terça, 17 setembro 2019
terça, 20 agosto 2019 02:25

FESTIVALE promete animar, e muito, Vila Viçosa

Escrito por
O Festivale quer trazer novas tendências a Vila Viçosa mas quer também divulgar projectos dos jovens talentos do concelho O Festivale quer trazer novas tendências a Vila Viçosa mas quer também divulgar projectos dos jovens talentos do concelho DR
O espaço público da zona circundante da Igreja da Lapa, em Vila Viçosa, recebe nos dias 6 e 7 de Setembro, o Festivale, uma organização da Comissão de Festas da Juventude do Concelho de Vila Viçosa, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Vila Viçosa, e que segundo a organização “tem o simples objectivo de criar um evento cultural de reconhecimento regional, que junte pessoas de várias faixas etárias, contrariando a monotonia do Alentejo e abordando temáticas que vão desde a expressão artística à recuperação e sustentabilidade do nosso património”. O Festivale não pretende “repetir conceitos”, apostando “em artistas menos óbvios e com reconhecimento nacional”.
 

O Festivale “quer trazer novas tendências a Vila Viçosa mas quer, de igual modo, divulgar projectos e ideias dos jovens talentos do concelho, apostando para isso numa vertente paralela ao Festivale, direccionada para uma temática mais cultural” que se chamará Culturvale, e que segundo a organização, será “divulgada numa fase mais aproximada do evento”.

 
 
 
O talentoso rapper Papillon, o virtuoso cantor e compositor Tiago Bettencourt, os DJ´s Glue e Xinobi, o produtor Pedro e o colectivo de DJ’s Gin Party Soundsystem compõem o cartaz da edição de 2019 do Festivale.
 
Papillon é um nome recente no panorama musical português e que tem conquistado a nova geração do hip-hop nacional. O rapper de Mem Martins traz na bagagem até Vila Viçosa, a experiência da sua participação na Liga Knockout, mas também o reconhecimento por ser um dos elementos dos GROGnation. Traz igualmente um álbum de estreia que marcou, desde o início, o ano de 2018, e que deu maior projecção à carreira de Papillon, rapper que conta com colaborações com nomes como Slow J e presenças em vários festivais, como o NOS Alive. 
 

Pode dizer-se que Dj Glue é, no universo do Hip-Hop português, o DJ dos DJ’s, não só pelas portas que abriu mas também pelo sentido de insatisfação de que pode fazer sempre melhor, sem esquecer o respeito pelos colegas e a importância que dá à cultura do Hip-Hop. Dos fantásticos Da Weasel ao lançamento de "Goodies", Glue tem a seu cargo a curadoria da C.R.E.A.M., no Lux Frágil. Além disso, é presença assídua nos mais importantes clubes e festas do país, onde demonstra técnicas só ao alcance de alguns. Aliando uma rigorosa selecção de música que vai do rap português underground à vanguarda electrónica internacional, Glue é mestre dos pratos e do "real djing".
 
Há muitos artistas de renome em Portugal mas há poucos como Tiago Bettencourt. Um músico com M grande que, após os Toranja, continua a querer reinventar-se e descobrir novas formas de fazer as pessoas felizes. É um dos nomes incontornáveis para os amantes da música cantada na língua de Camões. Para os mais atentos não é preciso dizer mais mas se, por algum motivo, não se conhece o Tiago, nunca é tarde para colocar o ouvido em temas como "Morena", “O Jogo” ou "Se Me Deixasses Ser", sem esquecer a reinterpretação da "Canção do Engate", de António Variações, que nada deve ao original. São mais de 20 anos e cinco álbuns a levar a sua música para novas descobertas e a conquistar novos seguidores. Tiago Bettencourt é mais que a "Carta" dos Toranja e o Festivale é mais que uma festa, é um evento que quer marcar o seu espaço com nomes como o Tiago, onde a qualidade do que se faz é o único critério que conta.

 
Bruno Cardoso é XINOBI, DJ, produtor e, a par de Moullinex, um dos fundadores da Discotexas. Um entusiasta das pistas, do universo do clubbing, dos discos a girar e dos corpos agitados com as batidas mais electrónicas. É conhecido por remisturar artistas como Nicolas Jaar ou Toro Y Moi e por originais como "Puma" ou o novo "On The Quiet", álbum que junta a música de dança ao fado (e não só) e que revela a perspectiva autodidacta que Bruno sempre revelou. A electrónica mais séria chega ao Festivale pela mão de Xinobi e é nela que depositamos a confiança do final deste evento.
 
O cartaz fica completo com mais dois projectos tão distintos mas que fazem todo o sentido no alinhamento do Festivale. Por um lado temos Pedro, produtor que já viu o seu trabalho ao lado de nomes como Carlão, Diogo Piçarra ou Isaura, e noutro espectro oposto, temos Gin Party Soundsystem, um projecto que nem os próprios conseguem descrever, garantindo apenas um simples facto: festão mínimo.
 
 
 
 
 
 
Modificado em terça, 20 agosto 2019 15:43

Deixe um comentário