terça, 21 novembro 2017

A alentejana Beatriz Rocha, de apenas 15 anos, foi a grande vencedora da categoria “Cultura”, na secção juvenil dos Prémios Mundiais de Fotografia Sony.

A jovem alentejana venceu aquela que é considerada como a maior competição do género a nível internacional, com uma “chapa” batida no ano passado, no Teatro Garcia Resende, em Évora, aquando da candidatura do Cante a Património Mundial. Beatriz acompanhava o seu pai, Telmo Rocha, numa sessão de fotografia com o grupo "Cantares de Évora".
 
A ideia era juntar duas dimensões da memória histórica de Évora: o centro histórico, que já é património da Humanidade, e a o cante que na altura estava ainda na corrida para ser classificado como Património Imaterial.
 
E assim nasceu a fotografia que vai agora ficar para a história.
 
Ao site da SIC Notícias, Beatriz confessou: "Chorei, depois ri-me, tive um conjunto de emoções boas".
 
Há muito tempo que Beatriz é uma apaixonada pela fotografia, está-lhe nos genes, uma espécie de hereditariedade. O seu avô, Luís Rocha, era fotógrafo profissional, que chegou a trabalhar no Diário do Alentejo. O seu pai, Telmo Rocha, é economista, mas partilha a mesma paixão.
 
Recorda as velhinhas “máquinas de rolo”, dos amigos e dos pais. A fotografia a sério surge na vida de Beatriz, em 2013, altura em que, segundo ela, começou a “pensar a fotografia”.
 
Gosta de fotografar de tudo. Pessoas, paisagens. Gosta de compôr, de provocar. De mudar a maneira de ver as coisas.
 
Por enquanto é só um hobby, e assim se deverá manter, até porque “gostava de ter um trabalho no ramo da física", uma área que também a fascina.
As máquinas, herdou-as do pai. Já vai na segunda. Foi com a Nikon D7000 que captou aquele momento que deixou o júri rendido ao talento desta jovem alentejana.
 
Nesta competição da Sony, a luso-descendente Stephanie Anjo e a chinesa Yong Lin Tan foram também premiadas.
 
c/ SIC Notícias e Tribuna do Alentejo
 
A Praça de Touros João Moura, em Monforte, recebeu na tarde do passado Sábado, dia 28 de Março, uma corrida de beneficência a favor dos Bombeiros Voluntários da localidade do distrito de Portalegre.
 
Numa tarde em que o sol espreitou já com alguma intensidade, a praça de touros que perpetua o nome do pai do Maestro João Moura e avô de João e Miguel, esteve bem composta, com três quartos de casa fortes, numa corrida com um super-cartel, organizada pelo Grupo de Forcados Amadores de Monforte, que em 2015 cumprem 15 anos de actividade.
 
Em praça estiveram seis cavaleiros, com estilos distintos, que transmitem emoção e que facilmente chegam ao público: Joaquim Bastinhas, Ana Batista, João Moura Caetano, João Moura Jr., Marcos Tenório Bastinhas e Miguel Moura, que substituiu no cartel o seu pai, João Moura, que viu a corrida na trincheira, e que se encontra a recuperar de uma cirurgia à vesicula, realizada na passada semana.
 
Joaquim Bastinhas, que abriu praça, vinha com ‘ganas’ de triunfar e com vontade de mostrar que está “aí para as curvas”. Mas só a vontade não chegou. O Maestro de Elvas teve pela frente um complicado Passanha, que pouco “deu” ao veterano cavaleiro. Bastinhas saiu de Monforte sem glória e sem as suas imagens de marca, o par de bandarilhas e a saída do cavalo.
 
A Ana Batista também não sorriu o sorteio. O único touro da ganadaria de José Luis Vasconcellos e Sousa d’Andrade do lote vinha mal apresentado e mostrou-se muito complicado de lidar. A cavaleira de Salvaterra, embora tenha tentado dar a volta ao seu oponente, esteve alguns furos abaixo daquilo que é capaz e do toureio que a caracteriza.
 
A primeira grande lide da tarde foi da responsabilidade de João Moura Caetano. Diante de um belíssimo e colaborante touro da ganadaria da sua avó, Maria Guiomar Cortes de Moura, o cavaleiro de Monforte mostrou que a temporada de 2015 vai ser muito diferente da de 2014. Ferros compridos com emoção, de praça a praça, e a aguentar até ao limite, abriram uma lide que subiu de qualidade nos curtos. Moura Caetano brilhou intensamente numa tarde em que montou os cavalos “Aramis”, “Temperamento” e “Xispa”.
 
João Moura Jr. não quis que fosse apenas o primo a triunfar na tarde de Sábado e rubricou também ele, diante de um touro de Francisco Romão Tenório que ajudou ao êxito, uma lide de “encher o olho” ao aficionado. Igualmente a jogar a casa, Moura Jr. mostrou uma quadra de excelência, fez tudo bem feito, impôs emoção, bregou e ladeou como as primeiríssimas figuras do toureio, chegou às bancadas, triunfou. As feiras taurinas de Sevilha e de Madrid, bem como a inauguração do Campo Pequeno são os palcos que se seguem. Um arranque de temporada em grande, de um cavaleiro que se encontra num momento de absoluta afirmação.
 
O quinto touro da tarde, um Passanha que foi perdendo gás ao longo da lide, estava destinado a Marcos Tenório Bastinhas. O cavaleiro elvense mostrou-se empenhado, sacando ao seu oponente tudo o que tinha para ser sacado. Os Passanhas não quiseram nada com os Bastinhas na tarde de Sábado. Ferros de verdade, numa actuação valorosa, apesar do fraco desempenho do seu oponente, no arranque da temporada de Marcos Tenório Bastinhas, após longos meses de paragem.
 
Miguel Moura encerrou a corrida de Monforte. O mais novo dos cavaleiros da dinastia Moura mediu forças, à semelhança do que aconteceu com o seu irmão, com um touro de Romão Tenório, que se apresentou colaborante e que lhe proporcionou momentos de bom toureio, adornados em demasia, e que não agradaram muito ao seu pai, que na trincheira ia dando indicações ao jovem Miguel.
 
As pegas, que aconteceram sem grandes problemas, estiveram a cargo dos Amadores de Alter do Chão, que pegaram os seus dois touros à primeira, tendo sido caras João Galhofas e o romeno Jorge Neggi, dos Amadores de Monforte, que comemoram esta temporada o seu 15º aniversário, e cujas pegas aconteceram por intermédio de André Charepe e Vitor Carreiras, ao primeiro e segundo intento, respectivamente, e dos Amadores de Coimbra, que realizaram as suas duas pegas, à segunda e à terceira tentativa, respectivamente por José Freire e pelo cabo Rui Martins.
 
A corrida foi dirigida de forma condescendente e com afición por Marco Gomes. Nota de destaque para o cornetim Nuno Narciso, que com os seus sublimes toques, arrancou efusivos e calorosos aplausos do público presente.
 
Abrilhantou musicalmente, e de forma magistral, a Banda da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense “União”.
 
c/ Farpas Blogue
 

Sábado há super cartel em Monforte

Escrito por quinta, 26 março 2015 23:17
A Praça de Touros João Moura, em Monforte, recebe no próximo Sábado, a partir das 15 horas, um super cartel com algumas das principais figuras da tauromaquia nacional. João Moura, Joaquim Bastinhas, Ana Batista, João Moura Caetano, João Moura Jr. e Marcos Tenório Bastinhas vão estar em praça, numa corrida cujo benefício reverte a favor dos Bombeiros Voluntários locais, que comemoram em 2015, 30 anos de existência.
 
As pegas estarão a cargo dos Grupos de Forcados Amadores de Alter do Chão, capitaneado por Elias Santos, Monforte, cujo cabo é Ricardo Carrilho, e Coimbra, capitaneado por Rui Martins. Serão lidados seis imponentes touros das ganadarias Passanha (2), Francisco Romão Tenório (2), José Luís Vasconcellos e Sousa d'Andrade (1) e Paulo Caetano (1).
 
Esta corrida faz parte integrante das comemorações dos 15 anos de actividade do Grupo de Forcados Amadores de Monforte.
 
E o “Ardina do Alentejo” está em condições de lhe adiantar parte do cartel da corrida de touros que se realizará na Praça de Touros de Estremoz, no próximo dia 2 de Maio, por ocasião da Feira Internacional Agropecuária de Estremoz – FIAPE 2015.
 
O empresário João Pedro Bolota, da empresa Aplaudir, garantiu ao “Ardina do Alentejo”, em primeira mão, que o cartel vai ser composto por Sónia BatistaJoão Moura Caetano, e Tiago Carreiras.
 
 
A corrida de 2 de Maio será um concurso de pegas, cujo prémio será disputado por três grupos de forcados amadores da região, conforme nos adiantou o ex-forcado dos Amadores de Alcochete, João Pedro Bolota
 
Sobre a ganadaria e o curro de touros que marcará presença na Praça de Touros de Estremoz, o empresário adiantou-nos que será composto por touros todos acima dos 500 quilos, não estando ainda definida qual a ganadaria.
 
João Pedro Bolota referiu ao “Ardina do Alentejo” que o cartel estará fechado antes do fim-de-semana.
 
No próximo Sábado, dia 28 de Março, encerra a edição de 2015 do “Março – Mês do Teatro”, uma iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Estremoz.
 
Quando forem 21.30 horas, sobe ao palco da mais emblemática sala de espectáculos da cidade estremocense, o Teatro Bernardim Ribeiro, o grupo PATUÁ – Teatro Jovem de Arcos, que apresentarão a sua mais recente criação, “O Presidente da Junta”, uma peça com autoria de Joaquim Carola.
 
Esta é mais uma comédia do grupo sedeado no concelho de Estremoz, que marca presença no "Mês do Teatro" pelo 11º ano consecutivo, e que tem habituado os estremocenses e não só, a rir… e muito! 
 
Um grupo de estudantes confronta o Presidente da Junta com a falta de abrigo na paragem do autocarro. A irreverência da juventude provoca momentos de muito boa disposição.
 
Os ingressos para este espectáculo, produzido pela ARCA – Associação Recreativa e Cultural de Arcos, têm um custo de entrada de 2 euros.
 
Para mais informações ou reserva de bilhetes, devem os interessados contactar o 268 339 216 (Serviços Culturais), o 268 339 222 (Teatro Bernardim Ribeiro), o 268 339 227 (Posto de Turismo) ou o email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. .
Na passada segunda-feira, dia 16 de Março, o Restaurante Dom Leitão, em Lisboa, recebeu a festa de apresentação do novo álbum de José Gonçalez, “Até Deus Gosta de Fado”.
 
Este novo CD, que surge no mercado com etiqueta da RNL Música, é o 10º trabalho discográfico do fadista estremocense, e surge 25 anos após o lançamento de “Fado Lusitano”.
 
O restaurante lisboeta, espaço onde José Gonçalez actua duas vezes por semana, recebeu vários amigos do fadista e diversa comunicação social, para uma noite especial para o artista natural de Estremoz.
 
Após a apresentação da RNL Música (ver caixa), José Gonçalez, acompanhado por Guilherme Banza na guitarra portuguesa, Rogério Ferreira na viola, e Francisco Gaspar, na viola baixo, interpretou três temas: “Deus também gosta de Fado”, “O rapaz da camisola verde” e “Canta, amigo canta”, o single de lançamento do disco, e que conta com as participações especiais do cantor FF e do grupo alentejano “A Moda Mãe”, também eles presentes no Dom Leitão.
 
“Até Deus gosta de Fado” é o registo do espectáculo ao vivo de José Gonçalez, na Igreja de São Miguel, em Alfama, por ocasião do festival “Caixa Alfama 2014”. Trata-se de um álbum com 11 temas, cuja temática religiosa marca presença em todos os fados.
 
A apresentação de “Até Deus gosta de Fado” serviu também de mote para o lançamento das 25 noites de música no Dom Leitão com que José Gonçalez pretende, sempre entre amigos, celebrar os seus 25 anos de carreira. Entre o dia 17 de Março e o dia 18 de Abril, são vários os nomes que marcarão presença no restaurante lisboeta. Confirmados estão já, entre outros, Cuca Roseta, António Zambujo, Pedro Moutinho, António Pinto Basto, FF, Tó-Zé Brito, Rodrigo, José Cid, Ada de Castro, Marco Rodrigues, Joana Amendoeira e Jorge Fernando.
 
"Até Deus gosta de Fado" é o primeiro álbum da RNL Música
O 10º trabalho discográfico do fadista estremocense tem chancela da RNL Música, uma nova editora discográfica, apresentada igualmente no Dom Leitão, que se vai dedicar exclusivamente ao fado e que promete colocar no mercado discos com preços acessíveis a toda a gente.
 
A nova etiqueta é liderada por Luís Montez, proprietário da Rádio Amália, e promotor de dois festivais cujas programações são integralmente preenchidas por fadistas (Caixa Alfama, em Lisboa, e Caixa Ribeira, no Porto).
 
Um dos mais virtuosos artistas da música nacional, Jorge Fernando, é o Director de Produção da RNL Música, enquanto José Gonçalez é o responsável pelos artistas e pelo repertório da nova editora portuguesa.

 
"A ideia é que a editora não se feche só em novos talentos, mas que também vá buscar aqueles do passado e que nesta altura têm dificuldades em editar um disco porque não há muitas editoras apostadas em celebrar o talento", revelou José Gonçalez. "É nessa linha que estamos: entre o que é novo e o que é mais antigo, mas que deve ser assinalado como bom", acrescentou.
 
Numa altura em que o mercado discográfico vive tempos difíceis, a RNL parece apostada em fintar a crise ao aplicar uma política "low cost". Os discos "vão ter um preço muito baixo, estamos a falar de 4, 5 ou 6 euros para o público", afirmou Luís Montez. Além disso, o fenómeno da pirataria não parece ser preocupante neste caso. "O fado é dos estilos menos copiados porque as pessoas não apreciam só a música mas também o poema e gostam de ter as capas com esses poemas", apontou Montez.
 
Os discos da RNL vão ter distribuição que resulta de parcerias com a Sony Music e com a Fnac.
 
c/ JN _ Foto: Álvaro Isidoro
 
 
O dia 16 de Março marca o regresso de José Gonçalez aos discos. “Até Deus gosta de Fado” será o 10º álbum do fadista estremocense, e é lançado 25 anos depois de “Fado Lusitano”, o primeiro registo de José Gonçalez, ainda no tempo do já quase esquecido vinil.
 
José Gonçalez referiu ao “Ardina do Alentejo” que “este será o primeiro trabalho discográfico” de uma nova editora que vai surgir no panorama musical nacional.
 
“Até Deus gosta de Fado” é o registo do espectáculo ao vivo de José Gonçalez, na Igreja de São Miguel, em Alfama, por ocasião do festival “Caixa Alfama 2014”.
 
O novo disco, que conta com um tema com participações especiais, que Gonçalez adjectivou de “inesperadas”, será lançado no Restaurante “Estádio Dom Leitão”, no próximo dia 16 de Março.
É já no próximo dia 6 de Março que o Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz, vai reabrir as suas portas ao público. Encerrado há cerca de sete meses, mais concretamente desde finais de Julho de 2014, a mais emblemática sala de espectáculos da cidade estremocense sofreu obras de consolidação da estrutura de suporte do tecto, assim como de recuperação do estuque que serve de base às pinturas decorativas existentes.
 
De acordo com a autarquia estremocense foi necessário efectuar a obra "devido à existência de fissuras, associadas à degradação de elementos estruturais em madeira e metal que suportam o tecto, situação que colocava em causa a segurança de pessoas e bens".
 
A obra de recuperação foi efectuada por uma empresa especializada em restauros desta natureza e representou um investimento de cerca de 56 mil euros.
 
O cinema marca o arranque das actividades culturais no Bernardim Ribeiro, após mais estes sete meses de obras. E nada melhor do que começar com um dos filmes com mais nomeações nos Óscares 2014. “Boyhood – Momentos de uma vida”, de Richard Linklater, e com Elijah Smith, Ellar Coltrane, Ethan Hawke, Lorelei Linklater e Patricia Arquette nos principais papéis, roda na sexta-feira, dia 6 de Março, a partir das 21.30 horas.
 
O filme acompanha Mason (Ellar Coltrane), de 6 anos, ao longo da década mais impactante da sua vida, pelo meio de um turbilhão de mudanças, controvérsias familiares, casamentos instáveis, segundos casamentos, novas escolas, primeiros amores e amores perdidos, tempos memoráveis e tempos assustadores e uma constante miscelânea de desgostos e deslumbres. Mas os resultados são imprevisíveis, originando uma experiência profundamente pessoal, que nos molda à medida que nos revemos em diversos acontecimentos do filme. Mason, o menino sonhador que se confronta com a importante decisão da sua dedicada e lutadora mãe solteira, Olivia, que decide refazer a vida em Houston, no momento em que o pai, Mason Senior, há muito tempo ausente, retorna do Alasca para reentrar no seu mundo. Numa maré de pais e padrastos, raparigas, professores e patrões, perigos, anseios e paixões criativas, Mason emerge para seguir o seu caminho.
 
 
“Os Monstros das Caixas”, dia 8 de Março, às 15 horas, “O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos”, dia 13 de Março, às 21.30 horas, “Birdman”, dia 20 de Março, às 21.30 horas, “Os Pinguins de Madagascar”, dia 22 de Março, às 15 horas, e “Taken 3”, dia 27 de Março, às 21.30 horas, são as próximas sessões agendadas.
 
Como tradicionalmente, a autarquia de Estremoz promove em Março, o mês do teatro. O CENDREV, a SOIR – Joaquim António d’Aguiar, o Grupo de Teatro Amadores de Vila Viçosa, e o Grupo de Teatro PATUÁ são as companhias que já estão asseguradas para levar a arte de Moliére ao palco do Teatro Bernardim Ribeiro.
 
Seis filmes e quatro peças de teatro. Um regresso em grande da mais emblemática sala de espectáculos estremocense.
 
O Teatro Bernardim Ribeiro, cuja construção começou em 1916, foi inaugurado a 22 de julho de 1922. Propriedade da Câmara Municipal de Estremoz, o teatro está classificado como edifício de "valor concelhio".
 

Estremoz vai receber tarde de ópera "Amor e Sedução"

Escrito por quarta, 18 fevereiro 2015 23:42
O Palácio dos Marqueses de Praia e Monforte, irá receber no próximo dia 22 de Fevereiro, Domingo, a partir das 16 horas, “Uma Tarde de Ópera – Amor e Sedução”, um divertido espectáculo, com a soprano Carla Pontes e o barítono Francisco Brazão, que percorre a história da ópera.
 
Esta iniciativa, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, é uma organização da Contemporaneus em parceria com a “Ideias do Levante”, e o preço dos bilhetes é de 8 euros.
 

Mais Populares