sábado, 29 fevereiro 2020
O Centro Hípico de S. Brás, em Elvas, recebeu no passado dia 9 de Fevereiro, uma Poule de Obstáculos, que contou com a representação da Associação Hípica de Estremoz através de vários conjuntos.
 
Entraram nesta prova 147 conjuntos, oriundos de vários pontos da região Alentejo, mas também vários conjuntos oriundos da cidade vizinha de Badajoz.
 
A Associação Hípica de Estremoz fez-se representar com seis conjuntos, em cinco provas:
- Na prova de Gincana, que é considerada a prova de iniciação de um cavaleiro de saltos de obstáculos, participaram três conjuntos (Joana Borges, Liliana Matos e Matilde Santos). Numa prova que não tem tabelas classificativas, os três conjuntos estremocenses estiveram à altura da competição. 
- Na prova de 0.40 cm, participaram no total 16 conjuntos, tendo a cavaleira Inês Rodrigues ficado classificada em 3.º lugar.
- Na prova de 0.60 cm, participaram no total 33 conjuntos, tendo Íris Tinoco ocupado o 4.º lugar e Inês Rodrigues o 5.º lugar.
- Na prova de 0.80 cm, participaram 41 conjuntos, tendo Margarida Ramalho, obtido o 1.º e 3.º lugar (com montadas diferentes) e Íris Tinoco o 4.º lugar.
- Na prova de 1.00 m participaram 25 conjuntos, tendo Margarida Ramalho obtido o 2.º lugar.
Modificado em terça, 18 fevereiro 2020 17:16
Disputou-se em Montemor-o-Novo, no passado domingo, dia 19 de Janeiro, o Torneio Regional de Velocidade e Preparação da Associação de Natação do Alentejo.
 
O Clube de Futebol de Estremoz foi o clube mais medalhado nas provas do Torneio de Velocidade, tendo subido ao pódio 12 vezes.
 
Participaram nesta competição 135 atletas, em representação dos clubes Aminata de Évora, Zona Azul de Beja, Atlético de Montemor, Grupo Desportivo de Mora, Grândola Sports Club, Centro Republicano Aljustrelense, Clube Natação do Litoral Alentejano, Núcleo Desportivo e Cultural de Odemira e Clube de Futebol de Estremoz/Estremozcarnes.
 
Destaque para a prestação do “Estremoz/Estremozcarnes”, clube mais medalhado nas provas do Torneio de Velocidade, disputadas em absoluto para Juvenis, Juniores e Seniores, com 12 subidas ao pódio:
Na prova de 50 metros Costas, Luís Fonseca ficou em 1º, André Fróis em 3º e Matilde Pires em 1º lugar.
 
Nos 50 metros Mariposa, Luís Fonseca foi 1º classificado, Diogo Banha foi 3º e Ana Fonseca ficou em 2º lugar.
 
Nos 100 metros Estilos, Ana Fonseca classificou-se em 3º lugar.
 
Na prova de 50 metros Livres, Luís Fonseca voltou a vencer, enquanto Ana Fonseca foi a 3ª classificada.
 
Na estafeta de 4x50 metros Livres, a equipa feminina composta por Matilde Pires, Ana Fonseca, Natacha Brites e Marta Candeias classificou-se em 1º lugar, enquanto na estafeta de 4x50 metros Estilos, André Fróis, David Pomar, Diogo Banha e Luís Fonseca ficaram em 1º lugar. Matilde Pires, Marta Candeias, Ana Fonseca e Natacha Brites ficaram também em 1º lugar no feminino.
 
No Torneio de Preparação, destinado à categoria de Infantis, Carolina Fonseca classificou-se em 1º lugar nos 200 metros Bruços, 200 metros Livres, 200 metros Estilos e 2º lugar nos 200 metros Costas.
 
Nuno Saramago foi 1º classificado nos 200 metros Estilos e 2º nos 200 metros Costas e 200 metros Livres.
 
Relativamente a recordes CFE, Ana Fonseca estabeleceu novo recorde nos 50 metros Mariposa (Júnior e Absoluto), Luís Fonseca alcançou novo recorde nos 50 metros Livres (Sénior) e 50 metros Mariposa (Sénior e Absoluto). A equipa feminina composta por Matilde Pires, Marta Candeias, Ana Fonseca e Natacha Brites estabeleceu novo recorde nos 4x50 metros Livres e Estilos Feminino (Júnior e Absoluto).
 
Destaque ainda para as prestações pela positiva de Joana Garcia, Maria Leonor Borralho, Matilde Ferreira, Luís Gancho, David Pomar e David Moreira.
Modificado em terça, 21 janeiro 2020 22:14
Tendo como objectivo a realização de treinos de observação, três atletas do Clube de Futebol de Estremoz foram chamados pelo Futebol Clube do Porto.
 
No próximo domingo, 19 de Janeiro, e após convocação do Departamento de Scouting do FC Porto, os atletas Levi Batista, do escalão de Sub-9, Filipe Moreira e Miguel Frade, do escalão de Sub-11, irão marcar presença no Estádio Municipal de Grândola.
 
Em nota publicada na rede social Facebook, a direcção do Clube de Futebol de Estremoz deseja que os jovens futebolistas estremocenses “aproveitem o momento e se divirtam a fazer o que mais gostam: Jogar Futebol”, salientando ainda que “apesar de todas as dificuldades, continuamos a apostar na formação dos nossos jovens, como atletas, e formando homens, com valores, que serão o futuro do amanhã”.
 
A mensagem deixa ainda uma recomendação aos restantes atletas do clube encarnado: “Há que continuar a trabalhar porque mais oportunidades vão aparecer e de certo mais atletas irão...".
Modificado em quinta, 16 janeiro 2020 15:03
Na sétima etapa da prova, que se disputou no dia de ontem, que ligou Riade a Wadi Al Dawasir, e que contou com um sector selectivo de 546 km, o mais longo da edição de 2020 do Dakar, o piloto natural de Rio de Moinhos, no concelho de Borba, terminou na 34ª posição, cumprindo a tirada em 5h16’04’’, gastando mais quase 40 minutos do que o vencedor da etapa, o argentino Kevin Benavides. Com este resultado, o piloto da Yamaha #53 subiu mais uma posição, ascendendo ao 29º posto da geral, já a mais de quatro horas e 47 minutos do líder da competição, o norte-americano Ricky Brabec.
 
Na classificação G2, reservada aos pilotos que não fazem parte da elite da prova “rainha” do todo-o-terreno mundial, António Maio ascendeu igualmente uma posição, ocupando agora o 13º lugar, a mais de três horas e meia do 1º classificado, o norte-americano Skyler Howes.
 
Mas pouco importam os resultados, a luta pelas primeiras posições no retorno ao Rally Dakar 2020 após o dia de descanso. Uma queda, ao quilómetro 276, vitimou o piloto português Paulo Gonçalves, de 40 anos. O Speedy, como era carinhosamente tratado no mundo do todo o terreno, tinha pelo Dakar uma enorme paixão. Participava na competição pela 16ª vez, depois de se ter estreado em 2006, e integrava o restrito grupo de pilotos que correu nos três continentes: África, América do Sul e agora na Ásia, no Médio Oriente. No currículo do piloto de Esposende, fica o 2º lugar conquistado em 2015, as duas vitórias em etapas, uma em 2011 e outra em 2015, a conclusão da prova por quatro vezes no top 10 e as cinco desistências. Em 2013, Speedy Gonçalves sagrou-se Campeão do Mundo de Ralis Cross Country. Comunicativo, sorridente, bem-humorado, rápido e combativo, sempre pronto a dar uma ajuda, Paulo Gonçalves, um dos mais queridos e respeitados pilotos do todo o terreno internacional, era uma das lendas do Dakar.
 
No final da sétima etapa do Dakar 2020, e em declarações à página na rede social Facebook, Brasil no Dakar, o piloto António Maio disse ter vivido este domingo a pior etapa da sua carreira.
 
"Passei e estavam a fazer manobras de reanimação e percebi logo que era grave. Não é fácil... É a pior etapa da minha vida", disse o capitão da GNR.
 
Visivelmente emocionado, o piloto alentejano disse ainda estar "em choque" depois de ver "aquela imagem" de Paulo Gonçalves a receber assistência.
 
Horas mais tarde, António Maio escreveu na sua página na rede social Facebook, "vou tentar apagar da minha memória tudo o que vi e o que se passou depois, nesta que foi a etapa mais difícil da minha vida", acompanhando a publicação com uma fotografia com Paulo Gonçalves, entre outros pilotos, num dia de treinos.
 
"É com aquele piscar de olho e o desejo de "boa sorte" uns segundos antes de partires para a 7.ª etapa que te vou recordar para sempre! Um verdadeiro Homem, um ser humano fantástico e um piloto único! Obrigado Paulo por seres uma das minhas referências", escreveu o antigo campeão nacional de todo-o-terreno, que participa no Dakar pela segunda vez.
 
Após uma reunião entre a organização do Dakar 2020 e as equipas participantes, foi deliberado que a oitava etapa, agendada para hoje, 13 de Janeiro, seria cancelada para motos e moto4. "Após uma reunião com os pilotos e toda a família de motociclistas, os organizadores decidiram cancelar a oitava etapa para a categoria de motociclismo e moto4, de modo a dar tempo para que os atletas façam o luto do seu amigo", lê-se em comunicado divulgado pela organização da competição.
 
c/ CM e Brasil no Dakar
Modificado em segunda, 13 janeiro 2020 01:43
Há três dias, recuperou de uma queda que o poderia ter colocado fora de prova. Desde aí, o piloto alentejano António Maio tem vindo a fazer uma excelente recuperação na edição de 2020 do Rali Dakar, que decorre por terras da Arábia Saudita.
 
Na sexta etapa da prova, que se disputou no dia de ontem, que ligou Há’il a Riade, e que contou com um sector selectivo de 478 km, o piloto natural de Rio de Moinhos, no concelho de Borba, terminou na 20ª posição, cumprindo a tirada em 5h03’06’’, gastando mais 26 minutos do que o vencedor, e grande dominador da prova, Ricky Brabec. Com este resultado, o piloto da Yamaha #53 subiu três lugares, ascendendo ao 30º posto da geral, já a mais de quatro horas do líder da competição, o norte-americano Ricky Brabec.
 
Na classificação G2, reservada aos pilotos que não fazem parte da elite da prova “rainha” do todo-o-terreno mundial, António Maio ascendeu dois lugares, ocupando agora o 14º lugar, a mais de três horas do 1º classificado, o norte-americano Skyler Howes.
 
No final da etapa, o Capitão da GNR referiu ter sido “mais um bom dia. A etapa era muito longa e começou logo com uma ligação de 180 km. A especial também era extensa, mas acabou por ser rápida, porque apesar de terem começado as dunas, predominaram as pistas velozes. Foi um dia bastante longo e estou muito contente por chegar a Riade. Estamos a meio do rali e não tenho tido problemas, o que é muito importante para nós. A mota tem estado muito bem e eu também estou bem fisicamente. Agora vamos aproveitar o dia de descanso para pôr a mota em ordem e recuperar do cansaço para podermos abordar bem a segunda semana do rali porque, pelo que nos foi dado a perceber, será ainda mais dura até porque vamos ter mais condução na areia”.
 
Hoje, sábado, cumpre-se o dia de descanso do Rali Dakar 2020, em Riade, a capital Saudita. Este será a oportunidade para os concorrentes descansarem e recuperarem as energias para última semana de prova. Será ainda o momento de rever com maior profundidade as máquinas e afinar detalhes porque o fim da corrida aproxima-se a passos largos.
 
Amanhã, domingo, 12 de Janeiro, realiza-se a sétima etapa da competição, entre Riade e Wadi Al Dawasir, numa etapa com a distância de 741 quilómetros, entre dunas e areia, sendo 546 desses quilómetros realizados em especial.
 
Tendo como objectivo a realização de treinos de observação, seis atletas do Sporting Clube Arcoense foram chamados pelo Sport Lisboa e Benfica.
 
No próximo domingo, 12 de Janeiro, e após chamada do Departamento de Prospecção do SL Benfica, os jovens futebolistas Gustavo Saramago, Guilherme Rocha, e Martim Pires, do escalão sub-9, e Lourenço Carapinha, Salvador Moreira e Francisco Silva, do escalão sub-6, irão apresentar-se no Centro de Estágios e Formação do clube encarnado, Benfica Campus, no Seixal.
 
Em nota publicada na rede social Facebook, a direcção do Sporting Clube Arcoense revela que a alegria sentida por estes jovens atletas com esta convocatória “é a nossa alegria”, deixando bem saliente que “juntos seremos mais fortes!”.
Modificado em quinta, 16 janeiro 2020 14:43
Realizou-se hoje, dia 9 de Janeiro, a 5ª etapa do Rally Dakar 2020, que ligou Al-`Ula a Ha'il, numa tirada com 564 km, e que contou com um sector selectivo de 353 quilómetros.
 
Depois do dia complicado de ontem, em que sofreu uma queda e perdeu muito tempo a reparar a sua mota, o que o faz sair do top 20 na classificação geral das motos, o alentejano António Maio teve hoje um dia mais positivo, conseguindo recuperar alguns lugares na geral.
 
Partindo muito de trás, António Maio e a sua Yamaha #53 apanharam muito pó nos primeiros quilómetros da etapa. A partir dos 150 quilómetros, o piloto natural de Rio de Moinhos, começou a apanhar algumas zonas de areia, conseguindo manter um bom ritmo.
 
Capitão Maio terminou a tirada no 32º lugar, com o tempo de 4h39’42’’, gastando mais 42 minutos do que o vencedor da tirada, o australiano Toby Price, que percorreu os 353 quilómetros da especial em 3h57’33’’.
 
Na classificação geral das motas, liderada pelo norte-americano Ricky Brabec, aos comandos de uma Honda, António Maio subiu três lugares, ocupando agora a 33ª posição, a 3h45’34’’ do líder.
 
Na classificação G2, reservada aos pilotos que não fazem parte da elite da prova “rainha” do todo-o-terreno mundial, António Maio ocupa agora o 16º lugar, a quase três horas do 1º classificado.
 
Amanhã, dia 10 de Janeiro, realiza-se a 6ª etapa do Rally Dakar 2020, que liga Ha'il a Riyadh, numa tirada com 830 km, e que conta com um sector selectivo de 477 quilómetros.
Modificado em sábado, 11 janeiro 2020 10:22
Apesar das dificuldades, o alentejano António Maio, até ontem o melhor português na classificação geral das motos, terminou a quarta etapa da edição de 2020 do Rally Dakar, que ligou Neom a Al-`Ula.
 
Depois de uma queda, o piloto da Yamaha teve de parar, ao quilómetro 30, para reparar a sua moto, o que acabou por lhe custar bastante tempo.
 
Numa altura em que tentava regressar à competição, o piloto natural de Rio de Moinhos, no concelho de Borba relatou ter tido “uma pequena queda, mas a mota é que está mal tratada. Estou a tentar chegar ao fim, mas não está fácil”. António Maio explicou ter partido “a escora da roda. Já meti uma cinta e o volante também não está nas melhores condições. Eu estou bem, a mota é que andou aos trambolhões nas pedras. Eu estou impecável, mas faltam ainda 150 km e vamos tentar chegar ao fim”.
 
É sabido que numa prova como esta, tudo pode mudar de um dia para o outro e foi precisamente isso que aconteceu com o português. Ainda assim, o Capitão Maio conseguiu retomar a prova, recuperar alguns lugares depois do incidente e terminar no 86º lugar, com o tempo de 6h31’26’’, gastando mais de duas horas do que o vencedor da tirada, o chileno Jose Ignacio Florimo, que gastou 4h24’51’’.
 
Na classificação geral das motas, liderada pelo norte-americano Ricky Brabec, aos comandos de uma Honda, António Maio ocupa agora a 36ª posição, a 3h06’28’’ do líder.
 
Na classificação G2, reservada aos pilotos que não fazem parte da elite da prova “rainha” do todo-o-terreno mundial, António Maio ocupa agora o 18º lugar, a mais de duas horas e meia do 1º classificado.
 
Amanhã, dia 9 de Janeiro, realiza-se a 5ª etapa do Rally Dakar 2020, que liga Al-`Ula a Ha'il, numa tirada com 564 km, e que conta com um sector selectivo de 353 quilómetros.
Modificado em quinta, 09 janeiro 2020 17:03
E na terceira etapa do Dakar 2020, brilhou um alentejano. Numa tirada com 503 quilómetros, que teve partida e chegada em Neom, e uma especial de 404 km, o piloto natural de Borba foi o melhor português na competição das motos, ao concluir a etapa no 24º posto da classificação das duas rodas.
 
Desta forma, António Maio pôde manter o 19º lugar da classificação geral das motos e o terceiro da classificação G2, reservada aos pilotos que não fazem parte da elite da prova “rainha” do todo-o-terreno mundial.
 
O piloto borbense fez um bom uso da Yamaha #53, num percurso que em grande parte foi cumprido na zona da Arábia Saudita, junto à fronteira com a Jordânia, e onde o rali subiu à sua altitude mais alta, 1400 metros, mas sem problemas de maior para aquele que é agora também o melhor motard português em prova.
 
Foi uma etapa difícil, com muitos quilómetros. Houve um problema num way point que não estava bem marcado e que acabou por me fazer perder algum ritmo. De resto, correu bem. A mota está impecável e, acima de tudo, estou satisfeito por fazer mais uma etapa sem percalços”, considerou António Maio.
 
O piloto, que também é capitão da GNR, referiu ainda que “o meu objectivo é fazer uma boa gestão da mecânica, apesar de por vezes me apetecer acelerar um pouco mais. No entanto, numa corrida como estas é preciso pensar em cada etapa de forma isolada, e por isso o meu foco é chegar ao fim, com a mota em bom estado, para minimizar os problemas que sabemos que vão surgir mais cedo ou mais tarde”.
 
A quarta etapa, cuja rota inclui passagens por pistas arenosas e gravilha, disputa-se no dia de hoje, 8 de Janeiro, e vai ligar Neom a Al-`Ula, contando com um sector selectivo de 459 quilómetros.
 
c/ Nuno Barreto Costa - PTjornal
Modificado em quarta, 08 janeiro 2020 19:23