades, ainda há um longo caminho a percorrer, começando pela democratização da modalidade com a eleição do Presidente da Federação, que é feita de forma indirecta, sem a participação dos clubes, e deveriam ser estes a votar, porque são estes que dão, como se costuma dizer, o corpo ao manifesto, mas isso não interessa aos interesses dos grandes.
 
Ardina do Alentejo – Em termos de atletismo, a AJES está bem e recomenda-se? 

JC – A AJES, como outros clubes do interior, debate-se por um lado com a falta de base de recrutamento, e por outro pela saída de alguns atletas quando atingem a idade de juniores, que fruto do seu percurso de estudantes vão para a Universidade, tornando-se difícil manter o acompanhamento de forma a que haja evolução das marcas e da sua formação enquanto atletas, ganhando os clubes onde há ensino superior com isso. 
No entanto, todos os anos o número de atletas que, por ingressar no ensino superior, acabam por deixar a AJES é compensada pelas entradas nos escalões mais baixos e o mesmo acontece este ano. Deixam a AJES, este ano, sete atletas e ingressam seis, o que segue a norma mantendo-se o grupo nos mesmos moldes que em anos anteriores.
 
Ardina do Alentejo – Há mais “Joãos Geadas” na AJES?
JC – Da AJES já saíram alguns atletas que puderam competir ou que ainda competem em provas noutras associações regionais ou em quadros competitivos nacionais. Correndo o risco de me esquecer de alguém, mas os últimos nomes que recordo são os do João Bandovas, que ainda competiu pelo Belenenses, o Luís Pássaro que integrou as equipas do Donas e do Clube de Campismo de São João da Madeira, e a Carolina Liliu, que é a recordista regional dos 100 metros, que integra a equipa principal de futsal do Sporting Clube de Portugal.
Dos que continuam a defender as cores da AJES, todos eles têm os objectivos bem definidos, e não nos podemos esquecer que estamos a falar de escalões de formação, onde eu prefiro construir e não ter grandes  atletas em miniatura. Acima de tudo se o trabalho for bem feito nestes escalões a probabilidade de se atingirem grandes marcas, que no atletismo acontecem basicamente depois dos 24 anos, é muito maior. Como disse, prefiro “construir” atletas de futuro do que campeões precoces e que depois se perdem.
A Escola de Natação do Clube de Futebol de Estremoz, recebeu pela terceira época consecutiva, e desta feita com subida ao nível 2 – Prata, a Certificação de Qualidade da Federação Portuguesa de Natação.
 
A Certificação de Qualidade insere-se no programa "Portugal a Nadar" e traduz-se num comprometimento de melhoria contínua a nível pedagógico, didáctico e de gestão.
 
O certificado foi entregue no passado dia 14 de Outubro, em Coimbra, no decorrer da III Gala da Natação. O CF Estremoz esteve representado pelo Presidente da Direcção e Coordenador da Secção de Natação, Rui Lopes.