sábado, 17 novembro 2018

Corrida de Touros em Estremoz - Todas as declarações

Escrito por  Publicado em Cultura sexta, 11 setembro 2015 01:30
No dia do regresso a casa, Francisco Cortes triunfou No dia do regresso a casa, Francisco Cortes triunfou Ivo Moreira
No passado Sábado, dia 5 de Setembro, a centenária Praça de Touros de Estremoz recebeu a 1ª Corrida de Touros do Clube de Caçadores de Estremoz. João Moura, António Ribeiro Telles e Francisco Cortes foram os cavaleiros de serviço, numa tarde em que as pegas estiveram a cargo dos Grupos de Forcados Amadores de Santarém e Alcochete.
 
"Ardina do Alentejo" ouviu todos os intervenientes nesta corrida que estava integrada no programa das Festas da Exaltação da Santa Cruz. 
 
João Moura - Estou satisfeito com a minha actuação. O segundo touro queria mais, era um touro complicado. Estive melhor no primeiro, onde toureei a gosto e onde acho que estive bem. O segundo touro tinha mais problemas e tentei dar o meu melhor. Tentei entendê-lo mas o touro tinha as suas complicações.
Em relação a esta temporada, tem sido uma boa temporada com corridas importantes. Temos tido corridas boas e ainda temos mais três ou quatro até ao fim e esperamos que corra tudo bem.
 
António Ribeiro Telles - Já não toureava em Estremoz há alguns anos e gostei muito de toiurear esta corrida, dos 20 anos de alternativa do “Kiko”, que é uma pessoa de quem eu gosto e pertencente a uma família que eu gosto muito.
Na minha opinião, acho que as coisas me correram bem, nos dois touros, e vou daqui contente. O público tratou-me mais uma vez extraordinariamente bem e vou muito contente.
A temporada tem corrido bem, com altos e baixos, com dias melhores do que outros, o que é normal na vida dos toureiros. Ainda não veio à Terra o toureiro que está todos os dias bem. Tem corrido bem, tenho toureado nas corridas de maior importância no panorama taurino português e as coisas têm-me corrido bem.
 
Francisco Cortes - Estou muito feliz. Acho que correu bem, acho que consegui ter duas boas lides nos dois touros e estou muito feliz. Estavam presentes muitos amigos meus, muita gente conhecida, amigos e família. Posso mesmo dizer que este será um dos dias mais felizes, não só da minha carreira, mas mesmo da minha vida.
Preparei-me totalmente, mas as coisas por vezes não saem como nós queremos. Felizmente correu bem e melhor não podia ter corrido.
 
David Romão - Grupo de Forcados Amadores de Santarém - Esta é sempre uma data importante, porque hoje em dia não estamos presentes como estávamos noutros tempos no Alentejo. E porque tem estes pormenores carismáticos, de fazermos uma pega de cernelha, que é uma pega que sempre teve muito cartel no Alentejo, uma região que sempre teve grandes cernelheiros.
Optámos por pegar de cernelha um touro que à partida não tinha grandes problemas e tinha todas as condições para uma pega boa de caras. Pegou-se e teve o seu brilho.
O Ricardo, que costuma ser rabejador e cernelheiro, fez gosto de pegar de caras, devido ao facto de estar o mais próximo da sua terra.
Foi com grande alegria e com grande satisfação que marcámos presença em Estremoz.
Estamos a comemorar os 100 anos e agradecemos a toda a afición a forma como nos recebeu.
Tem sido uma grande época, com um susto ou outro, mas isto dos touros é assim. Tivemos duas datas apoteóticas, em Santarém e em Lisboa. Tem estado tudo a correr da forma que Deus quis e como Deus nos proporcionou, porque as coisas no mundo dos touros são imprevisíveis.
Estamos na recta final da temporada e queremos que a mesma termine da forma como correu até agora.
 
Vasco Pinto - Cabo do Grupo de Forcados Amadores de Alcochete - Não fechámos da forma que queríamos e que gostávamos. Começámos bem a corrida com uma boa pega do João Pedro Sousa. O segundo touro era um touro complicado e muito ingrato devido à córnea e à dificuldade do forcado da cara se fixar dentro da córnea. Foi a aposta num jovem forcado. Para terminar a actuação resolvi apostar num forcado jovem, o Lourenço Barbosa, que ainda não tinha pegado. É o primeiro touro que pega. Não correu da melhor forma, mas serve para aprender e para amanhã estar melhor.
Em relação à temporada, penso que tem sido uma boa temporada, a correr bem, com boas actuações e com o grupo a mostrar grande coesão. Estou satisfeito.

Deixe um comentário