terça, 13 novembro 2018
Na próxima segunda-feira, dia 29 de Outubro, pelas 15 horas, terá lugar na Biblioteca Municipal de Monforte, mais uma edição da iniciativa “À Conversa com...”, desta feita com a presença do escritor e antigo inspector da Policia Judiciária (PJ), Francisco Moita Flores.
 
Durante este “À Conversa com...” será possível ficar a conhecer mais sobre “O Mistério do Caso de Campolide”, o mais recente livro do antigo Presidente da Câmara Municipal de Santarém, e o primeiro policial da sua já vasta obra.
 
O conhecido criminologista Moita Flores, que até agora se tem dedicado ao romance histórico, situa a acção da história deste policial em 1937, no auge do Estado Novo, tendo como protagonista dois agentes da PIC, a Polícia de Investigação Criminal – a primeira corporação que existiu em Portugal e que deu origem à Polícia Judiciária.
 
Na casa do industrial Álvaro Penaguião celebra-se o convite para integrar as listas da União Nacional para as eleições de 1938: um jantar no seu palacete em Campolide com um grupo de amigos, destacadas figuras do regime. A dada altura, o anfitrião sente-se indisposto e, instantes depois, está morto. Um dos presentes é médico e informa que o industrial foi fulminado por um enfarte. Mas na residência de Álvaro Penaguião houve quem achasse estranha aquela morte súbita, tendo chamado discretamente a Polícia de Investigação Criminal.
 
O agente Simão Rosmaninho olha o cadáver e não tem dúvidas de que está perante um homicídio. O Coronel Carolino, um dos directores da Polícia Política é um dos convivas e proíbe-o de fazer qualquer diligência que ponha em causa o veredicto clínico. No dia seguinte, Simão percebe que o seu Chefe já está industriado para obedecer aos desígnios da Polícia de Vigilância e Defesa do Estado. Entalado entre ordens superiores e a convicção de que está perante um homicídio, o jovem detective começa a investigar. Os primeiros resultados do Laboratório de Polícia Científica confirmam as suas suspeitas. E tudo se complica ainda mais quando, na mesma residência, passados alguns dias, ocorre um segundo homicídio. “O Mistério do Caso de Campolide” torna-se numa luta de poderes, e só os conhecimentos do colega de Simão, o Arengas, lhe permitem resolver os dois crimes.
 
Francisco Moita Flores é dos autores de língua portuguesa mais conhecido quer pela sua obra literária: “A Fúria das Vinhas”, “Segredos de Amor e Sangue”, a “Opereta dos Vadios”, “Mataram o Sidónio!”, e “O Mensageiro do Rei”, entre muitos outros títulos, quer pelos trabalhos para cinema e televisão, onde se recordam “A Ferreirinha”, “Ballet Rose”, “Alves dos Reis”, “O Processo dos Távoras” e “O Bairro”.
 
“O Mistério do Caso de Campolide” é editado pela Casa das Letras.
Promovido pela União das Freguesias de Estremoz – Santa Maria e Santo André, o salão dos Bombeiros Voluntários de Estremoz recebe, no próximo dia 20 de Outubro, sábado, pelas 18 horas, um Encontro de Bandas.
 
Marcam presença neste encontro, as duas bandas da cidade de Estremoz, a Banda da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense - União e a Banda da Sociedade Filarmónica Luzitana, e duas bandas convidadas.
 
Esta iniciativa conta com apoio dos Bombeiros Voluntários de Estremoz e da Câmara Municipal de Estremoz.
No próximo sábado, pelas 21:30 horas, sobe ao palco do Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz, a peça “Os Vigilantes”, pela Resina Teatro.
 
Dois homens, duas gerações. Dois vigilantes de empresa em ronda nocturna. Um espaço. Um armário resiliente de perturbações fantasmas. O passado que embate na indiferença ou na ausência de pensar um futuro. À falta de diálogo, acontece o confronto.
 
Dois homens, num compasso entrosado de regras impostas. Aproxima-os a sobrevivência da época. Distancia-os as dúvidas. As ambivalências do tempo vivido. No sufoco do ar que respiram, a insegurança dos medos do tempo presente.
 
Esta iniciativa é uma organização da Resina Teatro, e que conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, sendo o preço dos bilhetes de 10€ para a plateia e para o 1.º balcão e de 8,5€ para as frisas e camarotes. Para os estudantes, maiores de 65 anos, militares, ex-combatentes e profissionais do espetáculo o bilhete tem um custo de 8€. Para os grupos com mais de 10 pessoas, o custo do bilhete é de 6,5€ cada.
 
Para mais informações e reserva de bilhetes, devem os interessados contactar o Teatro Bernardim Ribeiro, através do telefone 268339222, os Serviços Culturais da Câmara Municipal de Estremoz, pelo 268339216 ou pelo mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou ainda o Posto de Turismo, através do 268339227.
E a Revista à Portuguesa está de volta ao Teatro Bernardim Ribeiro. No próximo Sábado, dia 15 de Setembro, pelas 21:30 horas, o mais popular e satírico género teatral marca presença na emblemática sala de espectáculos estremocense, com "Que Grande Caldeirada!".
 
Após o grande êxito nacional “Ol(h)á Florbela!”, a Sonhos em Cena traz até Estremoz a revista à portuguesa "Que Grande Caldeirada"!, que recupera os grandes êxitos do teatro de revista em junção com novos quadros. São assim aliados, números intemporais com a crítica actual e acutilante da revista à portuguesa, servida com um elenco de jovens valores comandados por Florbela Queiroz.
 
É no palco que os artistas devem estar” tem referido muitas vezes Florbela Queiroz. Com energia e entrega, a veterana actriz recriará nesta nova revista números de grande êxito da sua carreira, como a “Neta de Florbela” ou a “Senhora das Pulseiras”. E é nos palcos que se manterá ao lado de um elenco que conta com a experiente Isabel Damatta, que irá interpretar uma divertida e nova rábula intitulada “Pesadelo na Cozinha”, Sara Inês, que se confirma como grande actriz de revista no quadro “As Escolhas de Matilde”, a escultural Raquel Caneca, que se desdobra nas funções de actriz e de cantora, a grande revelação Gonçalo Brandão, que se afirma na rábula “Lição de Culinária” e Ricardo Miguel, que se junta à companhia com destaque para o número sério “O País do Joaquim”.
 
Um luxuoso guarda-roupa e atractivas projecções conferem a “Que Grande Caldeirada!” o luxo habitual da revista à portuguesa. “Que Grande Caldeirada!” apresenta textos de grandes autores, como César de Oliveira, Francisco Nicholson e Isabel Damatta, bem como textos originais de Renato Pino. A música está a cargo do Maestro Carlos Dionísio.
 
Esta iniciativa é uma organização da dupla João Batista e Ricardo Miguel, e que conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, sendo o preço dos bilhetes de 12,50€ para a plateia e para o 1.º balcão e de 10€ para as frisas e camarotes.
 
Para mais informações e reserva de bilhetes, devem os interessados contactar o Teatro Bernardim Ribeiro, através do telefone 268339222, os Serviços Culturais da Câmara Municipal de Estremoz, pelo 268339216 ou pelo mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou ainda o Posto de Turismo, através do 268339227.
Através da sua página na rede social Facebook, o Município de Estremoz levantou a “ponta do véu” sobre um dos eventos que mais expectativa está a gerar junto da juventude estremocense e sobre o qual pouco ou nada se sabia até ao momento.
 
A Semana da Juventude, que se vai realizar na cidade de Estremoz, entre os dias 19 e 23 de Setembro, tem agendadas uma série de iniciativas que prometem fazer destes cinco dias, dias inesquecíveis, cheios de alegria, animação, cor, luz e som.
 
A saber: actividades educativas dirigidas para os alunos do 1º ciclo, demonstrações e aulas abertas apresentadas pelos ginásios estremocenses Vybe Health Club e Point Fit, a Night Run da Juventude, o Observatório de Astronomia, Torneio de Paint Ball, uma peça de teatro, a quinta Corrida de Carrinhos de Rolamentos, um Torneio de Basket 3x3, a segunda edição do Estremoz Fun Running, e uma Glow Party, que estamos em condições de lhe adiantar que acontecerá na Praça de Touros de Estremoz, com o dj estremocense Silver Soul, com o rapper Domi, que será acompanhado pelo DJ Supa Dust Man e pelo Hypeman Toxic, o rapper Valas, que virá até Estremoz acompanhado pelo DJ Sims e pelo MC D. Beat, e ainda o dj de renome internacional Steven Rod.
 
Aceita o desafio lançado pelo Município de Estremoz e aponta na tua agenda as datas da Semana da Juventude de Estremoz. De 19 a 23 de Setembro, a semana é tua!
 

 

 

 

Pedro Cravo expõe no Museu Municipal de Estremoz

Escrito por quarta, 11 julho 2018 01:14
Quando no próximo sábado, dia 14 de Julho, os relógios marcarem 16 horas, será inaugurada no Museu Municipal de Estremoz, a exposição "Imitações da realidade", de Pedro Cravo.
 
Pedro Cravo, professor de 38 anos, natural e residente em Estremoz, tem na produção artística um hobbie que já o acompanha há vários anos. Utilizando várias técnicas, apresenta nesta mostra, trabalhos que se inserem na categoria da ilustração em várias temáticas.
 
A  exposição "Imitações da realidade" vai estar patente ao público até dia 2 de Setembro.
Ao longo do ano de 2018, o TAE - Teatro Amador de Estremoz está a realizar vários workshops, com a presença de diversos actores e encenadores, workshops esses abertos à participação de todos, quer tenham ou não experiência teatral.
 
Na passada segunda-feira, dia 2 de julho, no Teatro Bernardim Ribeiro, aconteceu mais um desses workshops, desta feita com a sobejamente conhecida actriz Cristina Cavalinhos.
 
Cristina Cavalinhos é conhecida do grande público, pela sua participação em inúmeras novelas e séries da televisão nacional. A última vez que pisou o palco do Teatro Bernardim Ribeiro foi no ano de 2006, com a peça “A Partilha”, onde contracenava com Rita Salema, Patrícia Tavares e Teresa Guilherme.
 
No final deste workshop, Ardina do Alentejo esteve à conversa com Cristina Cavalinhos, que nos fez um balanço “muito positivo” de um workshop “que tinha gente de todas as idades, dos 6 aos 80 anos, o que é muito giro e onde de repente tinha toda a gente a ouvir-me”. Acrescentou ainda ter tido “muito gosto” em participar nesta iniciativa do TAE, porque como a própria referiu “gosto muito de sair de Lisboa, e de vir ter com a população, com as pessoas, falar com elas e ver as suas necessidades, sendo que a cultura pode chegar a todo o lado, e aqui em Estremoz, a cultura está muito bem entregue”.
 
Sobre o papel do actor na função de trazer o teatro e a cultura ao Interior, Crisitna Cavalinhos frisou que “se o actor esquece o seu papel social, enquanto veiculo da cultura, esqueceu a sua essência enquanto actor. Eu faço o mais que posso nesse sentido”.
 
Cristina Cavalinhos salientou ainda estar apenas “à espera de um convite” para voltar a pisar o palco do Bernardim Ribeiro, um teatro “lindíssimo, amoroso e muito bem conservado. E espero que assim continue”.
 
Estes workshops, cuja sua realização vai acontecer ainda por mais quatro vezes durante o ano de 2018, são uma iniciativa do TAE - Teatro Amador de Estremoz, com direcção artística do actor Cláudio Henriques, e com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz e da Casa da Cultura de Estremoz.
A "Produção de Figurado em Barro de Estremoz", vulgarmente conhecida como Bonecos de Estremoz, foi classificada como Património Cultural Imaterial da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), em Dezembro de 2017.
 
A vereadora do Município de Estremoz, Márcia Oliveira, indicou à Lusa que o Centro Interpretativo dos Bonecos de Estremoz vai ser um local de concentração de actividades ligadas aos bonecos feitos em barro.
 
"Quem visitar Estremoz terá oportunidade, naquele espaço, de ter uma ideia mais concreta de como se fazem os bonecos, ficar a saber um bocadinho da história desta arte e ver ao vivo os artesãos a modelar os bonecos", explicou a autarca.
 
Márcia Oliveira indicou que os visitantes do Centro Interpretativo, que vai ser instalado no próximo ano, vão poder também ver bonecos dos diferentes artesãos que trabalham nesta arte.
 
O Centro Interpretativo ficará instalado no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, que, segundo a vereadora, é "o espaço ideal, no centro da cidade, com uma luminosidade muito apelativa" e onde vai ser possível desenvolver actividades, como a feitura dos bonecos pelos artesãos, exposições e iniciativas de carácter educativo.
 
"Os artesãos serão convidados para sempre que queiram poder trabalhar ao vivo naquele espaço", referiu.
 
O novo equipamento vai ser também "um centro de atracção para novos artesãos", de acordo com a autarca, visto que, "com as actividades educativas a decorrer naquele espaço, praticamente em permanência, também os jovens poderão experimentar a arte".
 
"O  plano de salvaguarda  e o reconhecimento dos Bonecos de Estremoz como Património Cultural Imaterial da Humanidade tinham este objectivo de atrair mais artesãos para a arte, para que não aconteça o que já aconteceu anteriormente, que esta arte corra o risco de desaparecer", realçou Márcia Oliveira.
 
O Centro Interpretativo e o processo em curso de certificação dos Bonecos de Estremoz pelo Município estão integrados no Plano de Valorização e Salvaguarda do Boneco de Estremoz, que integra ainda, entre outras, actividades educativas.
 
Os Bonecos de Estremoz pertencem a uma arte de carácter popular, com mais de 300 anos de história, tendo sido o primeiro figurado do mundo a merecer a distinção de Património Cultural Imaterial da Humanidade, na sequência da candidatura apresentada pelo município alentejano.
 
Com mais de uma centena de figuras diferentes inventariadas, a arte, a que se dedicam vários artesãos do concelho, consiste na modelação de uma figura em barro cozido, policromado e efectuada manualmente, segundo uma técnica com origem pelo menos no século XVII.
 
c/ LUSA
O Teatro Bernardim Ribeiro vai receber, no próximo Sábado, dia 12 de Maio, pelas 21:30 horas, um espectáculo de tributo aos Pink Floyd, pela banda “The Great Gig”.
 
A criação da banda “The Great Gig” e a elaboração deste espectáculo foi a forma encontrada por oito músicos para homenagear aquela que é considerada por muitos como uma das maiores bandas de rock do planeta, os britânicos Pink Floyd.
 
O nome desta banda de tributo resulta do tema “The Great Gig in the Sky”, que faz parte do álbum “Dark Side of The Moon”, trabalho discográfico lançado há mais de 40 anos, mais concretamente em 1973.
 
Este tributo, que regressa à mais emblemática sala de espectáculos estremocense um ano depois, reúne em palco oito assumidos fans dos Pink Floyd que fazem por interpretar, de forma fiel, parte relevante do repertório da banda de Cambridge, em Inglaterra.
 
Esta iniciativa é uma produção dos próprios The Great Gig, e que conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, sendo o preço dos bilhetes de 7,5 euros.
 
Para mais informações e reserva de bilhetes, devem os interessados contactar o Teatro Bernardim Ribeiro, através do telefone 268339222, os Serviços Culturais da Câmara Municipal de Estremoz, pelo 268339216 ou pelo mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou ainda o Posto de Turismo, através do 268339227.